Puggina.org by Percival PugginaConservadores e Liberais

Artigos do Puggina

Voltar para listagem

A DITADURA MARXISTA NA EDUCAÇÃO

por Percival Puggina. Artigo publicado em

 

 Durante décadas, vivemos sob ditadura marxista no ambiente acadêmico. Era marxista a chave de leitura para todos os fenômenos sociais, históricos, políticos e econômicos. Eram marxistas os parâmetros curriculares, a bibliografia, os referenciais teóricos, as provas, as respostas aceitas como corretas e as teses. Todo o ensino se abastecia na mesma padaria, e todo pão do saber era servido com fermento marxista. Descendo os degraus para os demais níveis, multidão de professores do ensino médio e fundamental, nutrida do mesmo pão, servia do que lhe fora dado. E assim se formavam jornalistas, mestres, doutores e alfabetizadores. Marx no topo e Paulo Freire na base. A alfabetização, que era feita em poucos meses no primeiro ano do ensino fundamental não se completa em três anos. E 63% da população é analfabeta funcional. Eis é a excelência em injustiça social!

 No Brasil, felizmente, o engodo marxista caminha para extinção. Mundo afora, em 150 anos de história, só produziu caca. Suas deficiências estão sendo escancaradas, entre nós, por três avanços tecnológicos: internet, redes sociais e IPhone. Através desses novos meios, abrem-se ao brasileiro comum, em especial aos jovens, novos horizontes e melhores fontes de conhecimento. Méritos a Olavo de Carvalho e seus alunos. Mérito aos conservadores e liberais que se organizam com o intuito de enfrentar a hegemonia cultural marxista imposta ao país ao longo de décadas. Méritos aos novos escritores, jornalistas, pensadores e blogueiros que emergem das trevas, portando as minhas esperanças e formando uma nova elite, em tudo superior a que pavimentou o caminho de Lula e dos seus.

Desejo pronta recuperação a quem tem enxaqueca e convulsões ante essas duas palavras - "liberais" e "conservadores". Mas eu precisava fazer este anúncio para dizer que a situação começa a mudar. Quem o diz é a voz das ruas e são os fatos que o indicam. É nítido o mal-estar instalado em setores significativos do mundo acadêmico e do jornalismo brasileiro, habituados a falar sem contraditório. A percepção de que o marxismo e a esquerda perdem fieis e ganham oposição consistente na sociedade onde haviam construído hegemonia está desestabilizando muita gente que já começa a falar em guerra! Políticos habituados a assassinar reputações, assistem o suicídio da própria. No fundo, prefeririam que as posições estivessem invertidas. Então, bradariam por impeachment e estariam dizendo, dele, aquilo que de fato é: um meritório instituto, concebido para lembrar ao governante que pode muito, mas não pode tudo. O crescente descrédito do marxismo e o desprestígio do governo são duas boas notícias para a Educação no Brasil.

Zero Hora, 26/04/2015


 

Compartilhar

Comentários

Nelson Filho .

Falta corrigir a distorção do ENEM: https://aprendicomoenem.wordpress.com

Gustavo Pereira dos Santos .

Boa noite, professor Didmo Matos. Gostei do seu video sobre o paulofreirismo, com as seguintes ressalvas: i) deu certo em Garanhuns - PE, berço de um APEDEUTA BÊBADO PORCO, estuprador de cabritas (dito pelo próprio), pai e professor de um LEITÃO genial, que em um ano foi promovido de limpador de fezes de ANTA em zoológico para CEO de uma multinacional bilionária. ii) formou doutora uma ANTA, especialista em falsificação de diploma e assassina da última flor do lácio. Um abraço, Gustavo.

Gustavo Pereira dos Santos .

Acho que a Sra. Torinho não leu a Constituição. Não sabe que a ANTA perdou dívidas e enviou várias vezes dinheiro para ditaduras esquerdopatas SEM AUTORIZAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL. Sinto pena dos alunos da Sra. Torinho. Constituição Federal de 1988 Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL. Art. 49. É da competência exclusiva do Congresso Nacional: I - resolver definitivamente sobre tratados, acordos ou atos internacionais que acarretem encargos ou compromissos gravosos ao patrimônio nacional; II - autorizar o Presidente da República a declarar guerra, a celebrar a paz, a permitir que forças estrangeiras transitem pelo território nacional ou nele permaneçam temporariamente, ressalvados os casos previstos em lei complementar;

Andre Michelato .

Que visão minimalista e retrograda. Primeiramente nós vivemos uma hegemonia do positivismo no mundo, há mais de dois séculos, e quando falam de Marx me parece que nunca leram efetivamente Marx. Não sou de colocar dois pesos, duas medidas, assim como Marx, Emilie Durkheim, um excelente positivista, são importantes para o entendimento do que vem a ser a realidade social, econômica, política, cultural...desta modernidade que cada vez mais esta acelerada e altera aquilo que temos de mais precioso, a vida!!! Deixem de ser tão ideologicamente cartesianos, se abram para as possibilidades de analises que existem...ou melhor, vão ler...

Antonio Jacques .

Parabéns, comentários sempre de alto valor! Também falo, de a muito, que a oferta de novas tecnologias entre nós (nternet, redes sociais e IPhone), desses novos meios, ajudarão o povo a ter uma visão mais abrangente, realista e esclarecedora dos fatos.

Márcio .

Émile Durkheim, Max Weber, Georg Simmel, B. Malinowski, E. E. Evans-Pritchard, Franz Boas, Marcel Mauss, Claude Lévi-Strauss, Norbert Elias, Gaetano Mosca, W. Pareto, R. Michels, Raymond Aron, Mancur Olson, E.E. Schattschneider, C. Wright Mills, T. Parsons, H. Lasswell, Charles Lindblom, Michel Foucault, Pierre Bourdieu... bom, cansei, poderia citar mais uns 50 desses "marxistas" que me forneceram "a chave de leitura para os fenômenos sociais, históricos, políticos e econômicos". Isso no curso "marxista" de Ciências Sociais na UFRGS.

EduardoG .

Ao Ariosto Azevedo, O problema é que você possivelmente pertença aos 63%. O autor deixou claro (como se fosse preciso) que o marxismo entra como pano de fundo, chave de interpretação para fenômenos diversos. Ele não disse que o marxismo vem sendo ministrado formalmente nas escolas. Outro ponto: economia, hoje em dia, é ciência exata. O marxismo não consegue dialogar com os fatos e com a verdadeira ciência, pois é falacioso e cheio de pressupostos falsos.

Genaro Faria .

Incautos, ingênuos ou simplesmente cretinos fundamentais - para lembrar o saudoso Nelson Rodrigues - são presas fáceis de um engano atroz. Eles pensam que socialismo é sinônimo de cristianismo ou, na pior das hipóteses, de adoção daquela doutrina do movimento hippy, de desconstrução dos valores da sociedade americana: wasp - acrônimo de white, anglo-saxon and protestant ( branco, anglo-saxão e protestante). E os mais alienados acreditam que seu objetivo é a ditadura do proletariado. Ora, a revolução russa não foi feita por operários e camponeses, mas por militares conduzidos pela intelectualidade bolchevique e financiados pelo kaiser alemão, em guerra contra o czar. O próprio Lênin escreveu que fizera a revolução para os operários que dali a 30/50 anos surgiriam na Rússia até então dominada por uma economia agrária. E nem mencionou os camponeses, que ele desprezava como mujiques ignorantes. Quanto ao desapego da família, da propriedade e das tradições culturais da pátria, ninguém mais que um marxista preza a família, a propriedade e o Estado, desde que este seja um bem do partido no qual milita - destinado ao usufruto coletivo dos comissários - e aquelas sejam as próprias, que eles defendem com unha e dentes da cobiça alheia. São esses conservadores do tempo dos faraós, dos imperadores romanos e dos senhores feudais que investem contra a democracia e a economia liberal louvando-se como revolucionários progressistas. Mas o ensino do marxismo não contempla essa contradição, até porque não se fala nele de Karl Marx ou de qualquer outro guru materialista histórico. Sua catequese profana é tão sutil, insidiosa e dissimulada que chega a pregar a sedição em nome de Cristo. Que os inocentes úteis (expressão de Lênin) façam o que eles fazem e esqueçam o que dizem. Prezem a família e a propriedade, mas lembrem-se de que o Estado não pode ser deus de uns poucos eleitos - os sócios de carteirinha do partido hegemônico. E também atentem que a riqueza deve ser fruto do próprio suor, não pode ser do suor alheio. Finalmente, procurem entender que o direito de escolher o governante implica a transmissão pacífica e consensual do poder somente acontece numa democracia. E que essa foi uma conquista admirável que custou séculos, milênios de História e rios de sangue à humanidade. É nosso dever repassar essa conquista aos nossos filhos e netos. Certamente eles não irão nos perdoar se a perdermos e retrocedermos a História para que sejam governados pelo mesmo ditador vitaliciamente, ou até que este passe o cetro do poder a algum membro da sua dinastia.

jucelia maria hammerschmidt wisnieski .

Dilma forjou próprio lattes dizendo ser mestre e doutora. Não é. outubro 16, 2010 às 9:29 pm | Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário Descobriu-se que, na Plataforma Lattes do CNPq, que abriga currículos de professores universitários e pesquisadores de pós-graduação, o currículo de Dilma Rousseff registrava um mestrado e um doutorado em economia. Até o título da tese de mestrado estava lá. Este currículo estava também estampado nas páginas do Ministério das Minas e Energia e da Casa Civil. Era falso. Dilma Rousseff não concluiu o mestrado, não defendeu tese. Não concluiu o doutorado. Não defendeu tese. Confrontada com a realidade, ela reagiu dizendo que não sabia quem tinha invadido a Plataforma Lattes e as páginas do governo para escrever mentiras no seu currículo. Para inscrever o currículo na Plataforma Lattes é necessário uma senha individual. Tudo bem, um hacker poderia ter invadido as páginas. Invadem até o site do Pentágono! Mas a ministra Dilma Rousseff compareceu duas vezes ao programa Roda Viva, da TV Cultura, em 2004 e em 2006. O vídeo dos dois programas circula na internet. Para os que não estão familiarizados com o programa, no início o âncora lê o currículo do convidado. Nos dois o jornalista Paulo Markun lê o currículo falso de Dilma Rousseff. E ela ouve sem mover um músculo. Impassível. Nem pisca. Depois de apanhada, mandou retirar das páginas do governo as menções a um mestrado e um doutorado. Falsos.

Oswaldo Alves de Siqueira Júnior .

Prezado Percival, Quem sabe não seria adequado aplicar o provérbio popular que ensina: "Contra mordida de cobra, veneno de cobra". Uma franca alusão de que o antídoto ao veneno ofídico é processado a partir do próprio veneno da cobra. Me explico. A falência das ideias e métodos marxistas está mais que decretada pela prática insistente de impor teorias e regras frontalmente contra a natureza do Homem, para alcançar o que pretendem ser o melhor destino para o Homem. Dito isto, penso que talvez ajudasse a asfixiar de vez a praga, demonstrar em matéria curricular os porquês do fracasso econômico e social, com graves sequelas intelectuais, dos "modelos" pseudo socialistas. Marx e seus acólitos seriam alinhados, um a um, no "paredão" do bom senso e da realidade constatada, histórica, e então, sumariamente "fuzilados".

Ariosto Azeredo .

Fiz Economia na UFRGS e só tinha 2 cadeiras sobre Marx, uma obrigatória e outra opcional. Em nenhuma outra cadeira se falava em Marx, e estou falando em curso de Economia. Na provas para Pós-Graduação da ANPEC, para cursos de Economia em dezenas de Universidades Brasileiras não cai uma única pergunta ou comentário sobre Marx ou Marxismo. E parabenizar Olavo de Carvalho?

Fabiano Lorenzon .

Puggina, muito bom seu comentário. Estamos organizando o Movimento Dogma: Fora Paulo Freire para questionar o verdadeiro "DOGMA" que é o Paulo Freire para as professoras. Abraços e obrigado pelo artigo. Fabiano Lorenzon Porto Alegre/RS

Miguel .

Cursei três anos de Geografia em uma Universidade federal de Minas Gerais e enojante a doutrinação Marxista e Gramisciana nas Universidades Federais no Brasil. Eu era uma voz única a questionar os mestres, doutores de quem escutei muitas asneiras, que só faziam sucesso no meio de jovens desinformados, que aprendem jargões, tipo você não está preparado intelectualmente para o assunto, não me foi apresentado um único autor liberal como Ludowig Von Mises, Adam Smith ou qualquer outro, somente esquerdistas Karl Marx que para muitos desses mestres é o maior ser humano que já existiu. O bom que vejo muita gente, muitas pessoas reagindo a tais besteiras e doutrinação.

Dídimo Matos .

Um vídeo meu sobre o assunto. https://www.youtube.com/watch?v=QBp7ZyJIAbA

Odilon Rocha .

Prezado Professor O que mais impressiona é como, por tanto tempo, com enormes atrocidades e desvarios, esse engodo cegou tanta gente. Ainda mais por gente com estudo e um ótimo grau de discernimento. Pessoas que chegaram mesmo a nos causar perplexidade e decepção. Sim, Puggina, concordo contigo. Os dias desta nefasta ideologia está com os dias contados. Mas não nos enganemos tanto assim! Mantenhamo-nos sempre em alerta. A vertente gramsciana, dita "transformadora" da humanidade, aquela do 'um outro mundo possível', subliminar, ainda se faz presente em muitos aspectos. Não deixemos chegar ao ponto da 'sídrome de Estocolmo'. Abraço e uma ótima semana
1/2
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Artigos do Puggina