Puggina.org by Percival PugginaConservadores e Liberais

Artigos do Puggina

Voltar para listagem

O FÜHRER DE GARANHUNS

por Percival Puggina. Artigo publicado em

O que efetivamente mobilizou o nazismo contra os judeus não foram as destrambelhadas especulações biológicas que apenas favoreceram o trabalho sujo dos que executaram as políticas de extermínio. A causa principal foi o mito da "conspiração judaica", difundindo a ideia do poder econômico do povo judeu e a ele atribuindo a culpa pelos males nacionais. Ao longo da história, mobilizações nacionalistas sempre procuraram identificar um inimigo interno ou externo, direcionando-lhe as animosidades. No nazismo, a exemplo do comunismo, foi acionado este fermento revolucionário que excita os piores sentimentos: a falácia de que o outro, como indivíduo, raça ou classe seja, objetivamente, causador da pobreza do pobre.

 Observe, então, o que vem sendo proclamado sobre a "elite branca de olhos azuis" pelas personagens mais aguerridas do petismo (do topo lulista à base militante). Lula e os seus não cansam de repetir que essa elite não gosta de pobre, é contra sua prosperidade e se enoja com a presença de gente humilde nos aeroportos e nas universidades. Por quê? Ninguém esclarece. O importante é repeti-lo à exaustão. E o PT é perito em papaguear bobagens tantas vezes quantas sejam necessárias para assemelhar à verdade algo que não tem o menor fundamento. Além de tornar a nação respeitável ao proporcionar a dignidade de todos os cidadãos, o progresso material das classes mais humildes é desejável por todos os segmentos sociais, inclusive por aqueles contra os quais o PT pretende instigar a malquerença dos pobres. Entre os muitos benefícios humanísticos e ganhos de ordem ética, a ascensão social dos mais carentes significa, para todos, maior segurança e maior dinamismo na vida econômica e social. É bom para todo mundo. É assim que a civilização avança. No fundo, até o Lula sabe disso.

No entanto, o führer de Garanhuns e seus propagandistas goebbelianos precisam do ódio como fator de luta (segundo ensinou Che Guevara). E nada melhor do que aprender com Hitler o modo de suscitar ódio contra quem tem mais. Basta proclamar aos pobres que essas pessoas, brancas de olhos azuis, são a causa de sua pobreza, que estes iníquos não toleram conviver com eles e que, por soturnos motivos, querem preservá-los na miséria. Difundir tais teses após as experiências do nazismo deveria ser capitulado como crime. Numa hipótese mais branda, ser tratado como sociopatia.

Tão perigoso quando o que estou descrevendo é não se importar com isso e considerar que se trata apenas de uma estratégia, sem efetivas consequências sociais e políticas. Era exatamente o que pensava a maioria dos alemães até bem perto do final da guerra.

______________
* Percival Puggina (70), membro da Academia Rio-Grandense de Letras, é arquiteto, empresário e escritor e titular do site www.puggina.org, colunista de Zero Hora e de dezenas de jornais e sites no país, autor de Crônicas contra o totalitarismo; Cuba, a tragédia da utopia e Pombas e Gaviões, integrante do grupo Pensar.
 

Compartilhar

Comentários

Marcos Rocha .

Plenamente de acordo; até porque, isso é bastante notório. Que bom que somos um povo bastante miscigenado, e nem todos os ricos (bem sucedidos) são brancos de olhos azuis. Acho que isso tem dificultado Lula/PT em seu intento. No passado, Lula, então sindicalista, ascendeu politicamente, e fundou o seu partido PT, usando de mesma tática espúria, jogando os trabalhadores brasileiros, especialmente os metalúrgicos do ABC paulista, contra a “zelite”, classe patronal brasileira, e governo. O PT, assim como a grande maioria da esquerda brasileira, é uma falácia em si que devemos combater e exterminar do cenário político nacional. Pela democracia, e real capitalismo de oportunidades sempre.

LUIZ SEITI NODA .

O problema das politicas de inclusão passa pela viabilidade economica e financeira. Fazer assistencialismo sem origem, sem contrapartida, cria enormes dificuldades econômicas para o País. Demagogia e falta de senso é caracteristica de lideres com viés autoritário. Nos ano 70 e 80, a Espanha socialista criou programas sociais sem fundamento econômico. Nos dias atuais 25% da população economicamente ativa está desempregada. Muito grato, Percival, por nos incentivar na luta democrática.

Rosangela .

Na minha opinião, todos ditadores e seus atos se parecem. Precisamos lutar, até o fim, por uma democracia verdadeira.

Jacson Vieira Porto .

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, publicou ontem um artigo em que trata de intolerância, fanatismo e genocídio, o qual encerr com a seguinte frase: "Alimentar ódios e discriminações de qualquer tipo pode ser cômodo para caudilhos sedentos de poder. Para o convívio social, no entanto, isso pode ser fermento de imensas tragédias, como o genocídio armênio que recordamos." Concordo plenamente com D. Odilo. E, embora não ache que ele tenha mandado um recado para o Lula, nada seria mais apropriado.

Sérgio A.Oliveira .

O "führer" alemão foi muito melhor que o seu colega brasileiro. Lula quer tirar do rico para dar ao pobre,enquanto Hitler preconizava somente a ascensão dos pobres,inclusive na "Mein Kampf". Faça-se justiça ao "führer" de lá. Mas o PT de fato tem procedimentos nazistas. Göebbels deve estar se contorcendo na sua tumba de tanta inveja pela mentira repetida do PT,todos os dias,no sentido de que o culpado pela pobreza no Brasil é a "sua elite branca de olhos azuis"

ana serra .

Brilhante como sempre, Percival. Outro dia assistindo um documentário sobre o lulla alemão, fiquei impressionados soma com a semelhança da forma canalha de agir!
2/2
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Artigos do Puggina