Puggina.org by Percival PugginaConservadores e Liberais

Um espaço destinado a formar e informar.
Aqui defendemos os valores tradicionais,
a liberdade, a democracia constitucional
e o regime de livre empresa.

Espaço de formação e
informação a serviço da
dignidade humana,
da liberdade, da democracia
e dos valores tradicionais.

O bom liberal sabe que
há princípios e valores que
se deve conservar.
O bom conservador
deve ser um defensor
das liberdades.

Foto: Nadia Raupp Meucci

D. QUIXOTE DE TOGA

por Percival Puggina. Artigo publicado em 18.09.2020
   Não há como observar os derradeiros movimentos do ministro Celso de Mello desde sua cadeira no Supremo Tribunal Federal sem evocar o Cavaleiro da Triste Figura, apelido com que San ...

Cadastre-se e receba a Newsletter

Fique Sabendo

SÓ NO COMEÇO DE 2020, MAIS DE 620 CRISTÃOS NIGERIANOS JÁ FORAM ASSASSINADOS


O país mais populoso da África também sofre uma campanha de ataques e incêndios contra igrejas
A perseguição contra os cristãos da Nigéria continua piorando, ao silêncio da grande mídia internacional. Só nos primeiros 4 meses de 2020, já foram assassinados 620 cristãos nigerianos em decorrência de ódio contra a fé. Em paralelo, prossegue a campanha de ataques e incêndios criminosos contra igrejas. A informação vem do relatório publicado neste 15 de maio pela Sociedade Internacional para as Liberdades Civis e o Estado de Direito (Intersociety), organização sem fins lucrativos fundada em 2008 no país, que é o mais populoso da África – aliás, a população nigeriana deverá ultrapassar a brasileira por volta de 2025 e chegar ao terceiro lugar mundial até 2100, superando largamente os Estados Unidos e ficando atrás apenas de Índia e China.

Os cristãos, que representam aproximadamente a metade da população nigeriana, vêm sofrendo ataques cada vez mais violentos. Segundo a Intersociety, cerca de 32 mil cristãos foram assassinados por radicais islâmicos desde 2009:

“Os principais jihadistas islâmicos na Nigéria, os pastores militantes Fulani e o Boko Haram/ISWAP, intensificaram a sua violência anticristã nas regiões do Cinturão Médio e no Nordeste. As atrocidades contra os cristãos não foram controladas pelas forças de segurança do país. Os atores políticos estão fazendo vista grossa ou mesmo conspirando com os jihadistas”.

Casos recentes
Em janeiro de 2020, quatro seminaristas foram sequestrados, mantidos reféns e espancados. Gradualmente, três deles foram liberados e abandonados em estradas remotas, mas o quarto, Michael Nnadi, de 18 anos, foi assassinado porque, segundo o líder do bando de raptores, “não parava de pregar o Evangelho de Jesus Cristo” e pedia que ele “saísse do caminho do mal”.

Enquanto isso, cidades de maioria cristã foram atacadas, fazendas incendiadas, cidadãos sequestrados e assassinados. Mulheres foram feitas escravas sexuais e torturadas, um horror que, segundo o arcebispo de Abuja, dom Ignatius Kaigama, é o “padrão” dos ataque contra os cristãos no país.

Cobranças ao governo
Em 27 de fevereiro, o embaixador geral dos Estados Unidos para a Liberdade Religiosa Internacional, Sam Brownback, declarou à agência católica ACI que a situação na Nigéria está piorando:

“Há muitas pessoas assassinadas na Nigéria e tememos que isto se espalhe muito na região”.

Para ele, o governo nigeriano poderia fazer mais, pois “não estão levando os responsáveis à justiça” nem estão tendo “senso de urgência para agir”.

Por sua vez, na homilia de 1º de março, dom Kaigama exigiu de Muhammadu Buhari, presidente da Nigéria, mais coordenação para dar um basta à violência no país:

“Precisamos ter acesso aos nossos líderes; presidente, vice-presidente. Precisamos trabalhar juntos para erradicar a pobreza, os assassinatos, o mau governo e todos os tipos de desafios que enfrentamos como nação”.
_______
* Com informações da agência ACI Digital

** Publicado originalmente em https://pt.aleteia.org/2020/05/22/so-no-comeco-de-2020-mais-de-620-cristaos-nigerianos-ja-foram-assassinados/
 

Imagem Comentada

MÉDICA QUE DEFENDEU A PROSTITUIÇÃO EM REVISTA PARA ADOLESCENTES INDICADA PARA CARGO DE DESTAQUE NA ONU

 

Li em The Christian Institute

A Dra. Tlaleng Mofokeng escreveu um artigo publicado na Teen Vogue no qual encorajou as leitoras a considerarem a prostituição como um “trabalho de verdade”. Ela agora é a nova Relatora Especial das Nações Unidas para o Direito à Saúde.

Ela afirmou: “Se você apoia os direitos das mulheres, exorto-a a apoiar a demanda global pela descriminalização do trabalho sexual”.

Mito

Em resposta à notícia de sua nomeação, o co-fundador do Strike Out Slavery (derrotar a escravidão), Deidre Pujols, disse: “A ideia de que legalizar ou descriminalizar o sexo comercial reduziria seus danos é um mito persistente”.

“Os países que legalizaram ou descriminalizaram o sexo comercial muitas vezes experimentam um aumento no tráfico de pessoas, lenocínio e outros crimes relacionados”, explicou ela.

Helen Taylor, Diretora de Intervenção da Exodus Cry, acrescentou: “As Nações Unidas deveriam ser o último lugar para defender os traficantes de seres humanos e os compradores que alimentam a demanda para serem legalizados”.

*Publicado originalmente em https://www.christian.org.uk/news/doctor-who-promoted-prostitution-to-teens-appointed-to-top-un-post/
**Original do artigo em TeenVogue: https://www.teenvogue.com/story/why-sex-work-is-real-work


COMENTO

Step by Step (passo a passo) é uma receita muito útil para quem quer derrubar resistências. Crianças usam o método. Quando querem fazer alguma arte, elas vão avançando aos poucos, observando a reação dos adultos, testando os limites, até que sua ação seja finalmente impedida ou permitida.

Assim, também agem internacionalmente os movimentos e organizações cujo objetivo é destruir os valores da civilização ocidental. Tudo que é vicioso serve para isso. Não há limite nem urgência no combate às poucas virtudes remanescentes. Os militantes dessas causas têm a certeza de que um dia realizarão o que desejam. Terão derrotado seu maior adversário: o cristianismo no qual se enraíza a cultura do Ocidente.
 

Vídeos Recentes

Vários estados brasileiros paralisaram suas atividades produtivas escondidos de um vírus que ainda não andava por lá.

Seria impossível que sete ministros nomeados em presidências petistas não mudassem completamente a conduta do STF. Negar isso é brigar com os fatos.

Ninguém parece prestar atenção ao modo hostil como os ministros do STF tratam o presidente... Falam em ditadura, mas procedem como se estivessem conduzindo uma.

Vários estados brasileiros paralisaram suas atividades produtivas escondidos de um vírus que ainda não andava por lá.