Cavalheirismo

Rodrigo Mezzomo

24/05/2022

Leio no Facebook de Rodrigo Mezzomo

 

Meus queridos alunos e ex alunos, nunca esqueçam do cavalheirismo! Vejam o exemplo de Tom Cruise e a Duquesa.

O superastro esteve recentemente em Londres, para a estreia da sequência Top Gun: Maverick.

Quando a Duquesa de Cambridge chegou, como de costume, todos os olhares se voltaram para futura rainha.

Kate optou por usar um vestido que trazia alguma dificuldade de movimento.

Para a surpresa de todos, quando ela foi subir as escadas, Cruise ofereceu-lhe a mão para apoio.

Numa época em que o cavalheirismo se tornou uma palavra desprezada – em que o feminismo se radicaliza (com “marcha das vadias”, mulheres empoderadas de sovaco cabeludo e outras coisas pitorescas) - é significativo recordar que o cavalheirismo é a cortesia, o zelo, a oportunidade de o homem expressar respeito pela mulher.

Não é “opressão”, “masculinidade tóxica”, “patriarcado” ou outras idiotices que dizem por aí.

A resposta da Duquesa, ao aceitar ajuda com um sorriso, foi escaneadora e também demonstra que o fato de receber um ato cavalheiresco não a torna fraca, mas digna de respeito.

Expressar gratidão é um ato de nobreza de espírito.

É sempre animador perceber que o cavalheirismo e a gratidão feminina ainda existem e podem inspirar.

 

 

Leia mais

 

 

A FLORENSE, empresa de móveis de alto padrão, mundialmente conhecida e símbolo de qualidade da indústria gaúcha, completou ontem (18 de maio) 69 anos de fundação.

Essa data é sempre comemorada nas lojas que, mundo afora, representam a marca. O mesmo acontece na cidade serrana de Flores da Cunha, cuja população, majoritariamente de origem italiana, se identifica com o espírito de trabalho e empreendedorismo que marcou a vida da empresa.

Este ano, o aniversário da Florense foi comemorado também na CASA BRASIL, em Nova Iorque, onde a FLORENSE é uma das 64 empresas presentes na mostra que ocorre em promoção da Agência Brasileira de Promoção de Exportação e Investimentos (ApexBrasil).

O objetivo da CASA BRASIL é exibir o que levou nosso país a ocupar a 6ª posição no ranking mundial do setor e a continuar crescendo dentro dos elevados padrões de sustentabilidade, dos rígidos padrões ambientais do Código Florestal Brasileiro, diversidade de matérias primas e sofisticação. A exibição, iniciada no dia 11 já um sucesso, com previsão de vendas chegando perto dos US$ 20 milhões.

Na pessoa do CEO Mateus Corradi, envio meus parabéns à empresa, que honra este site com seu patrocínio, bem como a seus representantes e fornecedores.

Leia mais

Impressionante resenha da PAX RUSSA

Autor desconhecido

15/05/2022

 

Autor desconhecido  

 

Nota do editor: Recebi por WhatsApp esta síntese do imperialismo russo e sua permanente belicosidade desde o século XVIII. Se alguém conhece o autor, por gentileza me informe para acrescentar a informação ao texto. Recebo como bons todos os dados porque os que cobrem meu período de observação, desde os anos pós-guerra, estão corretos.

Pax russa - historicamente indesmentível!

• Grande Guerra do Norte e Anexação da Estónia e da Letónia, 1700-1721

• Partilhas da Polónia, 1772-1795

• Anexação da Crimeia, 1783

• Supressão da Polónia, 1794-1795

• Guerra Finlandesa e Ocupação da Finlândia, 1808-1809

• Guerra Caucasiana e Genocídio dos Circassianos, 1817-1864

• Pogroms de 1821 (Império Russo)

• Guerra Russo-Persa de 1826–1828 e Anexação da Geórgia, Arménia e Azerbaijão

• Repressão da Polónia, 1830-1831

• Intervenção na Hungria, 1848-1849

• Guerra da Crimeia, 1853-1856

• Repressão da Polónia, 1863

• Pogroms de 1881–1884 (Império Russo)

• Pogroms anti-chineses do Amur (Império Russo), 1900

• Pogroms de 1903–1906 (Império Russo)

• Guerra Soviético-Ucraniana, 1917-1921

• Deskulakização (Rússia Bolchevique e União Soviética), 1917-1933

• Terror Vermelho (Rússia Bolchevique), 1918-1922

• Intervenção na Guerra Civil da Finlândia, 1918

• Guerra Russo-Lituana, 1918-1919

• Guerra da Independência da Estónia, 1918-1920

• Guerra da Independência da Letónia, 1918-1920

• Guerra Polaco-Russa, 1919-1921

• Anexação da Íngria Finlandesa, 1919–1920

• Invasão e Ocupação do Azerbaijão, 1920

• Invasão e Ocupação da Arménia, 1920

• Invasão e Ocupação da Geórgia, 1921

• Repressão da Karélia, 1921–1922

• Sistema do Gulag (União Soviética), 1923-1961

• Coletivização Forçada (União Soviética), 1927-1940

• Deportação dos Íngrios Finlandeses (União Soviética), 1929-1944

• Holodomor (Ucrânia), 1932-1933

• Grande Terror (União Soviética), 1936-1938

• Invasão e Ocupação Soviética da Polónia, 1939-1941

• Guerra de Inverno (tentativa de invasão da Finlândia), 1939-1940

• Massacre de Katyn (União Soviética), 1940

• Ordens de pilhagem de artefactos culturais e infraestrutura industrial durante a ocupação soviética da Polónia e da Alemanha Oriental, (1940-1947)

• Ocupação da Bessarábia e Bucovina do Norte, 1940-1941

• Ocupação dos Países Bálticos, 1940-1941

• Supressão da Insurgência da Tchetchénia, 1940-1944

• Deportações Forçadas da Bessarábia e Bucovina do Norte, 1940-1951

• Guerra da Continuação (Segunda Guerra Soviético-Finlandesa), 1941-1944

• Massacre dos Prisioneiros de Guerra pelo NKVD (União Soviética), 1941

• Deportação dos Gregos Pônticos (União Soviética), 1942-1949

• Deportação dos Calmucos (União Soviética), 1943

• Operação Lentil (limpeza étnica da Tchetchénia e da Inguchétia), 1944

• Deportação dos Tártaros da Crimeia (União Soviética), 1944

• Deportação dos Turcos Mesquécios (União Soviética), 1944

• Deportação dos Bálcaros (União Soviética), 1944

• Transferência Forçada das Populações Alemãs (1944–1950)

• Massacres de civis durante o Cerco de Budapeste (Hungria), 1944-1945

• Ocupação da Roménia, 1944-1958

• Campanha de Violações de Mulheres (Polónia e Alemanha), 1945

• Caça ao Homem de Augustów (Polónia), 1945

• Bloqueio de Berlim (Alemanha Ocupada), 1948-1949

• Oposição ao Plano Marshall, 1948-1951

• Divisão da Alemanha, 1949-1990

• Organização da Greve Geral contra o governo da Áustria, 1950

• Repressão de Berlim e Alemanha Oriental, 1953

• Massacre de 9 de Março (Geórgia), 1956

• Repressão dos Protestos de Poznan (Polónia), 1956

• Intervenção na Hungria, 1956

• Supressão dos Irmãos da Floresta (Países Bálticos), 1945–1956

• Muro de Berlim (Alemanha Oriental), 1961-1989

• Massacre de Novocherkassk (Rússia Soviética), 1962

• Repressão das Manifestações de Yerevan (Arménia), 1965

• Operação Danúbio (Invasão da Checoslováquia), 1968

• Repressão dos Protestos de Dezembro (Polónia), 1970

• Repressão da Sublevação da Lituânia, 1972

• Repressão dos Protestos de Junho (Polónia), 1976

• Repressão das Manifestações da Geórgia, 1978

• Invasão e Intervenção no Afeganistão, 1979-1989

• Lei Marcial na Polónia, 1981-1983

• Tragédia de 9 de Abril (Geórgia), 1989

• Tentativa de supressão da Revolução Romena, 1989

• Janeiro Negro (Azerbaijão), 1990

• Primeira Guerra da Tchetchénia, 1994-1996

• Segunda Guerra da Tchetchénia, 1999-2009

• Guerra do Daguestão, 1999

• Guerra Civil da Inguchétia, 2007-2015

• Invasão da Geórgia e Ocupação da Ossétia do Sul e da Abecásia, 2008-…

• Anexação da Crimeia, 2014-…

• Intervenção em Donetsk e Lugansk (Ucrânia), 2014-…

• Invasão da Ucrânia, 2014 e em 2022

Sempre, “bons rapazes”.

 

Leia mais

Iniciativa brilhante

Gilberto Simões Pires, em Ponto Crítico

11/05/2022

Gilberto Simões Pires    

      

NOTÍCIA IMPORTANTE

Na edição de hoje da gazeta do Povo me deparei com uma notícia extremamente importante, que trata de uma lei que foi assinada, na segunda feira, 9, no estado da Flórida, EUA, pelo governador Ron DeSantis, que cria o DIA DAS VÍTIMAS DO COMUNISMO, data que será celebrada, anualmente, sempre no dia 7 de novembro.

CAMINHO A SER TRILHADO

Pois é, meus caros leitores: enquanto no nosso imenso Brasil a maioria dos professores do ensino público se dedica totalmente no sentido de convencer as nossas pobres crianças de que o melhor caminho a ser trilhado é o socialismo/comunismo, na Flórida o governador Ron DeSantis, adota uma iniciativa brilhante e saudável, em sentido totalmente oposto.

CRIMES COMETIDOS PELO COMUNISMO

Com esta nova lei, os professores de escolas públicas da Flórida deverão dedicar ao menos 45 minutos da aula ENSINANDO OS ALUNOS quem foram os LÍDERES COMUNISTAS assim como os CRIMES QUE FORAM COMETIDOS EM SEUS REGIMES.

A VERDADE SOBRE O COMUNISMO

Ao assinar a importante determinação, que entrará em vigor a partir do ano letivo de 2023, DeSantis enfatizou: - "Na Flórida, vamos dizer a verdade sobre o comunismo", sugerindo ensinamentos sobre Joseph Stalin, Mao Zedong e Fidel Castro e ensinamentos sobre a "pobreza, fome, migração, violência letal sistêmica e supressão do discurso" que ocorreram sob esses regimes.

EDUCAR OS NOSSOS FILHOS

Já a vice-governadora da Flórida, Jeanette Núñez, de origem cubana, afirmou que se há um lugar no mundo onde a importância da liberdade é conhecida é a cidade de Miami, por causa dos muitos exilados que recebeu. Disse mais: essa legislação é "importante" porque "não vai apenas educar os nossos filhos, mas também os filhos dos nossos filhos". Que tal?

Leia mais

Maio de FLORENSE em Nova Iorque

Percival Puggina, com conteúdo Quadrante Sul

10/05/2022

Percival Puggina, com conteúdo Quadrante Sul

 

             Em Nova Iorque, entre 15 e 17 de maio, a Florense, tradicional indústria brasileira de mobiliário de high end, participará da ICFF, International Contemporary Furniture Fair (Feira Internacional de Móveis Contemporâneos) ICFF. A presença da Florense é destaque constante nas grandes mostras nacionais e internacionais do setor. Trata-se da maior feira da América do Norte, sendo NY uma espécie de capital mundial do mercado consumidor. O evento terá lugar no deslumbrante Jacob K Javits Convention Center. A Florense exibirá a cozinha f53, cujo nome homenageia o ano de fundação da empresa (1953). O produto, em conceito totalmente inédito, foi criado pelo estúdio La Agencia, de Montevideo.

Simultaneamente, ocorrerá , também em Nova Iorque, a CASA BRASIL. O evento estará sediado no SoHo, famoso distrito de design da cidade,  entre as ruas Broadway e Mercier (quem estiver em NY não pode perder a oportunidade). Sua realização dá sequência ao sucesso obtido na exibição do ano passado. É uma iniciativa da ApexBrasil, em parceria com o Ministério das Relações Exteriores, com a Abimovel e outras entidades do setor de decoração, dentro do projeto Setorial Brazilian Furniture.

Na CASA BRASIL, a Florense participará com mobiliário assinado e marcará presença com três peças criadas por designers brasileiros – Rejane Carvalho Leite, Lattoog Design e Fernanda Brunoro –, todas com intervenção de Helio Ascari, o consagrado designer e CEO da Ascari Bicycles, parceiro internacional da Florense.

Honrado com o prestigioso apoio da Florense, o site Conservadores e Liberais, de Puggina.org, parabeniza a empresa, direção e colaboradores. Onde quer que cheguem, mundo afora, a marca Florense e seus produtos deslumbram os consumidores e orgulham o Rio Grande e o Brasil.

*Conteúdo a partir de release de Quadrante Sul Publicidade

 

 

Leia mais

Fraturas no STF

Percival Puggina

06/05/2022

 

Percival Puggina

 

         A falta de bom senso faz muitas vítimas em seu redor e, às vezes – apenas às vezes – gera consequências entre os destrambelhados. Esse parece ser o caso da conduta feroz e descabida do ministro Alexandre de Moraes arrastando o pleno para sua implicância revanchista com o deputado Daniel Silveira. A conta de chegar que levou a pena aos absurdos 8 anos e nove meses de reclusão, a reação imediata da presidência da República, a posterior imposição de boqueio de contas e de multa que excede o patrimônio do parlamentar geraram crescente mal estar na Corte. Começaram a vazar lamúrias internas de ministros ante a malquerença social e seus naturais reflexos no Congresso, onde a base do governo começou a se organizar e a olhar com reprovação para o lado direito da Praça dos Três Poderes.

Transcrevo trecho de análise publicada pelo site JOTA, de autoria do jornalista e escritor Felipe Recondo, dando destaque a algumas ações que têm gerado desagrados recíprocos entre os ministros:

“Repetindo o ditado popular – na casa que falta pão… -, ministros começaram a buscar os responsáveis pela fragilidade do tribunal neste momento politicamente difícil. Começaram a surgir nos jornais as hipóteses levantadas pelos ministros: o presidente Luiz Fux não mantém diálogo com a política; sem um presidente que se articula, o tribunal é surpreendido pelas crises e não tem como agir; Barroso não deveria ter atacado os militares; Alexandre de Moraes errou ao propor uma pena de 8 anos e 9 meses de pena [sic] para Daniel Silveira; o mesmo Alexandre de Moraes age solitariamente e não pensa na instituição, mas apenas nos seus planos; Cármen Lúcia mobiliza artistas no Supremo para indevidamente fazer oposição ao governo; Nunes Marques agiu como se não fosse parte do tribunal e, ao votar pela absolvição de Silveira, lavou as mãos e virou o rosto para os ataques que Bolsonaro desferiria ao tribunal; André Mendonça foi se explicar para Bolsonaro e usou o Twitter para dar satisfação de seu voto para os evangélicos”. (*)

A gana ideológica costuma andar de mãos dadas com a inépcia perante questões sensíveis. Como podem 11 pessoas exceder-se tanto em tão pouco tempo?

(*)   https://www.jota.info/stf/do-supremo/os-primeiros-sinais-de-desuniao-do-stf-pos-pandemia-05052022?

Leia mais