Puggina.org by Percival PugginaConservadores e Liberais

Artigos do Puggina

Voltar para listagem

O SUPREMO, SUA FUNÇÃO CONTRAMAJORITÁRIA, E ... GEORGE SOROS

por Percival Puggina. Artigo publicado em

 

 Com a mesma liberdade de opinião que me permitiu escrever na legislatura anterior que aquele era o pior Congresso Nacional que conheci, afirmo agora, fazendo coro com José Nêumanne, que esse STF é o pior que já vi atuar. Não apenas porque, usando o eufemismo da moda, “flerta” com a ditadura do Judiciário e realiza proezas nunca vistas, mas porque, com ares missionários, antagoniza a nação. O que para a sociedade é Verdade e Valor, para o STF é objeto de correição. O Supremo se orgulha de agir em dissintonia com a sociedade.

Entenda-se. Um ministro da Corte, ao deliberar, não tem entre seus deveres interrogar-se sobre o que as pessoas pensam a respeito do assunto. Não está imposta a ele a obrigação de promover pesquisa de opinião ou enquete a cada voto que deva dar, muito embora, por vezes, sejam promovidas audiências públicas. Opiniões lhes chegam, de regra, via contraditório expresso pelas partes.

No entanto, o problema que abordo aqui tem outra natureza e se vincula ao modo como o atual colegiado foi formado. Lula e Dilma indicaram 13 ministros, dos quais sete permanecem no cargo. Desnecessário dizer o quanto essas designações foram influenciadas pelo critério ideológico. Nos governos petistas ele era determinante, até mesmo, da escolha do jardineiro e do fornecedor de frutos do mar. Camarões de esquerda. Lagostas trotskistas. De nenhum dos quatro remanescentes se poderá dizer que tenham qualquer afinidade com o pensamento conservador, majoritário na sociedade. Bem ao contrário!

Os longos anos de petismo, resultantes de um tempo em que o ambiente cultural estava hegemonizado pelo pensamento de esquerda, dito “progressista”, viabilizaram ampla maioria na Corte. Para piorar a situação, os três ministros anteriores a esse tempo sinistro, Gilmar Mendes, Marco Aurélio Mello e Celso de Mello, com diferenças de ritmo, batem no mesmo tambor. E o ministro subsequente, Alexandre de Moraes, já deixou claro a que veio.

Na parte final dessa linha de tempo, contudo, surgiram a redes sociais, democratizando o direito de opinião, dando voz a conservadores e liberais, e revelando, para escândalo dos ditos progressistas, o perfil majoritariamente conservador da sociedade brasileira. Decisões do STF repercutem de modo muito mais intenso nas redes sociais do que nas colunas dos jornais. E o desgosto da sociedade se manifesta.

Qual a reação do Supremo, evidentemente deslocado e isolado, com pouco espaço no mundo das ideias vigentes na sociedade, indigesto e desprestigiado, perante essa situação? Como o descomunal orgulho dos senhores ministros responde à sociedade? Proclamando seu papel contramajoritário!

Eis a grande sacada na cartola dos péssimos argumentos, adulterando o sentido original do termo "contramajoritário", que significa discordar de algo aprovado pelo Parlamento e sancionado pela Presidência. Na concepção do STF, o vocábulo passou a significar a recusa aos valores dominantes na sociedade, propagandeada como se fosse virtuosa atribuição do Poder. Caberia ao STF ensinar o povo a pensar segundo o modo como os onze interpretam os princípios constitucionais. Os onze sabem mais do que todos, mais do que os grandes filósofos gregos, mais do que os grandes teólogos. Nenhum destes, claro, mais qualificado do que George Soros e a Nova Ordem Mundial com suas ideias “progressistas” sobre aborto, ideologia de gênero, feminismo radical, controle de armas, globalismo, imigração, "politicamente correto" e engenharia social.

Alguém, aí, abra a janela que eu preciso de ar puro.

 

__________________________
* Percival Puggina (74), membro da Academia Rio-Grandense de Letras, é arquiteto, empresário e escritor e titular do site www.puggina.org, colunista de dezenas de jornais e sites no país. Autor de Crônicas contra o totalitarismo; Cuba, a tragédia da utopia; Pombas e Gaviões; A Tomada do Brasil. Integrante do grupo Pensar+.

 

Compartilhar

Comentários

rosaldo da fonseca rolins .

Ele disse tudo....

wladmir oliveira .

Obrigado pela mensagem. Disse tudo sobre esta côrte de falastrões. Conseguiram formar uma quadrilha dentro deste poder. Se no passado eu teria orgulho de ter um amigo no STF, hoje sentiria vergonha de seus atos

ROBÉRIO SANTOS .

Excelente análise. Infelizmente esse SFT, não cumpre seu papel de guardião da Constituição, pelo contrário, vem, inclusive, legislando em prol de bandidos travestidos de políticos.

ADEMIR BISOTTO .

CARO DR. PUGGINA, SEU TEXTO FOI BRILHANTE E NO PONTO. SE ME PERMITIR, VOU RESUMIR PARA MIM, O QUE VENHA SER O STF. NÃO IREI USAR O CORRIQUEIRO DA BOCA DO POVO, QUE DIZ Somos Todos Trambiqueiros E SIM O STF..EDE.

Luiz Boteri de Santana .

Suprema Troupe de Farsantes. Até quando???!!!

Afonso Pires Faria .

Que algumas vezes sejam contramajoritários, ainda se aceita, mas deveriam sentirem-se mal por isso. Mas não, eles se orgulham em serem do contra. Penso que não sabem ler. Se leem, tenho a certeza de que não o sabem interpretar o que leem. Se interpretam é ao arrepio do que evidencia a nossa lei maior. Que também é uma excrecência. Parabéns por nos esclarecer tão bem sobre o assunto.

João Guilherme Maia .

Eu concordo com a postagem quando diz que este STF atual é o pior STF que já temos. Mas nós sabemos qual é a pressão que está recaindo sobre os ministros do STF e ela tem um único nome Luiz Inácio Lula da Silva. Muitos desses ministros do STF por ter sido indicado pelo Lula, eles acham que devem favores para ele. As atitudes do STF está tão descontrolada que até legislar eles estão tentando, o que competência do Legislativo. Eu já falei e repito, eles ainda não soltaram o Lula porque quando os Generais estavam reunidos no Clube Militar mandaram um aviso para os ministros do STF "se soltarem o Lula, irá ter a intervenção militar, tão pedida pelo povo em 2018". Se não fosse isso, eles já teriam soltado o Lula. Aí o que eles fizeram, soltaram vários bandidos de colarinho brancos que tinham sidos presos pela Lava Jato. Eu sinceramente, gostaria que os três poderes trabalhassem harmonicamente como está na nossa Constituição, mas pelo o que temos visto está distante disso acontecer. Por isso, só nos resta aguardar.

NEEMIAS FELIX .

Em cheio e na canela!

CYRO DE FREITAS .

Mestre Puggina, saudações mineiras! Como sempre, um grande texto. Só faltou falar que a pauta do STF, atualmente, é definida pela criminoso preso (por enquanto) em Curitiba. Mais uma vergonha nacional, dentre tantas... Abraço de Cyro/BH

Jorge Abeid .

Meu caro Pugina o amigo nao deixou espaco para acrescentar nada apenas acrescentar que este st se supera por chegar ao ponto de ter um analfabeto functional na Presidencia da casa e como se nao bastasse esta sofrendo de esquisofrenia aguda relatando reunioes que nao aconteceram e acordos que nao foram firmados.

Adriano Lima .

Como sempre, o Sr. Percival Puggina expressa a opinião da grande massa da sociedade brasileira cuja indignação com os magistrados maiores está cada vez mais evidente. Parabéns Sr. Puggina.

FERNANDO A O PRIETO .

Obrigado (mais uma vez!) pela lucidez de seus comentários. É agradável e consolador saber que ainda restam opiniões coerentes com a verdadeira e correta moral. Que ajudemos a propagá-las. Quanto aos inimigos da verdade, chegará para eles, como para todos, a hora da prestação de contas! "Ai dos que chamam Mal ao Bem, e Bem ao Mal, dizem que a Treva é Luz, e a Luz , Treva, chamam ao amargo, doce, e ao doce, amargo,...".

mario m .

Excelendo mais uma vez, mestre Puggina. Parabéns.

LUCIO FLAVIO GONÇALVES .

PARA QUE ACOLHEITA SEJA BOA E PURA, PRECISAMOS SEPARAR O JOIO DO TRIGO, ESTAMOS NESTA FASE, SEPARANDO AS IMPUREZAS, ALI NA FRENTE VAMOS SABOREAR O FRUTO DA MASSA LIMPA. TUDO TEM SEU TEMPO.

Odilon Rocha .

Caro Professor Realmente o momento pede um desabafo. É surreal. O cartunista do surrealismo, Juarez Machado, ficaria com inveja. Já havia expressado aqui que quem tem um stf ( com minúsculas mesmo) assim ter inimigos seria uma injustiça.
1/1
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Artigos do Puggina