Puggina.org by Percival PugginaConservadores e Liberais

Um espaço destinado a formar e informar.
Aqui defendemos os valores tradicionais,
a liberdade, a democracia constitucional
e o regime de livre empresa.

Espaço de formação e
informação a serviço da
dignidade humana,
da liberdade, da democracia
e dos valores tradicionais.

O bom liberal sabe que
há princípios e valores que
se deve conservar.
O bom conservador
deve ser um defensor
das liberdades.

Foto: Nadia Raupp Meucci

UM SISTEMA PREVIDENCIÁRIO IMPERITO, IMPRUDENTE E NEGLIGENTE

por Percival Puggina. Artigo publicado em 15.12.2017
   Sistemas públicos de aposentadoria frequentam o centro de colossais encrencas fiscais, políticas, econômicas e culturais porque propagam a ideia de que todos podem garantir seu fut ...

Cadastre-se e receba a Newsletter

Fique Sabendo

PLANO B DE LULA

 Informa o Diário do Poder

 

Lula nega publicamente que exista plano B, se for mesmo impedido de disputar a Presidência em 2018, mas em conversas reservadas deixa claro que a alternativa é eleger a maior bancada possível de deputados federais e senadores para “tomar o Legislativo”. Ele não cita outro petista, como o ex-prefeito paulistano Fernando Haddad disputando o Planalto. O sonho de Lula é dar ao PT o poder exercido pelo “centrão”. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

O plano B de Lula é inspirado no PMDB, cujo apoio viabilizou seu próprio governo e a falta dele acabou por inviabilizar o governo Dilma. O partido de maior bancada indica presidentes da Câmara e Senado. Lula segredou a amigos que deseja ver o PT dominando o Congresso. Lula admite que ficará inelegível, mas solto. Por isso, planeja percorrer o País tentando eleger o maior número possível de parlamentares. O PMDB, que não tem candidato próprio à Presidência desde 1989, faz parte da base aliada dos governos federais desde a década de 1990.

 

COMENTO

O PT também precisa de um plano B para si mesmo, pois o próprio partido terá graves problemas com a Justiça Eleitoral. Tanto quanto o adequado e rápido julgamento de todos os envolvidos com atos de corrupção, é preciso aplicar a lei aos partidos políticos. Se há providências legais, há, também, providências eleitorais, ligadas à soberania popular.

O eleitorado é a instância maior do processo político. Seu poder passa como um flash a cada quatro anos, mas nesse momento pode ser exercido em totalidade. E o PT, especificamente, é um partido que na oposição não deixa governar e no governo faz o que agora é plenamente conhecido. Sob o ponto de vista moral, na oposição, cheira corrupção a quilômetros de distância; no governo não percebe a sujeira sequer na sola do próprio sapato. Tem, pois, que ser mantido na menor dimensão possível.

Imagem Comentada

A FARRA BILIONÁRIA DOS SINDICALISTAS PELEGOS ESTÁ PERTO DO FIM
Augusto Nunes

 

As reformas aprovadas pelo Congresso deveriam ter sido mais ousadas? Claro que sim. O governo federal exagerou nas concessões a bancadas orientadas pelo oportunismo? Sem dúvida. Foi muito salgado o preço pago em verbas e cargos pelo apoio de deputados e senadores? Foi. Ainda assim, bem-vindas sejam as mudanças ocorridas na legislação trabalhista, no sistema eleitoral e em outras velharias do século passado.

A cláusula de barreira, por exemplo, começará a desmatar a selva dos partidos de aluguel. A coligação em eleições proporcionais vai morrer só em 2020, mas é animador constatar que a agonia é irreversível. As relações trabalhistas enfim começaram a cruzar a fronteira do terceiro milênio. E o fim da contribuição sindical obrigatória apressou a erradicação da pelegagem viciada no ócio sem dignidade.

Como a chuva de dinheiro cessou, os chefões das entidades sindicais vão descobrindo que a farra bilionária está perto do fim. Por enquanto, a maioria dos sindicatos e federações aperta o cinto dos outros e demitem funcionários, mas alguns pelegos amamentados por governos do PT já planejam o abandono do barco condenado ao naufrágio.

Dirigentes da CUT, por exemplo, lutam por vagas nos botes que podem alcançar a Praça dos Três Poderes e depositá-los no atracadouro do Congresso, ao lado de algum gabinete parlamentar. Os náufragos vigaristas sabem que só a vida mansa de deputado é comparável ao vidaço de sindicalista pelego.
 

Vídeos Recentes

Como um país onde milhões quiseram vir morar, tornou-se um país de onde tantos querem ir embora

Quando se fala em globalismo, estrutura supranacional de poder político e demolição dos valores e da cultura ocidental, há quem diga que se trata de fantasmagorias e teoria da conspiração. Assista, então.

Ninguém ajudou mais os movimentos pró-vida do que o ministro Roberto Barroso, abortista.

Neste pequeno e importante vídeo, José Manuel Fernandes, jornalista português, mostra estar em curso no seu país o mesmo processo de desconstrução cultural que venho denunciando aqui.