Puggina.org by Percival PugginaConservadores e Liberais

Artigos do Puggina

Voltar para listagem

O PAU DE ARARA MIDIÁTICO

por Percival Puggina. Artigo publicado em

 

 Três ministros conservadores, saídos do gueto onde conservadores e liberais estiveram durante mais de três décadas, estão na alça da mira da extrema imprensa, engenhoca audiovisual para propagar as ideias “progressistas”. Ela suporta até os militares, digere o Paulo Guedes, mas tem alergia às posições de Ricardo Vélez, Ernesto Araújo e Damares Alves. Ouvi-los lhes causa rinite, asma, edema de glote. O menor movimento de qualquer deles é imediatamente submetido a um pau de arara midiático diante do qual a mais deliciosa limonada confessa ser limão azedo. E tudo é feito para derrubá-los.

Seus detratores se apresentam como progressistas, apesar do atraso obtido das ideias que defendem. Malgrado os ínfimos resultados educacionais e culturais entregues, dizem-se paladinos das liberdades que, sem as naturais amarras da responsabilidade, fariam explodir a criatividade. Aliás, proclamam defender a liberdade de expressão, mas seus seguidores correm a grito ou a pau toda divergência, segregam autores liberais e conservadores, tomam as salas de aula como cosa nostra e arrasam os índices educacionais do país. Queixam-se do caráter ideológico dos três ministros em questão, como se o governo petista, pelo viés oposto, fosse uma referência cívica de isenção política e conduta republicana e não dedicasse especial estima e muito dinheiro nosso às ditaduras esquerdistas do planeta. Durante os anos divididos entre o tucanato e o petismo, conservadores e liberais não chegavam nem perto da porta do gabinete do sub do sub.

No vastíssimo conjunto das grandes realizações decorrentes desse conluio entre a esquerda política e a extrema imprensa, se inclui parcela imensa das jovens brasileiras levadas a crer que a vida seja uma novela da Globo, onde a libertinagem é o único viés da liberdade, num BBB ao vivo, sem paredão nem assinatura. Chamam também a isso “empoderamento feminino”, que se soma ao “empoderamento LGBT” e ao domínio da linguagem para produzir, em proporções demográficas, homens que desconhecem seu papel na sociedade, procriadores irresponsáveis, reincidentes em sucessivos crimes de abandono de menor.

Trinta milhões de mulheres são chefes de família e onze milhões são chefes de família sem cônjuge no Brasil! Este último número é assustador quando pensamos na situação de milhões de crianças e adolescentes cuja formação e desenvolvimento se processa sem uma presença masculina ciente de seus deveres e responsabilidades (1). O número se amplia quando - ao crime de abandono formal, escancarado, do pai que sai de casa, ou nela sequer entrou - se somam os muitos crimes de abandono cometidos por pais que, mesmo coabitando com os filhos, se fazem ausentes embora presentes.

O primeiro crime praticado contra o menino Bernardo, foi o de abandono pelo pai. Anos de abandono! O homicídio veio depois, com autores e culpas a serem definidos por júri popular. Mas o pai cometeu o primeiro delito contra aquela criança. E ele se repete país afora, também em proporções demográficas, tendo como consequência frequente o recrutamento pelo crime organizado de tantos menores submetidos a essa situação. E há quem não veja as causas; e há quem considere este texto “quadrado”; e há quem deseje que tudo fique como está, produzindo mais e mais frutos dessa venenosa árvore cultural porque “família já era”. À sombra dessa exótica planta, a pena imposta a quem maltrata um animal é maior do que a aplicável a quem maltrata uma criança. Faz sentido. Após tanto progresso e tantas conquistas destes anos, faz sentido. Faz sentido que combatam os três ministros e seu presidente.

(1) É consenso nas escolas a conveniência de haver pelo menos um professor no corpo docente para que os alunos tenham essa referência masculina em um grupo sempre dominantemente feminino. 

* Percival Puggina (74), membro da Academia Rio-Grandense de Letras, é arquiteto, empresário e escritor e titular do site www.puggina.org, colunista de dezenas de jornais e sites no país. Autor de Crônicas contra o totalitarismo; Cuba, a tragédia da utopia; Pombas e Gaviões; A Tomada do Brasil. Integrante do grupo Pensar+.

 

Compartilhar

Comentários

Junior Moreira .

Achei bonitinho o termo "Extrema Imprensa". Eu nunca consigo entender como deve ser a Imprensa "ideal". Pelo menos esse é um ponto que, a mim ao menos parece, Conservadores e Progressistas concordam. Ambos parecer ter a Imprensa como "inimigo" comum.

Dalton C. Rocha .

Eu nasci em 1970 e neste tempo todo, eu vi caírem de podres, vários regimes ou esquemas de poder. Regime Militar, Sarney, Collor, FHC e PT. Todos caíram basicamente, pelos mesmos motivos: 1- Colocaram os juros e o desemprego lá em cima. Ao mesmo tempo, colocaram o crescimento e o desenvolvimento lá embaixo. 2- Colocaram os interesses da especulação e da corrupção, acima dos interesses do povo brasileiro. Tanto faz, a fachada. Tanto faz se sob o general-presidente Figueiredo ou da ex-terrorista marxista Dilma. Estas duas coisas, fazer uma crise econômica e os interesses da especulação e da corrupção, acima de tudo, foram seguidas, com fé fanática, por todos os governos de 1980 até hoje, 2018. Tanto o Regime Militar, como Collor, como o PT, apenas cavaram suas próprias sepulturas políticas, fazendo estas coisas. Dilma, FHCannabis, Figueiredo, etc. tinham fachadas diferentes, mas fizeram a mesma crise econômica, ao povo brasileiro. Quem acabou com Regime Militar foi, o general Figueiredo. E quem tirou o PT do poder foi a Dilma. Aí está, mais um governante, para o Brasil. O Bolsonaro. Se ele seguir estes dois passos acima, Bolsonaro estará cavando sua própria sepultura política também. E a chave para o fim da crise econômica passa, pelas melhorias, na educação do Brasileiro. E o Brasil permanecendo em crise econômica, o PT terá aberto o caminho para ele voltar ao poder, já em 2022 ou mesmo antes. E por falar em educação, aqui estão muitos comentários a um artigo, sobre educação que foi publicado, na Folha de São Paulo de 27/11/18: “Afinal, o modelo vigente é tão "extraordinário" que faz com que o Brasil lidere - de trás pra frente - os rankings de avaliação do ensino no mundo, que tenhamos altos índices de abandono escolar e de jovens em séries desproporcionais a sua idade. Uma mudança radical neste curso idiotizante precisa ser implantada. As esquerdas fazem pose de bonzinhos e de vítimas, mas a radicalização vinha se agravando, parindo o famigerado kit gay e enfurecendo pais, pastores, padres e outros educadores. A cada reação ocorre reação em sentido contrário, e assim, a origem dessa radicalização de Direita, que se generaliza, é a própria ação cultural da esquerda há muitos anos, que não faz autocrítica e culpa sempre os outros. A esquerda tentando relativizar seus crimes. Não existe diálogo em muitos ambientes escolares, mas doutrinação simples. Como resultado temos a disparada de gravidez precoce (20% de partos de adolescentes) no Brasil, acompanhando de modo extremamente paralelo a ascensão do marxismo cultural no País e suas pregações em sala de aula, de sexualização precoce, banalização do ato sexual e glamorização do uso de drogas. Isso são fatos reais e comprováveis e não serão acobertados com blá-blá-blá. Como a Sra afirma que existe diálogo nas nossas escolas? Eu as conheço e afirmo que não. Ademais, a disparada de gravidez precoce acompanha de modo extremamente paralelo a ascensão do marxismo cultural no Brasil e suas pregações, em sala de aula, de sexualização precoce, banalização do ato sexual e glamorização do uso de drogas. Você está invertendo fatos reais e comprováveis. De um lado, País e parlamentares tentando impedir doutrinadores esquerdistas ensinar o que aprenderam sob a cartilha comunista. De outro, parlamentares e doutrinadores querendo conservar os alunos com suas presas. Com relação ao colégio Dom Pedro II, numa exposição esquerdista, país foram coagidos por militantes terroristas. Vá no YouTube e vejam as imagens. Não é escola sem partido. É escola sem doutrina esquerdista. Ser representada por instituições como estas explica a decadência da educação brasileira. Sindicatos e fanáticos ideológicos tentando barrar a limpeza da sujeira deixada pelo PT e sua gangue. Eu sou a favor da escola sem partido, sem pregações religiosas ou qualquer outro meio que, infelizmente, alguns pseudo- educadores tentam impor aos nossos filhos adolescentes. A tarefa educacional, quer ideológica, religiosa ou outras similares, incumbe à família. Como pai de adolescentes que já foram vítimas de predadores marxistas em sala de aula, exijo o meu direito de saber exatamente tudo, on line, o que acontece realmente com minhas filhas quando na responsabilidade de terceiros, inclusive do Estado. Qualquer intenção de me privar disso é crime óbvio, clara demonstração de má fé e indício de ilegalidade e imoralidade por parte de aproveitadores de seres humanos emocionalmente frágeis. Se você quiser checar o quanto esta reportagem é mentirosa e tem o objetivo de te desinformar (e se não tiver sido doutrinado pelo marxismo) poderá facilmente confirmar a verdade que acontece nas escolas brasileiras apenas conversando com alunos ou assistindo uma dessas gravações "criminosas"; tentam tão somente criminalizar a prova de sua sordidez, da mesma forma que tentaram criminalizar Sergio Moro e o MP do Paraná. Sr Guilherme, não se comporte como um ignóbil. É óbvio e ululante que me refiro a ambiente profissional e não íntimo, onde seres humanos frágeis e com personalidade em formação estão sob tutela de adultos que podem ser, definidos por estatística simples, psicopatas, abusadores, etc. Todos os pais tem o direito absoluto de saber exatamente o que os tutores e o Estado estão fazendo com seus filhos, isso é viver numa sociedade com o mínimo de liberdade. Marxistas acham que não. Nesta reportagem vemos os agressores marxistas usando a mesma tática que em salas de aula, de vitimização e agressão moral, invertendo os fatos e se fingindo de agredidos. Se na sala de aula adultos predadores marxistas disfarçados de professores humilham estudantes liberais, postos como egoístas perante a turma, na reportagem os agressores tentam passar a ideia de que o Escola sem partido quer censurar ao invés de querer proteger crianças e adolescentes de uma doutrinação covarde. O Guilherme mente loucamente. Minha fé não é religiosa, é liberal, acredito na liberdade do indivíduo como pré requisito da existência humana digna, e a descrição que ele cita do que ocorre nas escolas é falsa e pode ser facilmente desmentida com averiguação simples.” > https://comentarios1.folha.uol.com.br/comentarios/6091841?skin=folhaonline e outro site. Várias correções ortográficas feitas, por mim.

Arthur Bortoncello .

Muito bom!

Carla Elizabeth Becker .

Bom dia! Quero agradecer pelas sábias palavras. E dizer que o texto é perfeito para quem está constantemente em convívio e contato com crianças, adolescentes e jovens em formação acadêmica. Percebe-se com clareza a questão do abandono de pai, mãe, familiar e até parenteral, mesmo eles estando presentes no dia a dia. A desculpa é: "meu filho tem um comportamento estranho por culpa das influências dos amigos e colegas de escola". Infelizmente é assim que reagem, tentando colocar a culpa nos outros e não querendo enxergar os problemas. Quanto a "extrema imprensa" senhor Percival Pugina, ela existe sim só que alguns comentaristas anteriores, com certeza, gostariam que lhe fosse feita atribuída uma referência mais pomposa, ao gosto da esquerda caviar. Mas fique tranquilo, pois para bom entendedor um risco quer dizer Francisco.

Gilmar Mendez .

O Roberto é alguém que ainda não saiu da Matrix!

Manoel .

Perfeito, professor, como sempre.

Marlou Pellegrini .

Puggina... me conheces e sabes o que eu penso, digo e faço ! Mas, convenhamos, se o Presidente e alguns Ministros (principalmente o da Educação,que é a minha área de conhecimento e ação ) continuarem se atrapalhando , dizendo ou baixando normas , sem fundamentos legais , demonstrando desconhecimento e despreparo para o cargo, vai ficar difícil acreditarmos nas mudanças desejadas e esperadas ! E mais difícil ,ainda, apoiarmos esse governo que elegemos ! Sei que estamos no início de um mandato ... mas não podemos perder tempo com picuinhas e com o disse me disse e fakes das redes sociais ! Nas redes sociais tem a opinião das pessoas... nem sempre a análise critica dos fatos !

PERCIVAL PUGGINA .

Obrigo-me a esclarecer. O termo extrema imprensa é um designativo genérico para definir certa mídia formal (jornal, rádio, TV) e comunicadores dessas mídias, militantes a serviço de causas ideológicas e culturais avessas ao ideário conservador. Ela vem influenciando a sociedade através dos anos, de modo negativo, promovendo uma destruição ética e estética que hoje se faz visível na incivilidade de parcela expressiva do povo brasileiro, independentemente de classe, raça ou sexo. A extrema imprensa começou a perder sua capacidade de influência com o advento das redes sociais, onde os conservadores encontraram espaço de expressão e democratização do direito de opinião. Por isso, ela se voltou, também, contra essas redes, no velho truque de atribuir aos outros aquilo que o acusador é e faz. O que denomina “cultura de ódio” e “extrema direita” não passa de rejeição ao estrago feito e de justas inculpações a quem o produziu. A revolução cultural em curso no país há várias décadas, associada ao paulofreirismo na Educação, não protagonizou cultura nem Educação. Por isso há lixo nas redes sociais, como há lixo nas redações militantes. Ambas resultam da atividade de todos que, durante esse tempo, influenciaram a Educação e a Cultura no Brasil. A linha de continuidade das ações da extrema imprensa, perene ao longo do tempo e de sucessivos governos, é cultural – corrosiva, como afirmei acima, da ética, da estética e de instituições como família e religião. Ela é quase uma sigla para referir empresas de comunicação e principalmente colunistas, formadores de opinião, numa longa lista impossível de ser incluída num texto. No entanto, quando nos referimos a ela, os leitores entendem.

Indignado .

Todo ser deve ser respeitado, independente de ser um animal racional ou irracional. Nem mais nem menos. O ser humano não e e nunca será o dono da verdade...

Odonias Mendes .

Perfeito professor, como sempre! No seu texto de uma claridade ímpar, não se pode retirar nem acrescentar nada. Parabéns!

Roberto .

Acompanho o Puggina desde seus comentários na tribuna da internet há vários anos, até descobrir este seu blog. Concordo com sua ideias liberais, mas esta bobagem de "extrema imprensa" seria perdoável em outros, não nele. Esta bobagem de ficar choramingando e reclamando da imprensa é coisa para petistas.

José Nei de Lima .

Boa tarde meu amigo, está na hora de se fazer uma grande reflexão sobre o tema A Família, com estrutura, com seus familiares envolvidos num mesmo ideal, trabalhar na base do seio familiar, principalmente colocando direitos e deveres aos seus familiares e acompanhar o desenvolvimento intelectual de cada um com muita disciplina, assim estaremos resgatando as famílias e fazendo um verdadeiro equilíbrio social no Brasil, muito pertinente a matéria, bom fim de semana que Deus vos abençoe amém.

João Cleucio .

Quem é Roberto ?

Luiz Carlos Mandelli .

A estrema imprensa me chocou mais uma vez nessa semana. Saiu o decreto. Eliminando 21 mil cargos e economizando. 200 milhões, que podem ser usados para guardas rodoviários (0nde existe déficit de pessoal) e em tantas outras atividades fins. Fiquei cuidando no Globo News em pauta. Nenhuma notícia,referência ou comentários dos famosos comentaristas....... Notícia boa não interessa No outro dia os jornais deram a matéria em parcas colunas e não pediram a ninguém sobre a repercussão. Jeito de só cultivar o que é ruim

Luciano .

Roberto Tu deves estar referindo-te a outro Puggina. Ou à alguma estorieta de gibi, Tio Patinhas, Pato Donald. Ou algo que o valha. O texto acima está clarissimo e corretissimo. É a nossa triste realidade. Precisaremos de décadas para recuperate o Brasil.
1/2
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Artigos do Puggina