Puggina.org by Percival PugginaConservadores e Liberais

Artigos de outros autores

Voltar para listagem

J'ACCUSE

por Paulo Vendelino Kons. Artigo publicado em


Para Brasileiros com coragem, honradez, ética e vergonha na cara.



"Muitos homens odeiam a verdade por amor daquilo que tomaram por verdadeiro."
                                                                  (Aurelius Augustinus Hipponensis, Filósofo)

Prezado(a) concidadão(ã) – Paz e Bem!

Com a satisfação de cumprimentá-lo(a) nesta Quarta-feira de Cinzas, dia que marca o início da Quaresma para muitos brasileiros, tempo de penitência e oração mais intensa e da intensificação da prática da caridade, especialmente para com os mais pobres, lembro que para os antigos judeus, sentar-se sobre as cinzas já significava arrependimento dos pecados e volta para Deus.

E o cuidado para com os pobres não pode estar limitado a um mero assistencialismo. "Somos chamados a descobrir Cristo neles: não só a emprestar-lhes a nossa voz nas suas causas, mas também a ser seus amigos, a escutá-los, a compreendê-los e a acolher a misteriosa sabedoria que Deus nos quer comunicar através deles" (Evangelii gaudium, 198). E mais, toda ação caritativa cristã deve ser iluminada pelas palavras de Jesus: "todas as vezes que fizestes isso a um destes meus irmãos mais pequeninos, foi a mim mesmo que o fizestes" (Mt 25,40).

E neste dia que para mim é também de jejum e abstinência de carne, de reflexão sobre o dever da conversão, da mudança de vida, tendo presente a transitória e frágil vida humana, entristecido pelos fatos que nos cercam e eticamente indignado, recordo que o capítulo VI do Código Penal Brasileiro, referente ao ultraje público ao pudor, tipifica o ato obsceno como crime:

       "Art. 233 - Praticar ato obsceno em lugar público, ou aberto ou exposto ao público:
Pena - detenção, de três meses a um ano, ou multa."

Assim, o bem jurídico tutelado pelo artigo 233 do Código Penal Brasileiro é o pudor público. A sociedade brasileira tem o direito de ser respeitada no sentimento do pudor e da sua dignidade. A lei positiva protege a moralidade pública e o pudor público.

O sujeito ativo do delito é qualquer pessoa, do sexo masculino ou feminino, autor da prática de ato obsceno em lugar público, ou aberto, ou exposto ao público – sendo admitida a possibilidade de concurso de pessoas. Já o sujeito passivo é a coletividade (pudor público) ou qualquer pessoa que presencie o ato.

A palavra obsceno é oriunda do latim ob ou obs (a causa de) e coenum, tradução do grego ?oinón (imundo). Ato obsceno, elemento normativo extrajurídico ou empírico-cultural, representa, assim, uma conduta positiva do agente, com conteúdo sexual, atentatória ao pudor público, suscitando repugnância.

Mas para os que dirigem e trabalham no matutino paulistano Folha de S. Paulo e no seu portal Uol, no grupo Globo (Cbn mix, Gnews, Tv Globo, O Globo, época, ...), editora Abril(Veja, ...) e outros veículos de comunicação, o criminoso é quem denuncia o crime.

Para os integrantes dos grupos de mídia acima citados e outros assemelhados, um homem, ao completar 40 anos, manter conjunção carnal com uma menina virgem de 13 anos, desde que seja um 'artista famoso', não é ato reprovável e muito menos crime. A própria Folha de S. Paulo divulgou que a menina de 13 anos que foi violada, confirmou o fato.

De forma documentada, apresento alguns fatos que comprovam a guerra suja e não declarada dos principais veículos de comunicação e de grupos de renegados sociais contra o cristianismo na Terra de Santa Cruz, nome dado ao Brasil pelos portugueses, logo após a chegada de Pedro Álvares Cabral, com o objetivo de refletir o sentido da propagação da fé cristã:

FATO I
Milhares de crianças, em horário de aula, foram conduzidas pelas suas escolas à exposição Queermuseu, em cartaz durante quase um mês no espaço Santander Cultural, em Porto Alegre/RS, e cancelada, no dia 10 de setembro de 2017, depois de 100 mil correntistas fecharem suas contas no banco Santander, além de manifestação de milhões de brasileiros decentes nas redes sociais e milhares protestarem no local, contra a profanação de símbolos religiosos e explícita promoção da pedofilia, zoofilia, prostituição infantil, e outros tantos relacionamentos sexuais que fogem aos mais básicos princípios de moralidade como modos normais de vida, como a relação sexual de dois homens com uma ovelha, uma mulher com um cachorro e dois homens introduzindo seus pênis na boca e no ânus de um homem negro. As obras apresentavam blasfêmias contra símbolos religiosos, como hóstias nas quais escreveram palavras de baixo calão, além de imagens que profanaram o símbolo maior da fé cristã, Jesus crucificado, integrando um conjunto de obras ofensivas e de mau gosto como a Virgem Maria segurando um macaco, representando Jesus Cristo.

O evento foi organizado com a utilização de R$ 850.560,00 (oitocentos e cinquenta mil e quinhentos e sessenta reais) de recursos públicos (Lei Rouanet).

Mais uma vitória dos que pensam a Revolução Cultural, que sabem que seu trabalho deve ser feito de forma lenta, gradual, dando a impressão de naturalidade, ou seja, dando a impressão de que a sociedade caminha assim naturalmente. O marxismo cultural, no Brasil, já conseguiu a hegemonia cultural e da mídia. Pela política da dominação de espaços, já controlam a classe falante (jornalistas, cineastas, psicólogos, padres, promotores de justiça, juízes, políticos, escritores), que é formada no pensamento do marxismo cultural.

Assim, sob a hipócrita máscara da "liberdade de expressão", alunos do ensino fundamental foram conduzidas a uma exposição na qual, smj, seus organizadores incorreram nos crimes previstos nos artigos 208 e 234 do Código Penal e no artigo 241 do Estatuto da Criança e do Adolescente. O "curador" da exposição Queermuseu é Gaudêncio Cardoso Fidelis, candidato do Partido dos Trabalhadores (PT) à Câmara dos Deputados, sob o nº. 1308, e que recebeu a consagradora votação de 4.521 (quatro mil e quinhentos e vinte e um votos, 0,08% dos válidos) em 7 de outubro de 2018, seu grupo - hoje hegemônico na cultura, mídia, sistema de justiça, universidades e outras áreas - está em guerra, promovendo a destruição das três colunas da civilização ocidental: a fé cristã, o direito romano e a filosofia grega, tudo é válido e permitido.

Nós propomos o encontro de Jerusalém, Atenas e Roma, significando a fé no Deus de Israel, a razão filosófica dos gregos e o pensamento jurídico de Roma em contraposição ao marxismo cultural, que preconiza a destruição da família e da civilização ocidental através da derrubada - em nome de falsos direitos humanos - da fé cristã, do direito romano e da filosofia grega, as três colunas da civilização ocidental.

Mas os adeptos do marxismo cultural aclamam o curador como ícone da "liberdade de expressão".

FATO II
No saguão de entrada do Instituto de Ciências Humanas (ICH) da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) uma jovem nua se masturba na escadaria em frente ao prédio ICH, na rua Alberto Rosa, em 26 de outubro de 2015. Outras fumavam maconha e consumiam bebidas alcoólicas dentro e fora do saguão do prédio da Universidade Federal de Pelotas, sem serem contidas. O ato iniciou por volta do meio-dia e se estendeu ao longo da tarde e da noite. Algumas mulheres nuas ou com os seios à mostra urinavam em baldes e jogavam a urina nas paredes do prédio da UFPel. Os manifestantes impediram o acesso ao edifício e a Universidade Federal decidiu suspender as aulas. Em nota, a UFPel aponta que "verificou a incompatibilidade da manifestação com as aulas, o que motivou a suspensão das atividades didáticas". As aulas na Faculdade de Educação e do Instituto de Filosofia, Sociologia e Política (IFISP) também foram suspensas.

FATO III
A XXVIII Jornada Mundial da Juventude (JMJ), realizada de 23 a 28 de julho de 2013 no Rio de Janeiro, segundo dados oficiais, reuniu 3,7 milhões de participantes, inclusive vários Chefes de Estado. No sábado, dia 27 de julho de 2013, a autoproclamada 'Marcha das Vadias' foi realizada próximo ao Altar Central, na Praia de Copacabana, onde o papa Francisco presidia os atos da histórica Jornada. Os integrantes da 'Marcha das Vadias' cobriram seus órgãos genitais com a imagem de Jesus Cristo; chutaram, pisotearam e destruíram cruzes e crucifixos; destruíram duas imagens de Nossa Senhora, simularam relações sexuais e se masturbaram com as cruzes e imagens diante dos peregrinos, inclusive crianças.

No mês anterior, com status de 'representante do povo' e das 'mulheres brasileiras', a presidente Dilma Rousseff (PT) recebeu no Palácio do Planalto as organizadoras da 'Marcha das Vadias', em reunião realizada no dia 28 de junho daquele ano.

Também os deputados do Partido dos Trabalhadores (PT) homenagearam a 'Marcha das Vadias', concedendo a uma das articuladoras da marcha o título de 'EDUCADORA', em Sessão Solene da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro.

FATO IV
Em 31 de outubro de 2015, o cartão-postal da cidade de São Paulo, a Catedral da Sé amanheceu tomada por pichações favoráveis ao aborto, com frases como 'Útero laico', 'Tire seus rosários dos meus ovários', 'Útero livre', 'Aborto sim' e 'Se o papa fosse mulher, o aborto serial legal', após manifestação contra o projeto de lei 5.069/2013 que, entre outras medidas, visa a fazer cumprir o que dispõe expressamente a legislação brasileira sobre o 'aborto legal' e restringe a venda de medicamentos abortivos no país. A manifestação iniciou na Avenida Paulista e terminou por volta das 21h30 em frente à Catedral da Sé. Segundo cálculo da Polícia Militar, o ato reuniu três mil participantes.

Estudantes de direito, de enfermagem, de análise de sistemas e outros jovens se organizaram por meio de grupos nas redes sociais e chegaram cedo à Catedral, na manhã de Domingo (1º. de novembro de 2015), munidos de removedor de tinta e detergente neutro. Todos se declararam apartidários, cristãos em defesa da vida e limparam as pichações a favor do aborto. Os jovens foram recepcionados pelo Arcebispo Metropolitano de São Paulo, o cardeal Dom Odilo Pedro Scherer, na escadaria da Catedral. Uma organizadora da manifestação que resultou no ataque à Catedral atacou o cardeal Dom Odilo Scherer, por ter se deixado fotografar ao lado de jovens com pequenos cartazes de valorização da vida e contra o aborto.

Como sabemos, a Catedral Metropolitana Nossa Senhora da Assunção e São Paulo constitui monumento arquitetônico-artístico de referência para a cidade de São Paulo. Está localizada diante do marco zero da cidade. É edifício religioso que simboliza a fé cristã professada pela Igreja Católica. É também casa para todos. Diariamente entram na catedral centenas de pessoas de culturas e credos variados que são acolhidas fraternalmente.

FATO V
Um grupo de feministas adeptas do 'anarcofunk', a autointitulada banda 'Putinhas Aborteiras' se apresentou na TVE do Rio Grande do Sul, às 18h30min do dia 5 de maio de 2014, na gestão do então governador Tarso Genro (PT). A banda combinou a batida do funk com letras repletas de palavrões, críticas à Igreja Católica e referências sexuais. Mesmo com o linguajar chulo e de baixo nível e da exposição a crianças, a TV pública convidou as 'Putinhas Aborteiras'. Será adequado a TV EDUCATIVA abrir espaço, às 18h30min, para uma banda que prega abertamente a promiscuidade, o vandalismo e a violência? E a agressão praticada pela banda ao papa Francisco e aos demais cristãos é aceitável?

FATO VI
Contratados da Rede Globo debocham de Maria, mãe de Jesus Cristo, inclusive gravando um vídeo, que foi um dos mais rejeitados nos últimos anos. No vídeo, alguns atores defenderam abertamente o assassinato das crianças que estão por nascer e ridicularizaram o fato de Maria ter gerado e gestado, sendo virgem, seu Filho Jesus. Além de cometerem pelo menos um delito neste vídeo, a saber, incitação ao crime (promover o aborto é promover um crime!) e atentar contra nós crentes, vilipendiando nossa fé, as "estrelas" da televisão deste país mostram-nos algo bem maior: seu desespero, pois sua ideologia de morte está perdendo terreno cada dia mais.

FATO VII
O Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM) realizau o "35º. Panorama da Arte Brasileira – 2017", exposição com curadoria de Luiz Camillo Osorio, de 26 de setembro a 17 de dezembro de 2017.

Em uma das instalações, os visitantes – incluindo as crianças – são convidados a tocar o coreógrafo Wagner Schwartz, o qual se encontra nu. De acordo com o site do MAM, "o coreógrafo apresenta La Bête, performance em que ele se torna um Bicho de Lygia Clark e pode ser manipulado pelo público".

O MAM – local da exposição onde crianças podem tocar um homem nu – foi financiado com o dinheiro dos pagadores de impostos por meio da Lei Rouanet. O principal "incentivador" do museu no ano de 2017 – a empresa que capta os impostos estatais dos seus clientes para destinar aos projetos aprovados pelo governo – é o Banco Itaú. Além de financiador, uma de suas herdeiras do banco, Maria de Lourdes Egydio Villela – a "Milu Villela" – presidiu o MAM naquele ano.

CONCLUINDO ...

A Folha de S. Paulo e o seu portal Uol, o grupo Globo (Cbn mix, Gnews, Tv Globo, O Globo, Época, ...), editora Abril (Veja, ...) e outros veículos de comunicação aplaudiram entusiasticamente os protagonistas dos fatos acima relatados "como sendo atos da mais elevada arte e cultura, basilares de nova civilização" por eles apregoada, como sucedânia da civilização ocidental judaico-cristã.

A Tv Globo foi mais longe. Uma matéria - com a duração de 16 minutos e 56 segundos, do programa "Fantástico", que foi ao ar no dia 08 de outubro de 2017, domingo que iniciava a semana que seria marcado pelo Dia da Padreira do Brasil, após atacar violentamente o Padre Paulo Ricardo e o Pastor Silas Malafaia - foi finalizada com uma espécie de editorial, no qual o personagem que no dia que completou 40 anos manteve conjunção carnal com uma menina virgem de 13 anos, "explicava" que os fatos acima informados se tratavam "apenas de manifestações artísticas", deixando claro que quem não concordava com tais situações eram uma espécie de seres antissociais, obscurantistas e por aí vai. E a Tv Globo, na mesma matéria, deu largos espaços para pseudos líderes cristãos, que deixavam claro que os fatos acima relatados eram "normais', sob a alegação de que Jesus ensinou "amai-vos ...".

Assim, se a pretensão dos principais veículos de comunicação e dos grupos de renegados sociais for vitoriosa, praticar toda ordem de depravação de costumes, libertinagem, licenciosidade e devassidão deve merecer entusiásticos aplausos de todos. Mas quem ousar denunciar este estado de coisas, deve ser punido exemplarmente.

Se é verdade que a nossa luta é de Davi contra Golias, pois eles detêm a grande mídia, o dinheiro e a fama, nós detemos a verdade, algo que fala direto ao coração humano. Mas, assim como eles não descansam na busca de seu objetivo sórdido, muito mais nós – cidadãos comuns - devemos nos empenhar por um país decente.

Apesar de toda tentativa de se relativizar a verdade, todo homem e mulher de boa vontade podem concluir que, na realidade, existe um referencial claro, que é o esplendor da verdade contida nos Mandamentos da Lei de Deus, proclamados no Sinai, os quais proclamam a verdadeira humanidade do ser humano e enunciam as exigências do amor de Deus e do próximo, mandamentos que resumem a lei divina natural, válida para todos os povos e todas as crenças, e que foram elevados até ao máximo nível do amor pelos ensinamentos e o exemplo de Jesus Cristo que, verdadeiramente, nos trouxe a luz da vida.

E tenho dito.
Brusque-SC, Quarta-feira de Cinzas do ano da graça do Senhor de 2019.


Paulo Vendelino Kons, 49, bacharel em Administração pela Universidade Regional de Blumenau (FURB) e integrante do quadro permanente de servidores efetivos do município de Brusque/SC desde 1989 -

       

Compartilhar

Artigos de outros autores