Puggina.org by Percival PugginaConservadores e Liberais

Artigos do Puggina

Voltar para listagem

DEMOCRACIA? VULGARMENTE O NOME É OUTRO.

por Percival Puggina. Artigo publicado em

O preceptor de um jovem imperador chinês acompanhava seu divino discípulo num passeio pelo campo. Em certo momento, avistando um grupo de animais, resolveu verificar o conhecimento da criança e indagou: “Que animais são aqueles?”. O menino observou atentamente a cena e disse que eram carneiros. “O Filho do Sol respondeu com exatidão”, admitiu o mestre. “Contudo, devo acrescentar que esse tipo específico de carneiro é mais conhecido como porco”.

 Lembro-me dessa estória frequentemente ao acompanhar notícias sobre as incessantes idas de nossos governantes a Cuba e ao observar a iconografia vermelha dos eventos promovidos pelos partidos e movimentos de esquerda. Deixando de lado os retratos de Lênin, as foices e os martelos – por demais óbvios – bem como as louvações ao MST e seus métodos e os aplausos às FARC, atenho-me, especificamente, ao mais disseminado de tais símbolos: a estampa de Che Guevara.

 Todo mundo sabe que Guevara foi um guerrilheiro comunista, com atuação internacional. E todo mundo sabe que ele não era ator, nunca foi a Hollywood, não cantava, não jogava bola, não dançava funk nem era de pagode, nunca apareceu em novelas da Globo e jamais disputou eleições. Ele era exatamente isto: um guerrilheiro comunista com atuação na América Central, na América do Sul e na África. Por conseqüência, assim como ninguém pode ser admirador de Pelé detestando futebol, todo culto a Che Guevara só pode significar uma adoração aos objetos de sua ação: o comunismo e a revolução como instrumento para chegar ao comunismo. Outras explicações para o mesmo fato precisariam ser buscadas num divã de analista de linha freudiana.

 Nessas circunstâncias, todo aquele que ande por aí exibindo sua veneração a Che Guevara, ou que, não sendo cubano, desfralde a bandeira de Cuba (gesto equivalente), pode falar quanto quiser sobre democracia. Nesse caso, porém, o interlocutor, seguindo a prudente fórmula do mestre chinês, deverá observar: O dileto amigo tem toda razão em expressar suas convicções democráticas pois democracia faz bem. Devo adverti-lo, contudo, para o fato de que esse tipo específico de democracia que tanto o seduz é vulgarmente denominado totalitarismo.
 

Compartilhar

Comentários

Carlos Ernesto Petry .

É ótima a comparação. Faltou porém uma das "virtudes" do Guevara, talvez a mais marcante. Ele tinha verdadeiro prazer em executar, ele próprio, com um tiro na nuca, os seus algozes.

Ismael Façanha .

Resumindo, "dize-me quem amas, dir-te-ei quem és"...

Marcos .

Excepcional!! Simplesmente excepcional!!!

Odilon Rocha .

Prezado Percival A fórmula do mestre chinês não previa, até porque naquela época tal termo não existia (embora o 'evocado' sempre existisse!), um termo bem atual, que pode substituir muito bem a "Democracia Comunista", a Cracia do "Demo"! Ainda bem que o gibi "Brasinha" não existe mais. Em época de falta de discernimento, vai que a moda pega! Abraço
1/1
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Artigos do Puggina