OS AMIGUINHOS DE MADURO!
Percival Puggina

 Um grupo de senadores resolveu fazer o que o governo brasileiro não fez quando aqui estiveram as esposas dos dois principais líderes oposicionistas buscando solidariedade da presidente Dilma. No dia 18 deste mês, os senadores foram a Caracas para uma visita aos líderes oposicionistas presos há mais de um ano pelo regime comunista implantado no país. Queriam chamar a atenção para a tirania instalada num país onde incitar manifestações contra o governo dá cadeia. O comunismo quebrou a Venezuela, como se sabe, mas ai de quem expresse desgosto. A visita deu no que se sabe: ruas bloqueadas, senadores abandonados pela representação brasileira e confinados ao aeroporto, de onde retornaram sem cumprir o que se haviam proposto.

Uma semana depois, outro grupo, com integral apoio da representação brasileira e dispondo de batedores para circular com maior liberdade, circulou por Caracas. Eram todos amigos do regime, conhecidos por suas devoções aos regimes cubano e bolivariano: Roberto Requião, Vanezza Grazziotin, Lindbergh Farias e Telmário Mota. Foram recebidos pelo narcotraficante presidente da Assembleia Nacional, Diosdado Cabello e por alguns oposicionistas. Não passaram nem perto do presídio onde estão presos os principais líderes da oposição. No que diz respeito à situação política local, entraram mudos e saíram calados. Suas únicas críticas foram dirigidas aos próprios colegas participantes da comitiva que os antecedeu. Arre!
 

  • 27 Junho 2015

JUÍZES FEDERAIS APOIAM MORO

 Leia na integra a declarção da Ajufe:

A Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) vem a público manifestar total apoio ao Juiz Federal Sérgio Moro, Titular da 13ª Vara Federal de Curitiba, na condução do julgamento da “Operação Lava Jato”. A pedido do Ministério Público Federal e da Polícia Federal, o Magistrado decretou recentemente uma série de medidas, entre elas a prisão de executivos de grandes empresas que, segundo as investigações, estariam envolvidos em crimes de corrupção e formação de cartel.

Vale destacar que as decisões tomadas pelo Juiz Federal Sérgio Moro no curso desse processo são devidamente fundamentadas em consonância com a legislação penal brasileira e o devido processo legal.

A Ajufe não vai admitir alegações genéricas e infundadas de que as prisões decretadas nessa 14ª fase da Operação Lava Jato violariam direitos e garantias dos cidadãos.

A Ajufe também não vai admitir ataques pessoais de qualquer tipo, principalmente declarações que possam colocar em dúvida a lisura, eficiência e independência dos magistrados federais brasileiros.

No exercício de suas atribuições constitucionais, o Juiz Sérgio Moro tem demonstrado equilíbrio e senso de justiça. As medidas cautelares, aplicadas antes do trânsito em julgado do processo criminal, estão sendo tomadas quando presentes os pressupostos e requisitos legais. É importante ressaltar que a quase totalidade das decisões do magistrado não foram reformadas pelas instâncias superiores.

A Ajufe manifesta apoio irrestrito e confiança no trabalho desenvolvido com responsabilidade pela Justiça Federal do Paraná, a partir da investigação da Polícia Federal e do Ministério Público Federal.

Foto de www.diariodopoder.com.br

  • 24 Junho 2015

Comento: há quem sustente a tese de que esses rapazes, se caírem na prisão, serão "estragados" pela convivência com outros criminosos...

 

BANCADAS FECHAM ACORDO SOBRE MAIORIDADE PENAL

(Publicado originalmente em Congresso em Foco)

Proposta do PSDB que ganha força entre as demais legendas prevê a redução da maioridade penal para crimes como tráfico de drogas, terrorismo, estupro e roubo seguido de morte, lesão corporal grave e roubo qualificado

Por Wilson Lima, 17/06/2015 08:15

Cinco bancadas partidárias (PSDB, PMDB, PSB, Solidariedade e DEM) fecharam acordo para apoiar uma proposta alternativa ao relatório da comissão especial à proposta de emenda à Constituição (PEC) que reduz para 16 anos a maioridade penal. O relator da comissão especial, Laerte Bessa (PR-DF), defende a realização de um referendo para ouvir a população sobre o tema. Para Bessa, que é delegado da Polícia Civil, o referendo apenas confirmaria a sua tese de que é necessária a redução da maioridade penal de forma ampla e irrestrita. O texto deve ser apresentado nesta quarta-feira (17), mas enfrenta resistência de parlamentares e entidades ligadas à defesa dos direitos humanos.

Mas, na falta de acordo sobre esse relatório, uma outra proposta, de autoria do deputado Jutahy Júnior (PSDB-BA), ganhou força na Câmara. A emenda prevê a redução da maioridade penal apenas em crimes como tráfico de drogas, terrorismo, crimes hediondos como estupro e roubo seguido de morte, lesão corporal grave e roubo qualificado.

Pela proposta original do tucano, o jovem responderá como adulto apenas se houver pedido do Ministério Público. Ou seja, caberia ao promotor responsável pela investigação do crime pedir à Justiça a punição ao menor com base no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) ou no Código Penal. Mas, pelo acordo das bancadas, a redução da maioridade penal não dependerá de pedido do MP. Ocorrerá automaticamente se o jovem for flagrado cometendo um desses crimes. Outros partidos como o PTB e o PR também são simpáticos à proposta do PSDB.

O entendimento ocorreu após ameaças do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), de levar a votação da proposta diretamente para o plenário, sem a apreciação da comissão especial criada exclusivamente para tratar do assunto. A estratégia seria a mesma adotada pelo peemedebista na reforma política. Na ocasião, ele ignorou as conclusões do colegiado que discutia a reforma do modelo político e eleitoral do país e remeteu a decisão aos 513 deputados. A intenção do presidente da Câmara é votar a PEC no plenário, no dia 30 de junho. 

  • 17 Junho 2015

FORRANDO OS BOLSOS COM NOSSO DINHEIRO!

Os financiamentos concedidos a países estrangeiros, para abrir caminho a empreiteiras brasileiras no exterior, embutem bilhões de dólares em subsídios oferecidos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A cifra beira os US$ 4,5 bilhões, segundo cálculos feitos pelo professor João Manoel Pinho de Mello, do Insper. O valor é quase metade do volume de recursos que o banco emprestou desde 2007, que foi de US$ 11,9 bilhões.


Os chamados financiamentos à exportação de serviços de engenharia têm um padrão, não são concedidos diretamente às empreiteiras; são feitos, em dólar, com os países onde as obras vão ocorrer. Quem se responsabiliza pelos pagamentos são os governos estrangeiros. O dinheiro, porém, é liberado para a construtora brasileira, em reais, no Brasil, pela cotação da moeda americana. A empresa se compromete a usar o dinheiro na aquisição de produtos e de serviços brasileiros destinados ao empreendimento no exterior. Segundo o BNDES, os desembolsos ocorrem à medida que a obra vai avançando.

(Publicado originalmente no Diário de Sorocaba)

COMENTO:

Esse montante de subsídio significa que o BNDES tomou dinheiro produzido pela atividade econômica produtiva nacional e repassou a governos estrangeiros com taxas de juros privilegiadas, gerando prejuízo ou resultado menor do que se os recursos fossem destinados a outros tomadores.

 

  • 14 Junho 2015

JÔ SOARES E SEU SÚBITO ENCANTAMENTO POR DILMA ROUSSEFF

OBSERVAÇÃO DO AUTOR SOBRE A MATÉRIA ABAIXO

Alguns leitores têm me enviado mensagens "informando" o que os recursos autorizados pelo SALIC não seriam recursos públicos porque correspondem a uma autorização para captação junto a empresas privadas. Ora, se os recursos não são públicos, mas das empresas, por que haveria necessidade de autorização de um órgão federal? Os recursos são públicos, sim, provenientes dos impostos, e deles o Estado abre mão para fins culturais. O que não pode é receber sucessivas autorizações para captar financiamentos e, depois, ir ao gabinete da presidente da República proporcionar a mais constrangedora exibição de puxa-saquismo da história da imprensa brasileira.
 

*****

 Se você eventualmente assiste o programa do Jô Soares já viu o suficiente para saber que ele se tornou, nos últimos meses, um ativista de esquerda e um militante petista.

Com o nível de informação e  formação que tem - ninguém pode qualificá-lo como um retardado ou desinformado - sua recente posição política não podia decorrer de convicção intelectual. Tinha que haver outra razão. Ninguém se apaixona pela presidente Dilma assim, de sopetão. Não agora. Não em 2015.

A explicação me veio por e-mail com prova documental. Jô Soares é diretor da montagem da peça Troilo e Cressida, de W. Shakespeare, que obteve recursos de R$ 1,957 milhões no programa Salic (Sistema de Apoio às Leis de Incentivo à Cultura) do Ministério da Cultura. Segundo o próprio Jô, na apresentação do projeto, que pode ser examinado aqui, " a peça tem um caráter político, e apresenta uma discussão ética sob aqueles que detêm o poder. No ponto de vista do diretor o espetáculo dialoga perfeitamente com o nosso tempo". A temporada terá 24 apresentações no Estado de São Paulo.

Agora está tudo explicado.

Recebido há pouco de um leitor, que menciona outras três peças de Jô com recursos da mesma fonte:

Prezado Percival, a respeito do súbito encantamento do Jô Soares por Dilma, verifiquei que a peça que você mencionou - Troilo e Cressida - não é a única peça do Jô financiada com dinheiro público, pois encontrei pelo menos outras três. 1) Três Dias de Chuva - Temporada São Paulo e Viagens. Valor aprovado: R$ 1.393.001,60. Direção: Jô Soares. 2) Histeria. Valor aprovado: R$ 2.260.400,00. Direção: Jô Soares. 3) Os Reis do Riso. Valor aprovado: R$ 1.919.400,00. Direção: Jô Soares. Fontes: 1) http://novosalic.cultura.gov.br/cidadao/dados-projeto?idPronac=501eac548e7d4fa987034573abc6e179MTcwODE3ZUA3NWVmUiEzNDUwb3RT 2) http://novosalic.cultura.gov.br/cidadao/dados-projeto?idPronac=501eac548e7d4fa987034573abc6e179MTkwODA1ZUA3NWVmUiEzNDUwb3RT 3) http://novosalic.cultura.gov.br/cidadao/dados-projeto?idPronac=501eac548e7d4fa987034573abc6e179MTg5NjQxZUA3NWVmUiEzNDUwb3RT

 

 

 

  • 13 Junho 2015

 

ENQUANTO O PT SANGRA - II

Essa estratégia "oposicionista" que se resume em "fazer o PT sangrar" me fez lembrar deste texto de Políbio Braga, em 9 de junho.

POLÍCIA FEDERAL DESCOBRE PAGAMENTOS MILIONÁRIOS FEITOS PELA CAMARGO CORRÊA PARA O INSTITUTO LULA

(http://polibiobraga.blogspot.com.br)

O Jornal Nacional informou ainda há pouco que a Camargo Corrêa pagou R$ 3 milhões para o Instituto Lula e mais R$ 1,5 milhão para a LILS Palestras Eventos e Publicidade, de Luiz Inácio Lula da Silva, entre os anos de 2011 e 2013.

O caso foi apurado durante perícia feita pela PF na contabilidade da empreiteira.

É a primeira vez que os negócios do ex-presidente aparecem nas investigações da Operação Lava Jato, que apura um esquema de cartel e corrupção na Petrobrás com prejuízo de R$ 6 bilhões já reconhecidos pela estatal.


São três pagamentos de R$ 1 milhão cada registrados como “Contribuições e Doações” e “Bônus Eleitoral” para o Instituto, aberto por Lula após ele deixar a Presidência da República, em 2011. A revelação sobre o elo da empreiteira – uma das líderes do cartel alvo da Lava Jato – com Lula consta do laudo 1047/2015, da Polícia Federal, anexado nesta terça-feira, 9, nos autos da investigação.

A PF anunciou que chamará os diretores da empreiteira para depor, mas não deixou claro se também chamará Lula, que via Instituto Lula afirmou que o dinheiro deve-se a pagamentos por conferências feitas pelo ex-presidente dentro e fora do País, como também a doações. Quanto ao caso dos "bônus eleitoral", citado pela PF, o Instituto Lula avisou que isto foi um engano da CC.

A contabilidade da empreiteira também registrou pagamentos para outro CNPJ usado por Lula.

R$ 800 mil foram pagos para a consultoria de Zé Dirceu.
 

  • 12 Junho 2015