Puggina.org by Percival PugginaConservadores e Liberais

Artigos do Puggina

Voltar para listagem

AFINAL, QUEM É GOLPISTA?

por Percival Puggina. Artigo publicado em

 

Perderam a eleição para Bolsonaro porque preferiram atacá-lo em vez de se perguntarem por que o povo o seguia. Agora, pelo mesmo motivo, caçam fantasmas e conspiram contra ele.

 

 No noticiário desta manhã de segunda-feira, alguns veículos se desencaminharam e noticiariam sobre as carreatas ocorridas ontem em inúmeras cidades do país, descrevendo-as como “de apoio ao presidente”, “a favor do fim do isolamento”, “contra Rodrigo Maia”, “contra João Dória”. No entanto, para os grandes noticiosos da noite de domingo o que importava era exibir cartazes com que manifestantes pediram intervenção militar e lançaram maldições, anátemas e imprecações contra o Congresso e o STF. A cereja do bolo, porém, era o presidente da República falando a um grupo de intervencionistas. O G1 (Globo) reproduziu uma seleção de frases então proferidas pelo Presidente. O que disse ele?

"Todos no Brasil têm que entender que estão submissos à vontade do povo brasileiro. Tenho certeza, todos nós juramos um dia dar a vida pela pátria. E vamos fazer o que for possível para mudar o destino do Brasil. Chega da velha política", afirmou.

Bolsonaro falou aos manifestantes que podem contar com ele "para fazer tudo aquilo que for necessário para que nós possamos manter a nossa democracia e garantir aquilo que há de mais sagrado entre nós, que é a nossa liberdade".

Arrepiaram-se, fingidos, os barões assinalados. Era preciso induzir a população a temer o autor de frases tão simples e o perigo representado por não se sabe bem o quê. Então, acusaram-no de tossir uma vez e não fazê-lo sobre o cotovelo... Desabituados a usar palavras que expressem pensamentos reais, viciados com bastidores, useiros de conchavos e conspirações, grandes autoridades da República medem o presidente com sua própria escala. Não funciona.

Li hoje um artigo em que o autor, advogado e empresário Luiz Carlos Nemetz faz a seguinte resenha de patranhas belicosas do Congresso pilotado por Maia e Alcolumbre contra o presidente.

Deixou caducar as medidas provisórias do 13º do bolsa família, da carteira estudantil, da revogação do imposto sindical, da publicação de balanços; desfigurou completamente o pacote anticrime e de combate à corrupção; enfraqueceu a operação lava-jato com a lei de abuso de autoridade; articulou o aumento do fundo partidário e impediu seu uso para combate à COVID-19; aprovou o orçamento impositivo; não põe em pauta o marco do saneamento de gastos, da PEC emergencial 186/19 e do pacto federativo; junto com o Senado não vota a prisão em segunda instância dando chances para que a nata da aristocracia medieval corrupta não seja investigada, nem punida e, mesmo quando condenada, saia às ruas e goze a vida com os bilhões que roubaram.

Agora, neste exato momento, articula com os seus, a completa desfiguração do Plano Mansueto, que é um programa de acompanhamento e equilíbrio fiscal, que, em síntese, visa ofertar aos Estados uma solução para que consigam equilibrar suas folhas de pagamento e quitem suas despesas mais urgentes.

É estarrecedor que uma suposta elite dos poderes Legislativo e Judiciário tenha desvirtuado de tal modo sua percepção sobre a finalidade do poder que exercem! Nada aprendem das manifestações da opinião pública que com exaustiva frequência superlota ruas e avenidas por não encontrar outro canal de expressão.

Com mais sensatez e menos presunção, com mais senso de responsabilidade e menos vaidade, com mais amor à pátria e menos amor próprio, haveriam de chegar às câmeras de TV e às páginas de jornal para refletir sobre a estupidez de nossas instituições e sobre as razões de seu próprio descrédito junto à sociedade. Desapreço, aliás, que cresce a ponto de muitos ansiarem por uma ditadura.

Não temam, senhores, por uma ditadura de Bolsonaro. Temam, antes, as consequências de vossa ambição, de vossos conchavos, de vossa fatuidade e de vosso desprezo aos cidadãos.

_______________________________
* Percival Puggina (75), membro da Academia Rio-Grandense de Letras, é arquiteto, empresário e escritor e titular do site www.puggina.org, colunista de dezenas de jornais e sites no país. Autor de Crônicas contra o totalitarismo; Cuba, a tragédia da utopia; Pombas e Gaviões; A Tomada do Brasil. Integrante do grupo Pensar+.


 

Compartilhar

Comentários

Pedro Ubiratan Machado de Campos .

O clamor que sobe aos céus contra tais iniquidades não será em vão, creiamos , pois jamais houve tanta fé pra remover esse Himalaia de maldades.

PAULO CEZAR ALVES MONTEIRO .

Maravilhoso o seu artigo, como sempre, Dr. Percival Puggina. Peço que dê uma lida neste atigo que escrevi recentemente: https://www.cultseraridades.com.br/eu-apoio-bolsonaro-parte-2/

Rosa maria .

Excelente!!! E isso e muito msis, que nem caberia num jornal inteiro

adao silva oliveira .

Que nada!!! Muita fé no velho Roberto Jefferson, convertido a nova política. Pelo jeito, o Centrão está tomando jeito. Acabou o toma-lá-dá-cá. Agora é o dá-cá e recebe lá. A ordem dos fatores é muito importante.

Rivo Fischer .

Há muito tempo a Globo, e especialmente o JN, abandonou sua missão de informar. Agora parecem um bando de crianças brincando de "vaca amarela", vigiando Bolsonaro. Ele falou! Ele tossiu"! Ele entrou na padaria! Ridículo.

Esmeraldo Ramos Neto .

Ao ler, a cada dia, os artigos do Mestre Percival Puggina, encho-me de satisfação pela escolha acertada que fiz, quando votei em Jair Messias Bolsonaro para Presidente, dirigente maior do nosso grandioso Brasil! Lucidez, visão de mundo e da nossa realidade que, infelizmente, muitos dos brasileiros ainda não conseguem enxergar. Mas estamos juntos Percival, estamos juntos brasileiros, "tamos juntos Jair"!

António Moreira .

Belo texto, mas para corrigir esses erros, desde 1988, so mesmo com uma intervenção... Em 2009, no auge do Mensalão, o movimento pedindo a intervenção cresceu, e se os militares tivessem agido não teria existido o Petrolão e nem asv"doaçoes" do BNDES para as ditaduras "parceiras"...

Carlos Edison Fernandes Domingues .

PUGGINA. Com a leitura do que escrevestes, encerro este recolhido dia de Tiradentes, com mais ânimo para continuar a lutar na defesa do candidato que escolhi para a Presidência da República. Carlos Edison Domingues

Sidiney José de Lima .

Admirável a qualidade dos seus textos que a cada dia ilustra mais e mais os nossos entendimentos sobre a política brasileira e admirável também sua postura que praticamente é um socorro para os que pretendem um país com seus filhos dispostos a qualquer coisa para salvaguardar essa nação e protegê-la dos canalhas que assumiram de maneira pérfida suas instituições basilares.

Randulfo da Silva Pereira .

Sr. Puggina, eu acho que infelizmente sem luta vai ser muito difícil tirar esse monte de vermes incrustados nas instituições nacionais. O povo pode tirar, mas com todas as nossas carências, como contar. Temos hoje muitos articulistas como o Senhor, bem intencionados, mas convenhamos falam para poucas pessoas, e geralmente não aos mais carentes. Esses continuam mal informados , alienados dos nossos reais problemas.

Eliel De Salles .

Parabéns professor! Excelente artigo!

Davi A Carvalho .

Seus comentários lúcidos me trazem à tona "Elogio à Loucura". Um misto de satisfação e revolta, pois quanto mais se sabe mais se encontra num circulo vicioso onde parace que as forças contra a honra, moral e bons costumes se fortalecem a cada ciclo. A loucura nos salvaria de todos os males, e até o fim de nossas vidas não sentiríamos tamanhas perversões!

Armentano .

Uma pena bem usada, vale mais que mil canhões

PERCIVAL PUGGINA .

Carmelina Sampaio, agradeço o apontamento que fizeste à ambiguidade do último parágrafo. Correção feita. Abraço!

Marilda Ivany Machado .

Perfeita leitura dos fatos.
1/2
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Artigos do Puggina