Puggina.org by Percival PugginaConservadores e Liberais

Artigos de outros autores

Voltar para listagem

CRÔNICA DE DAVOS

por Junia Turra. Artigo publicado em

 

Resumo

Bolsonaro optou por agendas fechadas. Não cancelou "Press Konferenz". Porque tanto faz. Cadê a grande cobertura da imprensa brasileira? Já está com o texto pronto em cima do Press Release. Vai descer o pau.

 

Mas eu vim, gente!

E corri de um lado para o outro. Chamei mais a atenção que o Bolsonaro . Perdi a equipe, óculos, celular, uma luva e torci o pé.

Fake news.... Yes, Bolsonaro chamou mais a atenção por não querer chamar a atenção. Sem verde e amarelo, sem bater tambor, foi discreto. Sem abre-alas. Em nada lembrava os cucarachas Lula, Dilma e FHC fanfarrões com grandes comitivas e gastos de sultão. A turma da esbórnia!

Bolsonaro ouviu e foi ouvido. Questões de Estado. Deixou todos confortáveis pque ele mostra as coisas como são. E sem falar muito . Que alívio para os outros. Não vão ter que sorrir na foto e mandar o assessor falar com o outro assessor ali no cantinho.

Agora é sem atravessador. O presidente do Brasil conseguiu abrir a possibilidade de parceria com todos. Menos aqueles que correm por trás. Eles não tiveram lugar à mesa.

Novo Brasil

Os brasileiros precisam deixar de ser deslumbrados. Chega do modelo " quero conquistar meu primeiro milhão de dólares e fazer sucesso na rede social e no Instagram postar fotos de viagens escalafobéticas".

Coloque em primeiro lugar o todo e como parte dele você, brasileiro, vai se destacar. Observe que começa um tempo de trabalho em grupo: parceria, ajuda mutua. Precisamos uns dos outros. Aos resistentes? O boicote!

Recuperar a identidade

Chefes de Estado europeus agem como funcionários do povo. Assim se coloca Bolsonaro e sua equipe.

O chanceler austriaco Sebastian Kurz de 32 anos, da mesma linha oposicionista de Bolsonaro encanta o mundo por preservar valores e cultura, estudar , trabalhar.

Viaja na classe econômica e como qualquer um do povo - assim funciona na Europa - usam a bike, nadam em rios e lagos, não tem piscina em casa e não comem em selfie-service (a expressão é "Mensa" - referência aos restaurantes de universidade) e significa: " cada um sirva-se". Alguns são carésimos e não aceitam gente que tem dinheiro e não sabe se portar.

A impressão por onde passou

Bolsonaro encerra hoje a participação no Fórum Econômico de Davos e deixa a melhor das impressões. Tem nivel, educação e não dissimula.

Muito parecido com os suíços das montanhas. Foi o que me disseram os funcionários que o atenderam em Davos. " Ele é simples , o primeiro a fazer as coisas . Não é como os outros".

Os outros quem, pergunto.

"Ah, de outros anos que falavam muito alto, muita gente, muita comilança. E chamavam sem parar. Reclamavam de tudo. "

O que a turma da vila está falando do presidente do Brasil ?

"Ah, Herr Bolsonarô parece com o povo daqui. Não dorme até tarde e não esquenta lugar. Tá certo , se nós aqui temos muito pra fazer, ele lá num país tão grande e com situação complicada, sabe, a violência, e governos assim que roubam. Os brasileiros , conheço muitos, eles contam cada coisa. Mas esse homem aí , se deixarem , faz a coisa andar na linha. Conhece o Brasil? Queria ir - suspiro - Rio de Janeiro. Lá tem montanhas assim , que eu quero escalar. Gosta de alpinismo? "

Também sou de montanha, disse eu. E o Rio de Janeiro é lindo !

Esperança

Bolsonaro não gritou que o gigante acordou, nem que somos melhores em nada. Pela primeira vez resgatou nossos valores de brasileiro naquilo que o povo é: imigrantes de várias partes do mundo, do Japão a Suíça. É cultura brasileira!

Respeito mútuo.

Nos respeite. Em contrapartida, brasileiro, quando for à casa do outro, respeite também. Observe. Aprenda. Se não gostar, volte pra casa. Não falam alto na Suíça. Nem em pubs. Ninguém berra na rua. Há disciplina e leis. Punição. Dói no bolso. Impostos caros, saúde pra todos. Educação pra todos. Mas nao tem mamata. As casas são pequenas, sem empregados. Esqueça as mordomias. Tire os sapatos antes de entrar.

A imagem do Brasil para negócios

O Brasil vive uma situação catastrófica , um pós guerra , mas com resistentes no local.

"Mas queremos recomeçar, nossa equipe está pronta , vamos adiante".

"Estaremos entre os 50" (não fez como FHC que disse não existir crise e nem Lula que esqueceu de contar ao povo que pagou apenas os juros da dívida externa brasileira) . A verdade dói, mas é a verdade!

.... E aparecem as mãos estendidas ao novo governo.

Sinto informar aos da elite caviar bunda suja: perderam!
Correndo na redação em Zurich pra ver se consigo dar uma de tiete e pedir "tira uma foto comigo, Bolsonaro? "

(Coisa que no local enquanto imprensa, fui imprensa. Mas depois do dever cumprido....)

E o Brasil começa uma nova era.

Foto de capa do Wiener Zeitung , jornal austriaco de maior circulação mostra que : "se aparecerem Adélios jogarão livros neles"
Pra bom entendedor , um pingo é letra.

 

*Publicado originalmente em http://www.oboletim.com.br/2019/01/24/cronica-de-davos-resumo/
**A autora é jornalista sediada, há muitos anos na Suíça e na Alemanha
 

Compartilhar

Artigos de outros autores