Puggina.org by Percival PugginaConservadores e Liberais

Artigos do Puggina

Voltar para listagem

ROMPE-SE O OVO DA SERPENTE

por Percival Puggina. Artigo publicado em


12/08/2016


O que vou narrar são fatos da vida. Algo do muito que me chega por meio eletrônico. Dá para encher um livro com relato de mentiras ensinadas, abusos de autoridade e assédio intelectual. Agora, bem agora, enquanto abro e-mails, recebo dois exemplos. O primeiro é de um professor de Ciências Humanas:

Realmente, a liberdade acadêmica foi abolida. Sofremos pressão dos colegas que perderam a noção de toda lógica nas discussões teóricas (...). Espero que os próximos anos nos tragam soluções fundamentais para a melhoria de nosso país e de nossa qualidade universitária.

Grande abraço e parabenizo-te de novo. Sinto medo de posicionar-me publicamente. Minha sala de aula já foi invadida duas vezes, para teres uma ideia. Grande abraço e que Deus nos abençoe a todos.

Este é um professor cuja identidade não fornecerei porque reconhece ter receio de se posicionar de modo público. Fala de sua atividade profissional, daquilo para o que se preparou. E tem plena consciência sobre o quanto poderiam molestá-lo as reações antagônicas se aqui fosse identificado.

O outro, aí abaixo, é um pai. Em consulta que acabo de lhe fazer, pediu-me para preservar sua identidade pois seu filho "poderia ser prejudicado". Sim, você entendeu adequadamente: o professor do texto acima receia por si mesmo e o pai do texto abaixo receia pelo filho. Eis seu relato:

Como já devo ter comentado, minha filha mais velha estuda na 7ª série de um tradicional colégio católico, um dos mais conceituados de Porto Alegre. Eu me considero um pai presente e, junto com minha esposa, acompanho de perto os estudos dos nossos filhos. Por isso mesmo já tinha me informado sobre quem são seus professores. Não foi surpresa quando vi que a maioria é esquerdista até a medula. Declarados ou não, são petistas com todas as pautas anticapitalistas, anticatólicas, feministas, raciais, gayzistas, etc.. Refiro-me a coisas do tipo “ a favor do aborto”, “contra o golpe”, “contra o imperialismo” e toda a ladainha esquerdizante, neocomunista, que vocês conhecem bem. Coisa de DCE ou diretório do PT/ PSOL mesmo.

Eis que um deles veio me contar sobre as aulas de História (ai,ai!). Estavam aprendendo sobre Islamismo. E uma das aulas era algo do tipo “as mulheres no islamismo”. Um aluno interrogou o professor sobre o fato de as mulheres não poderem dirigir na Arábia Saudita, onde, se flagradas dirigindo veículo, recebem 30 chibatadas.

Resposta do professor de História: “Isso não é culpa da religião islâmica. Isso é culpa do machismo! Do mesmo machismo, que faz com que no Brasil existam essas propagandas de cerveja onde aparecem mulheres seminuas, transformando seus corpos em objetos”. Dai-me forças, Senhor Deus!

O “professor”, além de desviar completamente o assunto, passando pano, aliviando a barra do islamismo, ainda compara duas coisas completamente diferentes. Uma é a mulher proibida de dirigir, votar, ou seja lá o que for, recebendo punição se o fizer, pela força da Lei. Outra é uma profissional, modelo ou atriz, convidada a trabalhar em comercial de TV, sendo remunerada por isso e podendo aceitar ou não tal atividade.

Bem me disseram que seria mais fácil tirar o PT do poder, do que acabar com a doutrinação esquerdopata nas escolas e universidades. Um abraço.

Escola Sem Partido rompe o ovo da serpente. Reações em contrário não disfarçam o abalo que o projeto produz na estratégia de dominação cultural em curso. Reitero e reiterarei à exaustão o perfeito diagnóstico de Olavo de Carvalho: não se trata de "doutrinação" porque a tais professores falta todo o arsenal necessário para o correto ensino de qualquer doutrina, caso exista e possa ser conhecida. Trata-se da mais rasteira, desonesta e indecorosa ocultação da verdade.

___________________________________
* Percival Puggina (71), membro da Academia Rio-Grandense de Letras, é arquiteto, empresário e escritor e titular do site www.puggina.org, colunista de Zero Hora e de dezenas de jornais e sites no país. Autor de Crônicas contra o totalitarismo; Cuba, a tragédia da utopia; Pombas e Gaviões; A tomada do Brasil. integrante do grupo Pensar+.

 

Compartilhar

Comentários

Eduardo Chaves .

O comentário de Léo Guedes me fez lembrar de algo que escrevi em no início dos anos 90 e que foi publicado em Março de 1991 na revista Pro-Posições (Revista Oficial da Faculdade de Educação da UNICAMP). O artigo só foi publicado depois de eu ter concordado em eliminar do artigo várias referências explícitas à Universidade. Na versão que está disponível no link abaixo as passagens cortadas foram reintroduzidas. Essa versão "linkada" contém, além disso, bem mais material do que a original, especialmente nas notas de rodapé. Eis o parágrafo final de meu artigo [revisado] "Justiça Social, Igualitarismo e Inveja: A Propósito do Livro de Gonzalo Fernández de la Mora": "Tudo na vida tem seu preço. Se comemos dieta inadequada por muito tempo, nosso corpo acusa os resultados. Quando a comida é muito ruim, ou estragada, o estômago chega mesmo a se recusar a digeri-la e a põe para fora. O que nos leva a pensar que nossa mente possa engolir qualquer porcaria impunemente? Estamos submetendo nossos jovens, em nossas universidades, a uma dieta intelectual que os leva a esconder sua competência, a disfarçar suas virtudes, a se desculpar por suas realizações, que os incentiva não a buscar o melhor e a dar o melhor, mas a nivelar por baixo. Fingir que se é bom é errado, mas é até desculpável, perto do cúmulo que é fingir que se é ruim. E depois nos indagamos porque tantos jovens procuram a droga. Ou porque o suicídio está se tornando uma das principais causas de morte nessa faixa etária [57]. É possível destruir a mente e o amor próprio de um jovem com essa dieta intelectual - mas não é possível forçá-lo a viver com o que lhe resta." https://liberal.space/…/justica-social-igualitarismo-e-inv…/ As notas a esse artigo estão em: https://liberal.space/…/justica-social-igualitarismo-e-inv…/

Sergio Barreto de Sousa .

O Ovo da Serpente só pode ser rompido quando for identificado e separado o joio do trigo; quando for separada a conduta normal da conduta anormal nas escolas e na sociedade em sua totalidade. Ao me deparar com a apresentação do livro 'Como Vencer a Guerra Cultural', Peter Kreeft , deduzi o porque estamos a todo instante discutindo acerca dos males que "projeto pedagógico", enfiado a força no âmbito do ensino, faz aos nossos jovens. Transcrevo abaixo uma breve descrição desse livro que irei adquirir, tão pronto quanto possível. "Muitos cristãos caíram na armadilha de proclamar 'Paz! Paz!' quando não há paz alguma. Escondendo-se dos assuntos que os pressionam no dia-a-dia, acreditaram que resistir à cultura dominante é inútil. Ao mesmo tempo, outros cristãos foram afoitos ao declararem guerra muito cedo, confundindo possíveis aliados com inimigos. Em 'Como Vencer a Guerra Cultural', Peter Kreeft nos chama para a batalha. Cristãos têm de entender a verdadeira natureza da guerra cultural - uma guerra entre a cultura da vida e a da morte. Kreeft identifica os inimigos reais que estão diante da Igreja e indica os principais campos de disputa. Finalmente nos dá uma estratégia para a luta e equipa os Cristãos com as armas necessárias para uma campanha bem sucedida". Acima de tudo, Kreeft nos assegura que a guerra pode ser vencida - e de fato, será!

Gustavo Pereira dos Santos .

Sou Voluntário30 do Partido NOVO. Estamos a menos de dois meses das eleições municipais de 2016. Não sou candidato a nada. Tenho concentrado meus esforços em três demandas: Segurança Pública, fim do Fundo partidário e Escola Sem Partido. O NOVO está liderando um ABAIXO ASSINADO NACIONAL pelo fim do Fundo Partidário e pretende apresentar projeto na Câmara de Vereadores que transforme a Guarda Municipal em Policia. Parabéns, Dr. Percival, pelo sucesso na liderança da campanha pela Escola Sem Partido. Os eaquerdopatas estão acusando o golpe .

Paulo C. Barreto .

Eu vivo essa realidade tenebrosa desde a Universidade, quando fazia das tripas coração para suportar aquela antipática e pueril cantilena marxista com suas costumeiras mentiras. Apesar delas, e com sacrifício, conclui meu curso com a certeza pesarosa de que o pior estava por vir __ a sala de aula. Hoje convivo com a realidade descrita na pesquisa quase diariamente (isso porque não estou na escola todos os dias). Tenho esperança de que o ESP pelo menos desperte a coragem de professores e pais em gritar contra esse desmonte da civilização. Mas, falta acrescentar às suas ações as denúncias contra a criminosa promoção automática dos alunos. Creio que a certeza de que não precisam fazer esforço para serem aprovados leva os alunos a desvalorizar a escola e o conhecimento sistematizado.

Zé Caetano .

Eu, que sempre busquei um horizonte palpável e bem definido em minha vida, hoje me vejo confuso, sem chão e sem perspectiva de futuro. Esses PTralhas, igualmente confusos, vieram para desconstruir tudo que, até então, o Brasil tinha como norte, como caminho a ser seguido.

Cristão realista .

Tudo isto que está acontecendo é a velha Serpente em seus estertores de morte. Ela já foi vencida. Apenas está destruindo os próprios castelos que havia construído. Ela quer é nos desanimar, não podemos cair em suas armadilhas. Mas uma coisa eu lamento dizer: enquanto dependermos de Silas Malafaia, Marcos Feliciano e CIA para nos defendermos destas ideologias anti-família, estamos perdidos. Estes que citei pegam carona conforme a direção do vento. Continue os pais e os avós educando seus filhos segundo a educação que receberam e nunca acreditem que o mal pode apagar o bem.

Genaro Faria .

PAULO FREIRE, VEM DAR UMA OLHADA - Se atender ao seu convite, prezado Puggina, caso Satanás lhe conceda o indulto pelo Dia dos Pais, por exemplo, ficará enormemente satisfeito. Quem sabe, até surpreso com o sucesso de seu projeto macabro para liquidar com a educação no Brasil. Freire, como todo marxista engajado de alta linhagem, não pertenceu ao baixo clero e "mortadelas" alienadas. Ele sabia o que estava fazendo. E proclamava desejar o contrário com sua lingua sibilina, de serpente. Para enganar os "inocentes úteis" de que falava Lênin. Assim, onde se lê (ou se ouve) de um progressista a palavara "libertação", não é da liberdade do "jugo capitalista" ou da "burguesia exploradora" que os "progressistas" dizem. Eles estão se referindo à libertação do homem escravizado por Deus, "tirano" que eles odeiam e combatem. Paulo Freire foi um sacerdote satânico.

Juan Koffler .

Caro Percival: Se me permite, digo-lhe que isso compõe os "usos e costumes" dos nossos educandários (sentido lato), historicamente viciados no surrado axioma "Há governo? Sou contra!" que eu, nas priscas eras dos meus estudos secundários, já ouvia e me revoltava ostensivamente, negando-me seguir quem quer que fosse (professor, colega de classe, coordenador, diretor, etc.), que assim se expressava. Lembro-lhe que estou falando de 50 do século findo. Rendeu-me, até, uma dissidência no âmbito familiar a qual, em sentido prático, afastou-me de vez e para sempre de uma das minhas irmãs (com a qual ainda hoje não comunicação e nem pretendo tê-la). Custou-me muito manter essa postura inegociável durante meus estudos, mas a mantenho incólume e sem falsos arrependimentos, bem ao estilo: "É adorador da foice e do martelo? Estou fora!" Mas, claro, em terras de pobreza intelectual e moral, tal postura, similar à minha, dificilmente se sustenta. É o caso do nosso amados e vilipendiado Brasil-petralha. Forte abraço!

Ismael de Oliveira Façanha .

Três textos esclarecedores, vazados na mesma ideologia da sensatez e até no mesmo estilo conceituoso.

léo guedes .

Meu caro Percival. Hoje estive numa farmácia em NH, onde moro, e o casal proprietário contou-me uma das coisas mais estranhas que tenho ouvido. Sua filha é psicóloga e foi procurada por uma mãe de aluna aflita. Esta senhora contou que foi chamada pela direção da escola em que sua filha estuda que pediu que ela fosse ter com a psicóloga da escola. Ela achou estranho, pois sua filha sempre se mostrou boa aluna, boa filha. Mas foi ter com a tal psicóloga da escola. Pois bem, o que aconteceu foi que a psicóloga pediu para que sua filha não precisasse se esforçar para tirar notas altas, pois isso estava provocando uma diferenciação entre seus colegas que não era recomendável. Uma prova de superioridade em face a maioria que não ajudava a formar uma equipe. Entendeste o drama? Nivelar pela mediocridade é a intenção da escola para que não haja traumas entre o coletivo escolar. Que a esquerda tenta solapar a cultura ocidental e há muito já se sabia, mas a tal ponto é absolutamente ridículo e estúpido. Mas nos dias de hoje só me falta dar de cara com a mula sem cabeça, o saci perere e o Caipora. Abraço

Dalton Catunda Rocha .

Em resumo. A esquerda trocou Marx, por Maomé. Não que isto, não date de décadas... "Um estudante típico vai sair da escola com a cabeça cheia de minhocas, submetido a uma intensa pregação de anos e anos contra o lucro e o sistema capitalista. Aos 18 anos, vai cair na vida sem ter a menor noção de quanto deve poupar por mês para se aposentar, ou de quanto deve separar a partir dos 22 ou 23 anos para poder dar uma entrada para adquirir a casa própria aos 30 anos. Quando descobrir como o mundo funciona, já estará endividado e pendurado no cheque especial. Seria muito melhor se, em vez de ter aulas baseadas em um marxismo de quinta categoria, ele fosse preparado para a vida. " > Publicado na revista Veja (edição 2438), na página 65.

Nelson Azambuja .

Prezado amigo Puggina: Há alguns anos atrás, felizmente, eu consegui descobrir a razão pela qual é inútil discutir com comunistas (petistas). Essa história da gente dizer para os amigos: "Rapaz, não adianta querer discutir com petista (comunista). Você pode usar os argumentos que quiser, mostrar a eles os fatos irretorquíveis, eles nunca vão aceitar a verdade e desistir de suas ideias estúpidas". Hoje, eu nem sequer inicio uma discussão dessas, mas agora porque descobri a razão da inocuidade de tentar convencer os comunistas (petistas) do absurdo de suas convicções. Podem haver outras, mas pelo menos uma delas é o célebre "Decálogo de Lênin" que, com certeza, o amigo conhece. A outra que alinho, é a célebre frase de Bertholt Brecht, não menos célebre ídolo dos comunistas, tirada do seu livro “A Medida Punitiva”: "Quem luta pelo comunismo tem o poder de lutar e não lutar; dizer a verdade e não dizer a verdade; prestar serviços e negar serviços; manter a palavra e não cumprir a palavra; enfrentar o perigo e evitar o perigo; identificar-se e não identificar-se. Quem luta pelo comunismo tem de todas as virtudes apenas uma: a de lutar pelo comunismo." De fato, assim fica muito difícil discutir com petista (comunista).

Joma Bastos .

Corromper a juventude e fomentar o extremismo, foi e é um dos objetivos da esquerda radical deste Brasil, e sendo assim, o projeto "Escola Sem Partido" rompe o ovo da serpente e deste modo extinguirá sua espécie. No Brasil, a corrupção é seguramente o principal obstáculo ao seu desenvolvimento. Então, que haja Ética e Moral! Que todos aqueles já foram condenados por corrupção e/ou outros crimes, sejam afastados definitivamente do poder político e da gestão pública! E para todos aqueles que estão a ser investigados, suspendam seus mandatos até que a investigação termine ou até que sejam julgados! Os políticos deste Brasil só vão ter credibilidade quando sobrepuserem os valores da População aos dos seus Partidos, e procurarem as melhores soluções para atender à Sociedade, sem olharem a diferenças econômicas, sociais e sem fazerem distinção entre as Pessoas. Joma Bastos

Bruno Vannucci Wardil .

A mesma coisa está acontecendo no pré enem em que meu filho estuda, porém eu liguei para falar com o diretor pedagógico da escola. O mesmo disse que não orienta os professores nesse sentido é que já havia recebido reclamação de outros pais e alunos. Eu disse que a partir desse dia meu filho vai se ausentar da aula dessa "professora" e que gostaria que essa aula fosse reposta por um docente de verdade sem viés ideológico.

ruth .

Só o pavor de perder uma fábrica de esquerdistas, em que se transformou a escola no Brasil, pode explicar os ataques que a esquerda tem feito ao Escola sem Partido. Eles estão desesperados.
1/2
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Artigos do Puggina