Puggina.org by Percival PugginaConservadores e Liberais

Um espaço destinado a formar e informar.
Aqui defendemos os valores tradicionais,
a liberdade, a democracia constitucional
e o regime de livre empresa.

Espaço de formação e
informação a serviço da
dignidade humana,
da liberdade, da democracia
e dos valores tradicionais.

O bom liberal sabe que
há princípios e valores que
se deve conservar.
O bom conservador
deve ser um defensor
das liberdades.

Foto: Nadia Raupp Meucci

“VAI PRA CUBA!” E O CRIME DE PT-FOBIA

por Percival Puggina. Artigo publicado em 25.05.2015
Todos já sabem que o tal “Humaniza Redes” é jogada de marketing saída da cabeça do João Santana. Ou assemelhado. Resulta em bem concebida forma de censura a todos que não amam o PT, o petismo, o ...

Cadastre-se e receba a Newsletter

Fique Sabendo

FRACASSO TOTAL

FRACASSO TOTAL
Coalizão para Reforma Política, encabeçada por CNBB, não consegue nem metade das assinaturas pretendidas.


No dia Nacional de Mobilização contra a Constitucionalização da Corrupção, mais de duas mil pessoas participaram de ato cultural e caminhada em favor da Reforma Política Democrática. O evento, organizado pela Coalizão pela Reforma Política Democrática e Eleições Limpas, ocorreu nesta quarta-feira, 20, em Brasília, às 9h.

A caminhada iniciou em frente à catedral metropolitana e seguiu até o Congresso Nacional, para a entrega das assinaturas já coletadas, em favor da Reforma Política Democrática. Ao todo, foram entregues 630.089 assinaturas (entre físicas e eletrônicas). A coleta continua, com a meta de alcançar 1,5 milhão de assinaturas.

“Jamais perderemos a esperança”, afirma o bispo auxiliar de Belo Horizonte (MG) e presidente da Comissão para Acompanhamento da Reforma Política da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Joaquim Mol. “Que este Congresso Nacional veja que as mais de 600 mil assinaturas representam a vontade do povo brasileiro em mudar. A democracia brasileira só tem como avançar se as empresas forem extirpadas de vez da política”, pontua dom Joaquim.

(Com informações da Assessoria de Imprensa da Coalizão e original encontrado em http://cnbbsul3.org.br/paf.asp?catego=11&exibir=5288 e em
http://fratresinunum.com/2015/05/21/fracasso-total-coalizao-para-reforma-politica-encabecada-por-cnbb-nao-consegue-nem-metade-da-assinaturas-pretendidas/).

Comento: se 630 mil assinaturas, segundo D. Joaquim, representam a vontade do povo, após quase nove meses de uma campanha  que não despertou interesse em ninguém, então o conceito da cúpupla da CNBB corresponde exatamente ao que tenho escrito: "povo", para esses senhores, é quem pensa como eles pensam. E falam em democracia...


 

Imagem Comentada

“QUEM VEM COMANDANDO A CNBB É UM GRUPO LIGADO À ESQUERDA”

A afirmação acima foi feita por mim durante entrevista que concedi ao jornalista Guilherme Macalossi, na Rádio Sonora. Em seu próprio blog o jornalista escreveu assim:

Semana passada, em meu programa na Rádio Sonora, entrevistei o escritor e colunista de Zero Hora, Percival Puggina. A conversa se centrou na proposta de reforma política encampada pela CNBB. Puggina foi absolutamente enfático:

“O que a Igreja tem que fazer se contém numa linha divisória muito clara, que é a linha do enunciado dos princípios e dos valores. E isso a Igreja faz e tem a obrigação de fazer. Não para tornar obrigatório a ninguém, mas para colocar à ponderação da sociedade. Princípios e valores que podem influenciar a ordem política, mas a linha que sai daí para a ordem concreta que se quer dar para a organização das instituições, como devem funcionar as coisas, para as soluções a serem dadas, esta não é uma linha que a Igreja possa, de qualquer forma, ultrapassar no exercício de sua função pastoral na sociedade. É uma linha divisória que não pode ser ultrapassada, e a CNBB passou por cima e deu um chute.”

Confiram a íntegra do programa:

https://guilhermemacalossi.wordpress.com/2015/05/25/entrevistei-percival-puggina-que-afirmou-quem-vem-comandando-a-cnbb-e-um-grupo-ligado-a-esquerda/
 

Vídeos Recentes

E vai cumprir medidas sócio-educativas porque isso é, segundo o ECA uma questão de direitos humanos...

Sobre os erros da CNBB quando se põe a apresentar soluções concretas a especificidades que nunca foram parte da missão da Igreja, como é o caso dos sistemas eleitorais.

Neste bloco conversamos sobre a crise moral no Brasil.

Neste bloco, falamos sobre problemas e soluções institucionais para o Brasil