Puggina.org by Percival PugginaConservadores e Liberais

Um espaço destinado a formar e informar.
Aqui defendemos os valores tradicionais,
a liberdade, a democracia constitucional
e o regime de livre empresa.

Espaço de formação e
informação a serviço da
dignidade humana,
da liberdade, da democracia
e dos valores tradicionais.

O bom liberal sabe que
há princípios e valores que
se deve conservar.
O bom conservador
deve ser um defensor
das liberdades.

Foto: Nadia Raupp Meucci

PODE O STF MANDAR O CONGRESSO VOTAR?

por Percival Puggina. Artigo publicado em 15.02.2019
   O decano do STF falou, falou, falou. Quando muitos, já caindo a noite, creram que ele iria concluir, o ministro anunciou estar ainda antes de metade de seu voto e advertiu a Corte: ...

Cadastre-se e receba a Newsletter

Fique Sabendo

MEC: RICARDO VÉLEZ RODRIGUEZ NÃO É FERNANDO HADDAD

 

 O ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodriguez, vocês ainda vão ouvir falar muito desse nome, adiantou-se na tarefa saneadora de seu ministério e firmou um protocolo de intenções com órgãos do governo que irão apurar desvios em diversos programas oficiais.

 Há muito tempo ouve-se falar de favorecimentos indevidos no Programa Universidade para Todos (ProUni), sobre desvios no Pronatec, bem como sobre concessão ilegal de bolsas de Estudos e irregularidades em universidades.

Há enorme descontentamento, nas estruturas aparelhadas do MEC, em relação às orientações do novo ministro.

Muitos interesses se sentiram contrariados, muitas posições de mando foram perdidas e isso é apenas o começo.
O saneamento de irregularidades, porém, não é a principal obra a ser realizada. A tarefa principal é na área da Educação propriamente dita, onde o estrago não se mede em reais, mas em danos vitais a milhões de jovens brasileiros prejudicados pela péssima educação disponibilizada.

Os descontentes precisam saber que Vélez Rodriguez não é Fernando Haddad; nem Tarso Genro, nem Cid Gomes, nem Aloisio Mercadante.
 

Imagem Comentada

UMA LIÇÃO QUE NOS VEM DAS FILIPINAS


Percival Puggina

 

Milhões de visualizações assinalam a foto do menino Justin, batida por sua professora Ma’am Lei, nas Filipinas. Aquela imagem da criança, aluno de alfabetização, levando para a escola seu irmão mais novo, para não perder as aulas e a oportunidade de estudar, precisa funcionar como severa advertência moral a muitos estudantes brasileiros.

 

Constrangido pelas circunstâncias de uma vida difícil, sob cuidados da avó que, por sua vez, precisa trabalhar “na fazenda”, Justin não abre mão de qualquer de suas duas responsabilidades: vai à escola e cuida do irmãozinho.


Pergunto:


1) quantos estudantes brasileiros, não estudam ou estudam muito menos do que deveriam porque não abrem mão do ócio, das brincadeiras, da malandragem, das más companhias, da preguiça?


2) quantos terceirizam sua própria Educação, que se transforma em obrigação delegada à paciência de seus professores?


3) quantos se rendem às dificuldades reais de suas condições de vida e abandonam os estudos?


4) quantos recrutados pela vida criminosa teriam seguido outro caminho se dotados da força moral de Justin?
 

Vídeos Recentes

Sim, há um inimigo público, muito mais nocivo, que também precisa ser incessantemente combatido!

A esquerda não se conforma com haver perdido a eleição para militares.

Desmascarando o comportamento da extrema imprensa com relação ao novo governo.

Que fique claro: o principal responsável por eventual vitória de Renan Calheiros na eleição para presidente do Senado não será o voto secreto. Será o partido que o indica: o MDB!