Puggina.org by Percival PugginaConservadores e Liberais

CRIME, VIOLÊNCIA E SAÚDE SÃO AS QUESTÕES QUE MAIS PREOCUPAM OS BRASILEIROS

por Pesquisa Ipsos. Artigo publicado em



Crime, violência e saúde são as questões que mais preocupam os brasileiros, mostra a nova pesquisa global “What Worries the World”, da Ipsos, que mostra os 15 temas que mais preocupam a população mundial e lista os cinco principais em cada um dos 28 países participantes.

No Brasil, cinco em cada dez entrevistados (47%) acreditam que o crime e a violência são os piores problemas. O sistema de saúde também foi bastante lembrado, aparecendo logo em seguida, com 46%. Completam o top 5: desemprego (39%), corrupção financeira e política (38%) e educação (36%).

“Ainda que o desemprego afete milhões de pessoas, o crime a violência são fatores que afetam toda a população. Em termos de prioridade, a criminalidade é mais universal porque afeta todos. Isso quer dizer que o brasileiro não consegue nem sequer se preocupar com outras questões que não sejam as mais básicas”, afirma Marcos Calliari, CEO da Ipsos.

As cinco principais preocupações globais são parecidas com as brasileiras, mas em posições diferentes. O desemprego é o principal, com 33%. Em seguida estão: pobreza e desigualdade social (32%), corrupção financeira e política (31%), crime e violência (30%) e cuidados de saúde (25%).

O levantamento mostra que o desemprego não era um dos principais assuntos para os brasileiros até maio de 2015, quando o tema ganhou relevância como umas das principais preocupações. Globalmente, por outro lado, a preocupação com o desemprego caiu.

“A preocupação com desemprego continua muito alta no Brasil e com tendência de prosseguir. Não seria uma surpresa que o tema continue ganhando prevalência”, ressalta Calliari.

Além disso, a pesquisa aponta que mais da metade dos brasileiros (59%) acredita que as coisas no país estão no caminho errado. O índice está muito próximo o global (58%).

Brasil e o mundo
O México é o país mais preocupado com crime e violência, com 68%, seguido por África do Sul (61%) e Peru (55%). O Brasil está na sexta colocação, com 47%. Na outra ponta, a Hungria é o que menos teme esse tópico, com 7%.

Quando a questão é o sistema de saúde, o Brasil é a terceira nação que mais se preocupa com o tema, com 46%, atrás apenas de Hungria (70%) e Polônia (56%). A Turquia (2%) é o país que acha a questão menos preocupante.

Apesar de não ser a principal preocupação do Brasil, o país é o que mais considera a educação como um problema, com 36%. Em seguida estão Israel (34%) e Chile (33%). A Suécia é o que menos se aflige, com 8%.

O Brasil e o México são os que menos se preocupam com o declínio da moral (7%). O índice está abaixo da média global, de 15%. China (32%) e Japão (31%) são os que mais ficam inquietos com o tema.

O Brasil também é o que menos encara o controle de imigrantes como um problema, juntamente com a Coreia do Sul, ambos com 2%. No mundo, o índice é de 14%. Alemanha (34%), Estados Unidos (33%) e Suécia (32%) são os que mais se preocupam.

África do Sul e Brasil são as nações que menos se preocupam com as mudanças climáticas (2%). O resultado global é bem mais alto: 13%. O Canadá é o país que mais considera o tema, com 29%.

A pesquisa online foi realizada com 19,5 mil entrevistados em 28 países, incluindo o Brasil, entre 19 de abril e 3 de maio de 2019. A margem de erro para o Brasil é de 3,1 p.p.

* A pesquisa completa, em inglês, está disponível neste link: https://bit.ly/2Mj1zcm