Puggina.org by Percival PugginaConservadores e Liberais

Artigos do Puggina

Voltar para listagem

A PEDOFILIA VAI À ESCOLA

por Percival Puggina. Artigo publicado em

 

 Você já parou para pensar sobre o motivo dessa farta produção de literatura voltada à educação sexual nas escolas? Não vou nominar obras para não fazer publicidade de lixo pedagógico, mas há de tudo. O famoso kit gay não foi o primeiro nem o último material pernicioso. O Ministério Público chegou a intervir, em alguns casos, para impedir a distribuição. Há publicações que, explicitamente, estimulam experiências auto-eróticas, heterossexuais e homossexuais. Um desses livrinhos vem com a recomendação, aos pequenos leitores, de que devem conservar o referido "material escolar" fora do alcance dos pais...

 A questão que me interessa aqui é a existência de uma pedagogia da educação sexual que anda a braços com a pedofilia. É estarrecedor. Todo esse material que de um modo ou de outro chegou a alunos ou a bibliotecas de escolas tem rótulo de coisa pedagógica. Quando suscita escândalo, é defendido com a afirmação de estar destinado a professores ou a adolescentes. Falem sério! Professores e adolescentes precisam de livro sobre sexualidade, com figurinhas para público infantil?

Estamos, portanto, diante de algo sistemático, reincidente e renitente, que passa por cima, atropelando ("problematizando", para usar palavra da pedagogia marxista) a orientação dos pais. Essa educação sexual, se não está empenhada em antecipar o processo de erotização no desenvolvimento infantil, está dedicada a algo tão parecido com isso que se torna impossível perceber a diferença. Se não está dedicada a disseminar a ideia de que o corpo humano, já na mais tenra idade, é um parque de diversões eróticas, o produto de seu trabalho será inequivocamente esse. Se não pretende oferecer a crianças e adolescentes um cardápio de opções sexuais para escolherem como sanduíche no balcão do McDonalds, é a isso que levam suas propostas.

A simples ideia de que tais orientações encontrem guarida em receitas pedagógicas no ambiente acadêmico e educacional do país é repugnante. No entanto, já em 1998, no capítulo sobre Educação Sexual do documento intitulado "Parâmetros Curriculares Nacionais" elaborado pelo MEC, lê-se que (pag. 292):

"Com a ativação hormonal trazida pela puberdade, a sexualidade assume o primeiro plano na vida e no comportamento dos adolescentes. Toma o caráter de urgência, é o centro de todas as atenções, está em todos os lugares, na escola ou fora dela, nas malícias, nas piadinhas, nos bilhetinhos, nas atitudes e apelidos maldosos, no “ficar”, nas carícias públicas, no namoro, e em tudo o que qualquer matéria estudada possa sugerir."

Ora, isso não parece exagerado? Talvez quem redigiu o texto acima padeça de tão solitário e totalizante apelo. Na faixa etária mencionada, os interesses são bem diversificados. Entre eles se incluem também os esportes, a escola, a turma de amigos, os jogos de computador e a própria família. Mais adiante, o texto afirma (pag. 296):

"Nessa exploração do próprio corpo, na observação do corpo de outros, e a partir das relações familiares é que a criança se descobre num corpo sexuado de menino ou menina. Preocupa-se então mais intensamente com as diferenças entre os sexos, não só as anatômicas, mas todas as expressões que caracterizam o homem e a mulher. A construção do que é pertencer a um ou outro sexo se dá pelo tratamento diferenciado para meninos e meninas, inclusive nas expressões diretamente ligadas à sexualidade, e pelos padrões socialmente estabelecidos de feminino e masculino. Esses padrões são oriundos das representações sociais e culturais construídas a partir das diferenças biológicas dos sexos, e transmitidas através da educação, o que atualmente recebe a denominação de “relações de gênero”. Essas representações internalizadas são referências fundamentais para a constituição da identidade da criança."

Está aí a ideologia de gênero e a subsequente revogação que pretende promover da anatomia, da genética e dos hormônios, cujos efeitos estariam subordinados a padrões sociais. Tá bom! E o texto segue afirmando o direito das crianças ao prazer sexual, a naturalidade das manifestações e "brincadeiras" explícitas, de quaisquer natureza, às quais, na escola, se aplicaria apenas a jeitosa informação de que o ambiente não seria lá muito apropriado para isso. E adiciona: tais incontinências só deveriam ser levadas ao conhecimento dos pais quando "tão recorrentes que interfiram nas possibilidades de aprendizagem do aluno". É o legítimo caso em que o pedagogo, com objetivos desviados, erra pelo que ensina e erra pelo que deixa de ensinar.

________________________________
* Percival Puggina (71), membro da Academia Rio-Grandense de Letras, é arquiteto, empresário e escritor e titular do site www.puggina.org, colunista de Zero Hora e de dezenas de jornais e sites no país, autor de Crônicas contra o totalitarismo; Cuba, a tragédia da utopia; Pombas e Gaviões; A Tomada do Brasil, integrante do grupo Pensar+.

 

Compartilhar

Comentários

Welington Heringer .

. Nojento, asqueroso!!! . Eu apanhei de minha mãe por falar palavras sujas (à época, os costumes eram outros; as palavras sujas eram brincadeirinhas pras crianças de hoje) pras colegas de colégio, ainda no primário. . É o Manuel Gramisciano ... .

Maria Isabel Girardi .

Excelente comentário sr Puggina ,como sempre claro e elucidativo.

Carlos Eduardo .

Muito do resultado desse constante e quase silenciosa atuação de instituições de ensino estão aí nas ruas para quem quiser ver. Além disso, há uma omissão absurda dos pais em relação aos filhos. Não sabem o que os filhos fazem no colégio, que matérias eles aprendem, se tem trabalhos ou temas, não observam comportamento e muito menos tomam algum tipo de atitude quando as coisas não estão bem. Se omitem em relação aos filhos e em relação ao colégio dos filhos. Está sendo criada e proliferada uma geração cada vez maior de inúteis, irresponsáveis, drogados, alcoólatras e "otras cositas mas".

Percival Puggina .

Não é a Igreja como tal, meu caro Dirceu. São muitos bispos e é, como consequência da ação de muitos e da omissão de tantos, a CNBB. Ela é, apenas, um órgão de coordenação pastoral que, há muito tempo, se tornou caudatária do PT.

Dirceu Guerra .

Sem querer ser um anjo, esses "pedagogos" que redigiram tais materiais deviam serem levados a praça pública e lá levar os pais das crianças que receberiam esses materiais e esclarecimentos para que fizessem o que achassem melhor. E a igreja? Sempre tão preocupada com a integridade da família? Calada para não dizer muda. Está totalmente conivente com o que aí está, o que cada vez mais deixa a entender o quanto comunista ela é. São mesmo canalhas que merecem chibatas.

Gildo Oliveira .

Estão confundindo ,propositalmente, Educação com Ensino. E o que mais me espanta é a omissão dos pais. Na escola estadual em que meu neto de 11 anos estuda, a professora mandou como tema , 5 folhas sobre sexo, para que ele preenchesse pesquisando na Internet. Quando vi o que estava no contexto, mandei que apagasse o que ele tinha feito e junto com os textos em branco, mandei à professora uma carta , e nela o meu repúdio e uma "sutil" ameaça de que se insistisse eu a processaria por dano moral ; minha base era a cartilha do ECA em seu artigo II . Dois dias depois mandou me chamar e me pediu desculpas, dizendo que havia se aprofundado um pouco. Resumo, não houve mais as ditas aulas segundo meu neto. Ah , o diretor me disse que eu fui um dos poucos que reclamou. Minha resposta foi: - provavelmente os outros pais não saibam. E que eram ordens superioras. Querem tirar a inocência das crianças, por quê ?

João Jorge Ledur .

de JOÃO JORGE LEDUR , em 22 JANEIRO 2016 Prezado Senhor PUGGINA : Sobre o texto A PEDOFILIA VAI À ESCOLA ( ... uma pedagogia da educação sexual que anda a braços com a pedofilia. ) , temos os RISCOS que segue: 1 ) RISCO . A obstinação de ensinar a sexualidade , a opção sexual , consiste em estarmos dando liberdade aos pedófilos para agirem contra os menores sem serem punidos . Os pedófilos podem alegar que estão ajudando a criança se identificar sexualmente . Se os “hábitos e costumes” for alterado para pior , se for aceito a liberdade sexual de adultos com crianças , o bacanal vai ficar NORMAL . NORMAL , como dizem os doutrinadores que fazem lavagem cerebral em prol do poder de dominação e permanente . Uma Sociedade bagunçada é uma Sociedade frágil para o exercício da cidadania . Que cada cidadão se identifique sexualmente sem interferência Estatal . O Cidadão não é propriedade do Estado e / ou do Governo . NOTA : A matéria “QUEREMOS REPRESSÃO !” , de DAVID COIMBRA ( jornal ZERO HORA de 21 JAN 2016 , página 47 ) é um louvor a uma “Sociedade Regrada” , disciplinada . Vale a pena a leitura .

Genaro Faria .

De pedólogos eram chamados os escravos que acompanhavam as crianças no percurso entre a escola e a casa das famílias dos cidadãos atenienses. E a evolução semântica do vocábulo os transformou em professores, rendendo assim àqueles infelizes uma homenagem póstuma etimológica. Como o marxismo é um método de entronização no poder de uma classe dominante, que na União Soviética era conhecida como nomenklatura - formada pelos apparatchiks bolcheviques liderados por Lenin e sucessores do Kremlin - e tudo em que tocam subverte-se deploravelmente, os novos pedólogos se perverteram em pedófilos. Eles, os marxistas, amam tanto as crianças que as querem libertadas da opressão da família e da repressão sexual. É assombroso constatar que essa macabra insanidade está em marcha batida enquanto a sociedade "pisa os astros distraída" neste barracão de zinco dos "morros malvestidos".

Leonardo Melanino .

Esta dita "educação afetivo-sexual" escolar, se é que chamam isto de educação, é uma vergonha, segundo Boris Casoy diz. Anteoctodecimalidades não são épocas para afetividades, namoros ou romances, mas para estudos escolares e assim sucessivamente. Pedofilias não envolvem somente sexos, mas também afetividades. Elas começam com afetivizações e romantizações, antes das sensualizações. Então, aviso todos que escolas são lugares de Ciências, Educações Artísticas, Educações Físicas, Filosofias, Geografias, Gramáticas, Histórias, Literaturas, Matemáticas, Músicas e assim sucessivamente, não de afetividades, como afagos, amplexos, cócegas, euquímanos e ósculos, namoros e assim sucessivamente.

joao carlos nunes vargas .

Perfeito esta sua explanação Sr. Puggina.

Danuza Speltz .

A pergunta que sempre faço, embora não tenha filhos é: Onde estão os Pais omissos deste País, sim omissos , pois nada fazem a respeito, onde estão os Círculos de Pais e Mestres ( ou não existem mais ).

maria-maria .

Engana-se quem pensa que o marxismo se estabeleceu nesta republiqueta há 13 anos. Não há, entre as ações que nos afastam dos princípios que, esforçadamente, defendíamos na construção de nosso processo civilizatório uma única que não tenha sido gerada no governo FHC. O então sinistro da educação era um comunista de carteirinha, que introduziu Gramsci na universidade, daí contaminando todos os graus de ensino, além dos malfadados Parâmetros. A definição de terras indígenas, formando países dentro do país,o ministério da defesa entregue a um civil estuprador da Constituição (segundo ele mesmo se vangloriava), a criação do MST e ONGs espertalhonas a constrangedora reforma ortográfica, Os PNDH 1 e 2 formam o esteio sobre o qual o pt implantou o foro de são paulo, irmão siamês do diálogo americano

José Nei de Lima .

O estão fazendo com à Educação no país não tem explicação mas em algum dia na história ficará registrado que destruíram qualquer possibilidade de Desenvolvimento do Brasil, acorda povo com equilíbrio e vamos trabalhar e parar de travar à máquina do cérebro, um abraço, que deus vos abençoe.

Sergio Barreto de Sousa .

Como já comentamos anteriormente: "Quando uma sociedade não sabe distinguir o normal do anormal e não percebe a diferença do indivíduo de caráter sadio do malsão, os fundamentos dessa sociedade estão deteriorados. E como esse estado de deterioração não se reverte automaticamente, a degradação seguirá seu curso pela inércia".

Rodrigo Milani Fett .

Não se preocupem..... agora com o dinheiro do "Pré-sal", essa "educação" terá mais dinheiro para seus objetivos deseducadores!
1/2
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Artigos do Puggina