Puggina.org by Percival PugginaConservadores e Liberais

Imagem Comentada

TRUMP ANUNCIA SUSPENSÃO DO ENVIO DE VERBAS PARA OMS

Percival Puggina, com conteúdo G1

Leio no G1

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta terça-feira (14) que vai ordenar a suspensão do envio de verbas para a Organização Mundial de Saúde (OMS). Ele acusa a organização de lidar de forma inadequada com a pandemia de coronavírus.

Há uma semana, Trump havia ameaçado cortar a verba durante uma entrevista coletiva, reclamando que a OMS poderia "ter avisado antes" sobre o perigo do coronavírus. Horas antes, ele havia postado uma mensagem se queixando que a organização dava muita atenção à China.

Nesta terça, Trump abriu sua coletiva diária anunciando o corte.
"Hoje estou instruindo minha administração a interromper o financiamento da OMS enquanto uma revisão é conduzida para avaliar seu papel (da OMS) na severa má administração e no encobrimento da disseminação do Coronavírus", disse.

Ainda segundo Trump, a OMS tem problemas "do tipo que ninguém acreditaria" e a revisão deve levar de 60 a 90 dias. Ele diz que, ainda em dezembro de 2019, havia "informações críveis" de que o vírus seria transmissível de uma pessoa para outra, mas que a OMS desprezou a gravidade da ameaça e não respondeu de maneira apropriada.

"Tantas mortes foram causadas por seus erros", afirmou.

"Por enquanto, redirecionaremos a saúde global e trabalharemos diretamente com outras pessoas. Toda a ajuda que enviarmos será discutida em cartas muito, muito poderosas e com grupos muito poderosos e influentes e grupos inteligentes", acrescentou.

Em comunicado divulgado horas depois, o secretário geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, disse que "não é hora" de reduzir o repasse de recursos à OMS.

"Agora é hora de unidade e de a comunidade internacional trabalhar junto com solidariedade para parar esse vírus e suas consequências desastrosas", afirmou.

 

COMENTO

Todo santo dia, a dupla de falantes da OMS – Tedros Adhanom Ghebreyesus e Michael Ryan – comparece aos canais de TV, lecionando ao mundo. Com que credibilidade? Deveriam iniciar suas falas com reiterados pedidos de perdão à humanidade pelos erros que cometeram. Esses erros agravaram o quadro de contaminação que levou à pandemia.

A ausência de qualquer explicação joga o manto da suspeita sobre o que dizem. Todo não globalista, aliás, adota espontaneamente essa atitude perante organismos de burocracia com atribuições supranacionais.

A OMS já deveria estar sofrendo uma auditoria externa para identificar as causas dos erros em que incorreu o comando da instituição bem como as características de suas relações com a China e o Partido Comunista Chinês. É possível que uma investigação assim, decifre, até mesmo, os impenetráveis segredos de Wuhan, que em um mês (janeiro) contou milhares de mortos e no dia 30 anunciou dois dias sem registro de casos novos...

***

Em meio a tantos erros, quando se tem que desculpar as autoridades da nossa saúde pública pela desinformação prestada à população afirmando que as máscaras eram inúteis, devemos assinalar a necessidade de ter e manter estoque de materiais estratégicos para tais situações. Há que produzi-los no Brasil, mesmo que a custo superior ao do produto chinês, para não ficarmos expostos à insegurança do mercado internacional.