Puggina.org by Percival PugginaConservadores e Liberais

Um espaço destinado a formar e informar.
Aqui defendemos os valores tradicionais,
a liberdade, a democracia constitucional
e o regime de livre empresa.

Espaço de formação e
informação a serviço da
dignidade humana,
da liberdade, da democracia
e dos valores tradicionais.

O bom liberal sabe que
há princípios e valores que
se deve conservar.
O bom conservador
deve ser um defensor
das liberdades.

Foto: Nadia Raupp Meucci

RESCALDO DAS MANIFESTAÇÕES DE 26 DE MARÇO

por Percival Puggina. Artigo publicado em 27.03.2017
   Ninguém ficou mais feliz com o pequeno público presente às manifestações deste domingo do que os corruptos, os foragidos no foro privilegiado, os proponentes do voto em lista fecha ...

Cadastre-se e receba a Newsletter

Fique Sabendo

ENERGIA DAS RUAS

Renato Sant'Ana

Dia 26 de março eu vou!

(Publicado originalmente em www.alertatotal.net)

Dia destes, Elio Gaspari intitulou sua coluna com uma advertência bem realista: "Só a rua salva a Lava-Jato". Os pessimistas de sempre hão de rebater com ironia rasteira: "Sim, políticos morrem de medo de manifestantes...". É o que vamos ver...

Recentemente, romenos aos milhares tomaram as ruas de Bucareste e das maiores cidades da Romênia, repetindo à exaustão slogans como "A corrupção mata", e "Eles não nos representam". É que, às escondidas, numa reunião noturna do recém-empossado gabinete social-democrata, o governo havia editado uma lei que despenalizava crimes de corrupção e abuso de poder, desde que o prejuízo não fosse superior a 44.000 euros (cerca de 150.000 reais). Sancionada por um decreto de urgência, a lei não precisaria passar pelo Parlamento. O premier romeno, Sorin Grindeanu, afirmou que a reforma tinha o objetivo de alinhar o código penal à Constituição e, atenção, diminuir o número de presos (sic). As ruas falaram alto e deu certo! A esdrúxula iniciativa do governo foi revogada.

No Brasil, conforme Gaspari, "A grande pizza começa a ser assada fabricando-se um tipo de anistia parlamentar e/ou judiciária para o caixa 2." Caso consigam esse "perdão", o passo seguinte vai ser a alquimia de transformar propinas em caixa 2, limpando a ficha dos maiores corruptos. E essa é apenas uma das manobras que a PARCELA truculenta de políticos está tentando impingir à nação.

A pergunta é: a frente parlamentar da impunidade vai conseguir seu objetivo, ou irá recuar como sua equivalente romena? Depende! De quê? Depende do que seja maior: a bovinização ou a mobilização dos brasileiros.

A oligarquia nacional parece coesa. E encomenda , aos santos de sua devoção, uma epidemia de descrença, todo mundo em casa, sem atitude, a queixar-se dos políticos. Nada de barulho. Fica mais fácil para as manobras do egoísmo.

Mas Gaspari diz também: "A Lava-Jato foi na jugular da oligarquia política e de boa parte da oligarquia empresarial do país." Certo. Mas é apenas o começo. A frente parlamentar da impunidade não dorme, dia e noite pensando um jeito de fritar a Lava Jato.

Mas será que neste país não tem gente disposta a abraçar a Lava-Jato e dar seu apoio ao grupo de parlamentares que, sim, combate a impunidade? Assistiremos em silêncio à consagração do "caixa 2"?

O experiente Elio Gaspari adverte com ironia: "Sem a rua, a oligarquia unida jamais será vencida." Razões não faltam para, neste 26 de março, o povo brasileiro tomar as ruas. Não precisa nem recorrer ao exemplo romeno: as manifestações anteriores no Brasil mostraram resultados.


* Psicólogo e Bacharel em Direito.

 

Imagem Comentada

TERCEIRIZAÇÃO: SE ESSA TURMA É CONTRA, EU SOU A FAVOR

Informa o Estadão

 

BRASÍLIA - A Câmara aprovou, na noite desta quarta-feira, 22, a redação final do projeto de lei de 19 anos atrás que permite terceirização irrestrita em empresas privadas e no serviço público. A proposta também amplia a permissão para contratação de trabalhadores temporários, dos atuais três meses para até nove meses - seis meses, renováveis por mais três (veja como cada deputado votou).

 

O texto principal do projeto foi aprovado por 231 votos a 188. Houve ainda oito abstenções. O placar mostra que o governo terá dificuldades para aprovar as reformas trabalhista e, principalmente, a da Previdência, que será votada por meio de Proposta de Emenda à Constituição (PEC), que exige um mínimo de 308 votos favoráveis na Câmara.


A Câmara não pôde incluir inovações no texto. Isso porque a proposta, de 1998, já tinha passado uma vez pela Casa, em 2000, e pelo Senado, em 2002. Com isso, deputados só puderam escolher se mantinham integral ou parcialmente o texto aprovado pelo Senado ou se retomavam, integral ou parcialmente, a redação da Câmara.

O texto final aprovado, que seguirá para sanção do presidente Michel Temer, autoriza a terceirização em todas as atividades, inclusive na atividade-fim. Atualmente, jurisprudência do Tribunal Superior do Trabalho (TSE) proíbe terceirizar a atividade-fim da empresa. Por exemplo, um banco não pode terceirizar os atendentes do caixa.


 Foto: André Dusek/Estadão

Vídeos Recentes

Ganhe o dia e muito mais assistindo esta cena do filme Manalive, baseado no romance de mesmo nome, de G.K. Chesterton. Uau!

A regra do desarmamento é essencialmente imoral e levou ao massacre da população civil.

Belíssimo hino de louvor à Europa, cuja chama se enfraquece. Todos perdemos com isso.

Este vídeo é mais um excelente trabalho da Embaixada da Resistência. Estou reproduzindo aqui porque não encontrei a URL no respectivo canal do YouTube.