• Alex Pipkin, PhD
  • 03 Outubro 2022

 

Alex Pipkin, PhD

De maneira funesta, é preciso reconhecer que o Brasil é um país, na sua maioria, de iletrados e de xucros.

Tal triste situação foi construída ao longo do tempo por uma elite de baixa qualidade, que insiste em sugar a renda das pessoas e das empresas criadoras de valor.

O resultado das eleições de ontem, portanto, são apenas demonstrações cabais desse status quo.

Narrativas e retóricas mentirosas e romantizadas atentam para o aumento das desigualdades e da fome no país, quando objetivamente se sabe que a pandemia - e o “fique em casa, a economia a gente vê depois” - aprofundou um quadro econômico sistematicamente tenebroso em terras verde-amarelas.

Diga-se de passagem, o Brasil atual transformou-se em um exemplo em termos de auxílio emergencial e em recuperação econômica - embora tímida - pós-Covid.

Tudo isso são fatos, e os fatos aparentam não importar. Nesta seara, referindo-me aos “institutos de pesquisa”, notadamente influenciadores do voto popular, é imperativo que se investigue seus “achados”, e comprovados equívocos sistemáticos.

Estranho que o presidente atual tenha elegido muita gente, apesar de que ele próprio tenha tido problemas.

Será o “ódio do bem” direcionado exclusivamente ao Capitão?

Essa é uma questão pertinente, haja visto que Bolsonaro representa o pragmatismo e a exposição franca - por vezes desajeitada - de perspectivas utópicas e embusteiras da esquerda, por exemplo, referente a desigualdade econômica, a religião, a família, a liberdade, entre outros temas relevantes.

O fato é que nunca houve efetivamente uma direita democrática no Brasil.

Sempre tivemos a mesma elite coletivista e exploradora no poder, com pequenas variações na forma de governar, porém, dentro dessa concepção coletivista e equivocada. Basta olhar hoje o burlesco alinhamento de Lula com seu vice Alckmin.

De encontro ao pragmatismo que dá certo, como se tem visto atualmente, o povaréu é presa singela para as promessas irrealizáveis e devastadoras do socialismo e/ou coletivismo, aquele das políticas românticas e estéticas formuladas por acadêmicos ungidos e solicitadas pela culta classe artística interessada.

Nesse contexto, se Bolsonaro quiser ganhar a eleição, terá que compulsoriamente alterar o “como se diz”, mesmo que a realidade econômica comece a apontar contra a corrente ideológica coletivista que condenada o país a vanguarda do atraso.

Sim, desnecessário identificar as situações econômicas e sociais na Venezuela, na Argentina, e no recém empossado governo colombiano.

São os fatos, estúpido! A conta para o povaréu da soberba ineficiência, mais cedo ou mais tarde, chega.

A batalha é mesmo sobre individualismo e coletivismo, sobre as mentiras românticas coletivistas que muito seduzem, embora suas verdades romanescas.

Para que a nação não tenha, mais uma vez, seu crescimento econômico retardado, a serviço de preferências estéticas e mentiras comprovadas, Bolsonaro terá mesmo que dizer o que tem que ser feito, cambiando o “como é dito”.

Sou cético. Evidente, o ofício desautoriza-me de romantizar a realidade, e o conhecimento e os fatos e os dados estão aí para quem quiser compreendê-los.

Continue lendo
  • Gilberto Simões Pires, em Ponto Crítico
  • 03 Outubro 2022

Gilberto Simões Pires

A DESCONFIANÇA

Antes de tudo, movido pela sinceridade, me adianto em informar que sigo bastante DESCONFIADO de que o resultado da eleição para presidente foi mais uma vez FRAUDADO. Trata-se, para que fique bem claro, de DESCONFIANÇA, não de CERTEZA. Entretanto, o que muito me incomoda é o fato de que as minhas DÚVIDAS são alimentadas por conta da impossibilidade de auditamento do sistema de apuração. Isto, reafirmo, me preocupa muito. 

A CONFIANÇA

 

Pois, ainda que não consiga me livrar desta preocupante DESCONFIANÇA, também devo dizer para os meus leitores e seguidores que sigo CONFIANTE de que no segundo turno, marcado para o dia 30/10, a vitória do presidente JAIR BOLSONARO será acachapante, o que significa, com todas as letras, que NEM A FRAUDE será capaz de alterar o resultado. De novo: este é o sentimento que carrego e por ele vou tratar de lutar. 

CÉDULAS DE PAPEL E URNAS ELETRÔNICAS

 

Dentro deste ambiente onde divido o meu sentimento de -DESCONFIANÇA- quanto ao viciado sistema de apuração de votos; e a CONFIANÇA de que mesmo assim JAIR BOLSONARO sairá vitorioso, volto a insistir e/ou propor: como o segundo turno reúne apenas dois candidatos (quer para governador quanto para presidente) nada melhor do que utilizar um sistema de votação -híbrido- que contemple CÉDULAS DE PAPEL com URNAS ELETRÔNICAS. 

O VOTO É O SÍMBOLO DA DEMOCRACIA

 

Esta sugestão pode parecer ingênua, mas nunca despropositada. Afinal, a preocupante DESCONFIANÇA que grande parte da sociedade brasileira carrega precisa, de uma vez por todas, ser debelada. De novo: enquanto o sistema eleitoral for visto com DESCONFIANÇA, a DEMOCRACIA sofrerá da mesma doença. Mais: o VOTO é o instrumento maior do EXERCÍCIO DA CIDADANIA, da manutenção da DEMOCRACIA e da TRANSOFORMAÇÃO DA SOCIEDADE.

 

Continue lendo
  • Ricardo Vélez Rodríguez
  • 29 Setembro 2022

Ricardo Vélez Rodríguez

Torço para que o Presidente Bolsonaro seja reeleito no próximo dia 2 de outubro e nele votarei, ciente de que é a melhor opção para o Brasil neste momento. Voto em Bolsonaro, em primeiro lugar, porque o Brasil precisa consolidar o caminho da opção liberal/conservadora defendida por ele. Não quero que o nosso país se transforme em terra de ninguém posta a serviço de uma servidão global, que é o que a esquerda oferece. Quero que o nosso país respeite a diversidade das pessoas e as suas opções éticas. Não quero um mandatário que aja com critério totalitário, como se fôssemos uma manada de entes sem identidade pessoal, sem preferências, sem diversidade, sem valores. Quero um Presidente que represente dignamente o nosso país no conjunto das Nações.

Ora, Lula seria uma volta ao passado que queremos esconjurar. Mostrou, nos seus dois governos e nos governos da sua pupila, a que veio. Veio para roubar e se perpetuar no poder, aniquilando o que de mais prezado temos: família, religião, pátria, livre iniciativa, moral. Não quero esse tipo de trapaça para os meus filhos e netos.

Estou ciente de que o candidato Bolsonaro tem defeitos. Mas são falhas que ele poderá corrigir, com a ajuda de um Congresso que some com ele e com a participação de um Judiciário que não seja o superpoder que descamba pelo caminho incerto do “autoritarismo instrumental”, prometendo, com isso, revigorar a nossa democracia. Quero que floresça uma imprensa livre, digna, independente de radicalismos ideológicos, patriota e que cumpra com a sua missão cidadã de informar e de esclarecer tanto o governo quanto a sociedade.

Quero um Presidente que dê continuidade à retomada do crescimento econômico, combatendo a inflação e o desemprego, como até agora fez o Bolsonaro com a ajuda do Ministro Paulo Guedes. Quero que o governo continue aplainando o caminho para a participação da iniciativa privada, notadamente para as nossas médias e pequenas empresas, que são as que mais empregos oferecem. Quero alguém que continue fortalecendo o agronegócio e que não o ameace com uma intervenção fiscal desafortunada como a que o candidato Lula promete. Quero que Bolsonaro, no seu segundo mandato, enfrente com força o problema da desindustrialização, que nos afasta do mundo desenvolvido e que bloqueia, aos brasileiros, oportunidades de trabalho.

Espero sinceramente que o próximo Presidente torne realidade fazer, na educação, a definitiva aproximação entre o MEC e os brasileiros, fiel ao slogan de Bolsonaro em 2018: “Menos Brasília e mais Brasil”. Falta ainda muito para fazer nessa seara, notadamente no que tange à libertação do sistema de ensino, em todos os seus níveis, da ditadura dos sindicatos ligados à CUT, que terminou se tornando uma doença endêmica que infelizmente persiste. Neste terreno, ainda, contudo, prefiro Bolsonaro a Lula, que só acenou com um vergonhoso “revogaço” das medidas saneadoras efetivadas por este governo.

Por outra parte, não quero mais essa assombração do STF que faz pouco caso da nossa liberdade de escolha e da nossa inteligência, e que se incomoda com o exercício da liberdade cidadã, pretendendo sufocá-la, começando com a censura à liberdade de expressão. Não quero um corpo policial de togados que mande e intimide como se fosse o dono do mundo e da lei.

Pensei que já tinha terminado, no nevoeiro do nosso passado republicano, a época dos presos políticos. E vejo, com tristeza, que, nas sombras da alta burocracia do Estado, se instalou um grupelho de pretensos juízes alheios aos valores da liberdade e da cidadania, que passou a agir como autêntico ferrabrás da República, prendendo jornalistas e empresários.

É lamentável o caminho pelo qual se extraviou o STF. De alta Corte, que deveria zelar pela preservação da nossa Constituição, resvalou para o lamaçal pútrido das maquinações escusas em prol de resguardar os interesses da esquerda retardatária, que tornou o Supremo o seu despachante de plantão. A judicialização da política é um mal para o Brasil e nela terminou chafurdando, ignobilmente, o Supremo.

Fiquei emocionado com as multitudinárias manifestações que, pelo Brasil afora, os brasileiros fizeram no 7 de setembro. Nunca imaginei ver a Esplanada dos Ministérios tão repleta de famílias e das cores verde e amarela. Mais de um milhão de pessoas estavam presentes! Não foi uma encenação previamente ensaiada. Foi uma autêntica manifestação popular. E esse ato de civismo se repetiu por todo o nosso País, de Norte a Sul. Jamais tinha visto a Praia de Copacabana literalmente lotada por uma multidão que ultrapassou o milhão de pessoas. A mesma coisa pude observar na Avenida Paulista, com mais um milhão de brasileiros que homenageavam os duzentos anos da nossa Independência. Essas manifestações de civismo multiplicaram-se por todo o território nacional. Mais de trezentas cidades brasileiras somaram-se a essa prova de civismo. Ora, o que fazer diante disso? Somente podemos ter uma atitude: admirar o patriotismo da nossa sociedade e cumprir com a sua vontade: Bolsonaro Presidente!

*       O autor é formado em Filosofia (licenciatura, mestrado e doutorado), pesquisa a história das ideias filosóficas e políticas no Brasil e na América Latina, e fez pós-doutorado em Paris sobre as ideias de Alexis de Tocqueville e os liberais doutrinários.

**      Texto publicado originalmente no blog do autor, em https://www.ricardovelez.com.br/blog/bolsonaro-presidente

Continue lendo
  • José Maurício De Barcellos, em Diário do Poder
  • 28 Setembro 2022

 

José Maurício De Barcellos

Aproxima-se a hora da mais importante batalha deste povo contra os regimes totalitários de esquerda que já dominam uma parte significativa do planeta a qual, por sua vez, trama contra nossa liberdade.

É uma hora de muita aflição para os patriotas, mas vamos vencer porque, como se vê de Norte a Sul do País, finalmente a tal brava gente brasileira se levantou.

Tudo se iniciou quando as gerações dos anos 40 até as dos anos 70 se deram conta finalmente de que concorreram, ainda que involuntariamente, para coexistência de dois dramáticos fatores que gravaram a Nação Verde e Amarela, quase destruindo a vida nesta Terra de Santa Cruz: i) permitiram o avanço do social-comunismo ateu e assassino, bem como ii) consentiram que se desse início ao maior ultraje dos valores morais e cívicos de nossa sociedade, como antes jamais havia acontecido.

Dentro do peito de cada verdadeiro brasileiro daqueles tempos, uns mais outros nem tanto, mas com certeza de todos ainda que no limite de suas possibilidades, amarga um remorso por não ter combatido mais por seu País, até deixar a Pátria livre dos vermelhos. Nunca aquela escória da raça humana poderia ter nos alcançado, não neste País de meu DEUS!

Pois bem. São aqueles homens de honra que têm consciência de que nestas eleições, decisivas para o progresso e para liberdade de nossa gente, vão travar aquela que pode ser sua derradeira batalha para corrigir os erros do passado e para afirmar perante os que venham depois deles seu compromisso e seu legado de luta pelo Brasil nem que, se preciso for, venham a tombar neste derradeiro combate.

A turma da roubalheira sistêmica; a corja da banca usurpadora do suor de nossa gente; a horda de chupins da máquina aparelhada; a súcia dos vendidos e traíras da ecologia burra e atrasada; a malta da política suja e sem verniz; as quadrilhas do STF e do Parlamento; a matula da imprensa v.v. (venal e vendida), todos já sabem que suas chances de retomar ao poder são realmente mínimas, porém não vão desistir. O mal nunca deixa de existir e nunca desiste.

Eu pessoalmente, por formação e temperamento, auguro que não desistam, porque é exatamente por causa da insana e doentia insistência deles, que hoje estão nus à vista do povo trabalhador e apaixonado pelo Brasil da “Nova Ordem”. São visíveis a olho desarmado.

Quem vota no “Ogro Descondenado” é porque optou por consentir a volta da roubalheira dos cofres públicos e anseia por também se beneficiar, por si ou por algum dos seus, de uma vantagenzinha aqui ou acolá.

Quem apoia os “Contras” ou os “Terceirroviistas” é porque nutre a esperança de ter um Brasil cativo de determinadas classes privilegiadas, pois, cônscio de sua incompetência pessoal e funcional, almeja naquelas se abrigar.

Quem se agregou às quadrilhas daqueles que foram expulsos do Planalto como indecentes e más figuras é porque não se peja de se submeter ao jugo, às ordens e às propostas escusas dos chefões, a quem devem prestar vassalagem. Quantas graúdas excelências, doutores, dirigentes, chefes, chefetes e lambaios da máquina governamental se venderam por um cargo qualquer e ainda racharam seus ganhos com o PT? Conheço uns poucos. Tenho dó deles, mas nenhum respeito.

Quem não se importa de ver sua família violentada diariamente, suas crianças molestadas, seus templos invadidos, sua crença perseguida, seus bens confiscados, sua segurança comprometida e sua liberdade subtraída é porque há muito desistiu de sua honra e de seus princípios. É com estes que as quadrilhas de FHC a Temer contam para “venezuelizar” o Brasil.

É justo no ladro podre desta Nação em que aquela gente se homizia que a toda hora surge uma investida ou a emboscada mais terrível e perversa dos “Desonrados da Pátria”. Vou exemplificar, em rápidas pinceladas, o grau de sordidez e de maldade que se permitem contra o País em que nasceram.

Avaliem as razões pelas quais atacam ferozmente nosso agronegócio e logo este seguimento econômico que salvou o Brasil da terrível debacle ocorrida no mundo em virtude da pandemia do vírus vermelho e globalista. Vejam como se movimentam a indigitada canalhada e a “xiitalha” do meio ambiente, que venderam sua alma para a cobiça do estrangeiro, a ponto de pregar a relativização da soberania da nossa Amazônia.

Não vou trazer aqui à colação as risíveis declarações do “porco petista” que, prometendo entregar a Amazônia aos estrangeiros, tenta rotular o Agro como uma atividade fascista e direitista. Muito pior são as investidas e as tramas dos hipócritas ecológicos que, depois de se fartar com os alimentos vindos do campo querem ver o produtor prisioneiro apenas de seus abomináveis interesses pessoais ou dos países que lhes compraram.

No que diz respeito à produção de alimentos, tem-se que, se fosse viável a volta da esquerda delinquente, tudo que alcançamos iria por água abaixo. Tem-se, igualmente, que no fundo eles ainda constituem sim uma ameaça devastadora. Ainda que seja remota – muito remota mesmo – a volta do PT e dos seus malfeitores ao poder, se por “mala suerte” tal desgraça viesse a ocorrer o campo estaria na unha do capeta.

O Brasil dos dias que antecedem a grande e decisiva batalha conta aqueles que já o desgraçaram nas últimas três décadas, por hora ainda está com um barril de pólvora no colo e somente depois das eleições de outubro vindouro é que vamos saber realmente se vai explodir ou não.

O mais dramático de tudo isso é que o “Gigante das Américas” conta apenas com sua brava gente ordeira e trabalhadora, porque os países atingidos pela maior crise de alimentos que o mundo já viu na era contemporânea querem mesmo é dominar o homem do campo e a sua indústria para comprar alimento quase de graça deste País.

Considere-se, ademais, o grau de perda que se pode experimentar, pois, em verdade, tudo quanto até aqui este governo de gênios e de mãos limpas logrou conseguir com o Agro está apenas no início. Muito mais virá em curto prazo. A grande fase, no dizer de especialistas do quilate de Paulo Herrmann (um ícone do Agro), ainda está por vir.

Segundo esclareceu o ex- CEO da John Deere, a maior empresa fabricante de máquinas agrícolas do mundo – um engenheiro pela Universidade Federal de Pelotas (UFPEL) e MBA em Business Administration and General Management pela Universidade do Vale do Sinos (Unissinos) – em recente palestra na Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul, o futuro do nosso agronegócio virá fortalecido por conta de dois fatores que já se firmam, sem oportunidade de retrocesso. O primeiro consiste em um flagrante rejuvenescimento do agricultor brasileiro, cuja idade média hoje é de 45 anos – contra a do USA que é de 58 anos e da Europa que é de 62 anos – que está caindo ainda mais. Tudo se refletirá diretamente na digitalização das práticas no campo e isto fará toda a diferença.

O segundo surgiu com a pandemia do corona vírus que produziu um êxodo reverso com a volta do jovem nascido no campo que estava na cidade. Vivemos um momento de inflexão com forças jovem e com alta tecnologia que trazem a oportunidade de se usar 4 ou 5 meses que estavam vagos, com sol disponível e muita água. Daí os 400 milhões de toneladas de grãos e os 300 milhões de cabeças de gado, disse Herrmann.

Um retrocesso no campo e o avanço dos assassinos do MST de Lula não podem acontecer e não acontecerão porque mesmo que as cidades capitulem o campo as vingará e, escutem bem, o campo tem uma força descomunal. Chegamos até aqui. Não há como voltar atrás. Vamos avançar neste segmento. Seria um desastre e uma perversidade, principalmente com aqueles que, de sol a sol, trabalharam para tirar o País do atoleiro em que foi jogado.

A importância deste novo Brasil, desta nova fronteira agrícola para si e para o planeta como o grande celeiro do mundo é uma das muitas motivações que nos impele a lutar nesta guerra até quando o espectro dos “ismos do mal” esteja erradicado sob a terra e, nestas eleições vindouras, travaremos uma batalha decisiva.

*         José Maurício de Barcellos é ex-Consultor Jurídico da CPRM-MME , advogado.

**        Artigo publicado originalmente no excelente Diário do Poder, em https://diariodopoder.com.br/opiniao/a-batalha-decisiva

Continue lendo
  • Gilberto Simões Pires, em Ponto Crítico
  • 27 Setembro 2022

Gilberto Simões Pires       

RESUMO COMPARATIVO

Na semana passada, eleitores que se identificam plenamente com os -PRINCIPIOS E PROPÓSITOS do PT-, e como tal agem e se manifestam sistematicamente como fiéis apaixonados pelo candidato LulaLadrão, usaram as redes sociais para -ironizar- e colocar em dúvida -eleitoral- as obras e realizações que marcaram -positivamente- este primeiro mandato do presidente Jair Bolsonaro. Pois, mesmo levando em conta os enormes obstáculos que foram impostos para dificultar as realizações, eis aí o RESUMO DAS OBRAS e/ou REALIZAÇÕES entregues (ao longo dos últimos 3 anos e meio) pelo governo presidido por JAIR BOLSONARO e compare com os (13 anos) repletos de ESCÂNDALOS entregues pelos governos Lula e Dilma petistas.

RESUMO DOS ESCÂNDALOS PETISTAS

Começando pelos governos petistas, eis aí um inquestionável e tenebroso RESUMO DE ESCÂNDALOS que marcaram os governos Lula/Dilma:

2001 - Assassinato de Toninho do PT
2002 - Assassinato de Celso Daniel
2002 - Assassinato de 2 envolvidos no caso Celso Daniel
2003 - Assassinato de 4 envolvidos no caso Celso Daniel
2003 - ONG Rede 13 é extinta após receber R$ 7,5 milhões
2004 - Caso GTech (Carlinhos Cachoeira)
2004 - Escândalo dos Bingos (Waldomiro Diniz)
2004 - 300 Medidas Provisórias de Lula
2004 - Morrem 3 da diretoria do Bancoop (OAS e o Triplex)
2005 - Assassinato do legista do caso Celso Daniel
2005- Escândalo dos Correios
2005 - República de Ribeirão (Antonio Palocci)
2005 - Escândalo do Mensalão - R$ 200 milhões em desvios
2005 - Escândalo dos Dólares na Cueca
2005 - Cassação de Zé Dirceu
2005 - Escândalo da Gamecorp-Telemar R$ 111 MI para Lulinha
2006 - Caso Francenildo dos Santos Costa (Antonio Palocci)
2006 - Escândalo da Refinaria de Pasadena (prejuízo de R$ 3 bilhões)
2006 - Escândalo dos Sanguessugas
2006 - Escândalo dos Aloprados
2006 - Escândalo do Corinthians - MSI
2006 - Mesadas de Antônio Palocci
2007 - Operação Navalha
2007 - BNDES e o etanol em Moçambique
2007 - R$ 111,4 bilhões da CPMF desviados da saúde
2008 - Dossiê contra FHC e Ruth Cardoso (Dilma e Erenice Guerra)
2008 - Caso Cartões Corporativos
2008 - Usina Hidrelétrica Jirau - Fraude no Leilão
2008 - Usina Hidrelétrica de Santo Antônio - Caixa dois
2009 - Caso Lina Vieira (Dilma e Gabrielli)
2009 - Refinaria Abreu e Lima - R$ 90 milhões em propinas
2009 - Propina na compra de submarinos e helicópteros franceses
2009 - Escândalo das montadoras - Medida Provisória 471
2010 - Caso Bancoop
2010 - Escândalo Novos Aloprados
2010 - R$ 1 MI de Alberto Youssef na campanha de Gleisi Hoffmann
2010 - BTG Pactual e as sondas do pré-sal
2010 - Erenice Guerra - Tráfico de influência
2010 - Governo Lula gasta R$ 88,2 milhões nos cartões corporativos
2011 - Caso Palocci Consultor
2011 - Escândalo nos Ministérios da Agricultura, Transportes e Cidades
2011 - Escândalo nos Ministérios do Turismo, Esporte e do Trabalho
2011 - Faxina Ética no Governo Dilma
2012 - Caso Cachoeira
2012 - Escândalo no Ministério da Pesca (Ideli Salvatti)
2012 - Rosemary Noronha e Lula e os 25 € milhões em Portugal
2012 - BNDES - Usina Metalúrgica na Venezuela
2012 - Operação Porto Seguro (Rosemary Noronha)
2012 - Prisão da cúpula do PT
2013 - Início das Pedaladas Fiscais
2013 - BNDES - Rodovia em Gana
2013 - Aeroporto em Guiné Equatorial
2013 - Arlindo Chinaglia - R$ 1 bilhão em fraudes de licitações
2013 - Dilma perdoa US$ 900 milhões em dívidas de ditaduras africanas
2014 - Assassinato de Paulo Malhães - Comissão da Verdade
2014 - BNDES - Porto Mariel em Cuba
2014 - Lava Jato - expectativa de recuperar R$ 40 bilhões
2014 - Superfaturamento de US$ 900 milhões caças Gripen
2015 - Prisão do ex-tesoureiro do PT
2015 – Ex-diretor da ANP cai do 11º andar
2015 - Caso LFT Marketing e Touchdown - R$ 12 MI para Luleco
2016 - R$ 131 bilhões de cortes na Saúde
2016 - Caso Exergia - R$ 20 MI para Taiguara dos Santos
2016 - Crime de responsabilidade fiscal de Dilma
2016 - Assassinato de Arthur Sendas (Compra de Pasadena)
2016 - Marqueteiro do PT é preso
2016 - Delcídio Amaral preso em flagrante
2016 - Governo Dilma gasta R$ 44,4 milhões nos cartões corporativos
2016 - Denúncias comprovadas já chegam a R$ 47 bilhões em desvios do PT
2016 - BNDES - US$ 788 milhões em propinas em 12 países
2018 - Assassinato de Roberto do PT (Queima de Arquivo)
2018 - Lula Preso - Primeiro de 8 Processos
2018 - Corrupção na usina de Belo Monte
2018 - Escândalo das agências de pesquisa na Campanha de Dilma
2018 - BNDES - Calote de Venezuela, Cuba e Moçambique (lavagem internacional)
2018 - Comperj - R$ 15 milhões de propina para o PT
2018 - Vice-presidente da Guiné Equatorial chega ao Brasil com US$ 16,4 milhões
2018 - Desvios de R$ 140 milhões nas obras da Torre Pituba
2018 - Caso Lulazord
2018 - Desvios de R$ 126 milhões nas obras a transposição do rio São Francisco
2019 - Fernando Pimentel e CEMIG
2019 - André Esteves, Lula e Graça Foster na PetroAfrica
2019 - Operação Vegatomia - R$ 500 milhões em fraudes no FIES
2019 - Delação de Palocci - R$ 270,5 milhões para o PT
2019 - R$ 1,1 milhão de mesada para Frei Chico (irmão de Lula) — em Edealina.

 

RESUMO DAS REALIZAÇÕES FEITAS POR BOLSONARO

Agora vejam, e comprovem, com o RESUMO DE REALIZAÇÕES feitas ao longo do governo Bolsonaro que os petistas apaixonados por Lula se recusam a admitir: 

EMPREGOS

- 5,3 MILHÕES DE EMPREGOS GERADOS DESDE JUL/2020

- SALDO POSITIVO DE 1,3 MILHÃO DE EMPREGOS SOMENTE EM 2022

- MENOR ÍNDICE DE DESEMPREGO DESDE 2015 – 9,3%

ABERTURA DE EMPRESAS

- 8,1 MILHÕES DE EMPRESAS ABERTAS EM 3 ANOS (média de 2,7 milhões por ano)

- NOS GOVERNOS DO PT, FORAM 8 MILHÕES, EM 14 ANOS (média de 0,57 milhões por ano)

- PROGRAMAS DE PRESERVAÇÃO DE EMPREGO SALVARAM 10 MILHÕES DE EMPRESAS DA FALÊNCIA

REDUÇÃO DE IMPOSTOS

- TRIBUTOS FEDERAIS ZERADOS SOBRE A GASOLINA, ETANOL HIDRATADO E DIESEL

- LEI PARA REDUÇÃO OBRIGATÓRIA DO ICMS SOBRE COMBUSTÍVEIS, ELETRICIDADE E TELECOMUNICAÇÃO NOS ESTADOS REDUÇÃO DO IPI EM ATÉ 35% PARA A MAIORIA DOS PRODUTOS FABRICADOS NO BRASIL

- REDUÇÃO DO IPI PARA OS AUTOMÓVEIS PRESERVAÇÃO DA COMPETITIVIDADE NA ZONA FRANCA DE MANAUS

SAÚDE (antes da pandemia)

- CRIAÇÃO DA SECRETARIA DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE E DO DEPARTAMENTO DE SAÚDE DA FAMÍLIA

- PROGRAMA MÉDICOS PELO BRASIL INFORMATIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE SAÚDE COM O CONECTE SUS

- R$ 333 MILHÕES PARA CONTRATAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE SAÚDE CONCLUSÃO DAS OBRAS DE UPAs QUE ESTAVAM PARADAS E TRANSFORMOU EM UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE (UBS) E CLÍNICAS DA FAMÍLIA

SAÚDE (durante a pandemia)

- R$ 28 BILHÕES PARA AQUISIÇÃO DE VACINAS CONTRA A COVID-19

- AQUISIÇÃO DE 600 MILHÕES DE DOSES DE VACINA CONTRA A COVID-19

- MAIS DE R$ 626,5 BILHÕES INVESTIDOS EXCLUSIVAMENTE NO COMBATE AO VÍRUS DA COVID-19, R$ 375 BILHÕES EM REPASSES GERAIS PARA ESTADOS E MUNICÍPIOS INVESTIREM EM SAÚDE

SAÚDE (durante e pós pandemia)

- PISO SALARIAL NACIONAL DA ENFERMAGEM (ENFERMEIROS, TÉCNICOS, AUXILIARES E PARTEIRAS)

- CONCESSÃO DE PENSÃO VITALÍCIA A CRIANÇAS VÍTIMAS DO ZIKA VÍRUS

- REDE DE ATENÇÃO MATERNA E INFANTIL PARA CUIDADO DE MULHERES E CRIANÇAS - CUIDA MAIS BRASIL - PROGRAMA MÃES DO BRASIL

EDUCAÇÃO

- REAJUSTE HISTÓRICO DE 33% PARA PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA

- MAIS DE R$ 275,9 BILHÕES REPASSADOS PARA ESCOLAS PÚBLICAS

- SÓ EM 2021, R$ 178 MILHÕES FORAM DESTINADOS PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES, VIA CAPES

- R$ 13,1 BILHÕES REPASSADOS AO PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR (PNAE)

- R$ 2,2 BILHÕES REPASSADOS AO PROGRAMA NACIONAL DE APOIO AO TRANSPORTE ESCOLAR

- R$ 6,8 BILHÕES REPASSADOS AO PROGRAMA NACIONAL DO LIVRO DIDÁTICO (PNLD)

- PERDÃO DA DÍVIDA DO FIES ? DESCONTOS DE ATÉ 99% DO VALOR DA DÍVIDA BENEFICIANDO MAIS DE 1 MILHÃO DE ALUNOS

- R$ 24 BILHÕES INVESTIDOS NA EDUCAÇÃO BÁSICA ENTRE 2020 E 2022 - PRIORIDADE-

- MAIS DE 80 MIL ALUNOS MATRICULADOS EM ESCOLAS CÍVICO-MILITARES

SEGURANÇA PÚBLICA

- R$ 5,4 BILHÕES INVESTIDOS EM SEGURANÇA ENTRE 2019 E 2021

- MENOR NÚMERO DE ASSASSINATOS DESDE 2011. MAIOR REDUÇÃO NO NÚMERO DE HOMICÍDIOS DA HISTÓRIA RECENTE

- MAIS DE R$ 1,5 BILHÃO FORAM REPASSADOS PARA AS POLÍCIAS ESTADUAIS

- PREJUÍZO DE R$ 30,7 BILHÕES AO CRIME ORGANIZADO, INCLUINDO TRÁFICO DE DROGAS

- INTENSIFICAÇÃO DO NÚMERO DE OPERAÇÕES DA FORÇA NACIONAL DE 46 (2018 ) PARA 96 (2021)

- CRIAÇÃO DO PROGRAMA VIGIA, DESARTICULANDO O TRÁFICO NAS FRONTEIRAS

SEGURANÇA NO CAMPO

- PORTE DE ARMA PARA O PRODUTOR RURAL DEFENDER SUA FAMÍLIA E SUA PROPRIEDADE

- REDUÇÃO EXPRESSIVA DO NÚMERO DE INVASÕES À PROPRIEDADE RURAL

- NÚMERO 96% MENOR QUE NOS GOVERNOS DE ESQUERDA

AUXÍLIO BRASIL

- MAIOR PROGRAMA DE TRANSFERÊNCIA PERMANENTE DE RENDA DA HISTÓRIA DO BRASIL

- MAIOR E MAIS COMPLETO QUE O ANTIGO PROGRAMA PAGAMENTO MÍNIMO DE R$ 600 A PARTIR DE AGOSTO/22

- $ MÉDIO DO AUXÍLIO BRASIL ATÉ JUL/22: R$ 408

- $ MÉDIO DO AUXÍLIO BRASIL ATÉ DEZ/22: R$ 600

- $ MÉDIO DO BOLSA FAMÍLIA: R$ 190

AUXÍLIO EMERGENCIAL

- MAIOR PROGRAMA ASSISTENCIAL DO MUNDO - MAIS DE 68 MILHÕES DE BRASILEIROS BENEFICIADOS

- R$ 355 BILHÕES PAGOS DIRETAMENTE AOS CIDADÃOS

- SOMENTE EM 2020, OS VALORES PAGOS EQUIVALEM A 15 ANOS DO BOLSA FAMÍLIA

GOVERNANÇA DAS ESTATAIS

- COM BOA GESTÃO E HONESTIDADE, ESTATAIS VOLTARAM A DAR LUCRO DEPOIS DE ANOS DE PREJUÍZOS BILIONÁRIOS EM GOVERNOS DE ESQUERDA

- EM 2015: PREJUÍZO DE R$ 32 BILHÕES

- EM 2019: LUCRO DE R$ 109 BILHÕES

- EM 2020: LUCRO DE R$ 69 BILHÕES

- EM 2021: LUCRO DE R$ 188 BILHÕES

COMBATE À CORRUPÇÃO

- 202 OPERAÇÕES DA CGU(2019-2021)

- MÉDIA ANUAL DE OPERAÇÕES CONTRA CORRUPÇÃO GOVERNOS DE ESQUERDA: 22 GOVERNO BOLSONARO: 67

- R$ 15 BILHÕES DE VALORES ACORDADOS R$ 6 BILHÕES DE VALORES JÁ DEVOLVIDOS

MEIO AMBIENTE

- BRASIL É UMA SUPERPOTÊNCIA ECOLÓGICA E O PAÍS QUE MAIS PRESERVA NO MUNDO 66,3% DE TODO O TERRITÓRIO É PRESERVADO

- UM DOS CÓDIGOS FLORESTAIS MAIS RÍGIDOS DO MUNDO NA AMAZÔNIA, 80% DA PROPRIEDADE TEM DE SER PRESERVADA

- APENAS 30,2% DO NOSSO SOLO SÃO USADOS PARA PRODUÇÃO AGRÍCOLA E PECUÁRIA NOSSO PAÍS ALIMENTA UM BILHÃO DE PESSOAS NO MUNDO, ALÉM DOS PRÓPRIOS BRASILEIROS

- OPERAÇÃO VERDE BRASIL 1 (2019) APREENSÃO DE 23.491 M³ DE MADEIRA E DE UMA AERONAVE, 127 PRISÕES, MULTAS NO VALOR DE R$ 142 MILHÕES

- OPERAÇÃO BRASIL VERDE 2 (2021) APRENSÃO DE 506.136 M³ DE MADEIRA, 990 VEÍCULOS E TRATORES, 335 PRISÕES E MULTAS NO VALOR DE R$ 3 BILHÕES

TRANSPOSIÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

- INICIADA EM 2007, RETOMADA EM 2019 E CONCLUÍDA EM 2021, COM 477 KM DE CANAIS

R$ 4,8 BILHÕES DE REAIS INVESTIDOS NESTE GOVERNO. 16 MILHÕES DE PESSOAS BENEFICIADAS (28% DA POPULAÇÃO DA REGIÃO NORDESTE)

- CONTRATAÇÃO DE OBRAS ACESSÓRIAS (NÃO PREVISTAS ANTES) COM CANAIS NOS ESTADOS DE ALAGOAS, PARAÍBA, REIO GRANDE DO NORTE, BAHIA, SERGIPE E CEARÁ

INFRAESTRUTURA (OBRAS FINALIZADAS)

- CONCLUSÃO DE OBRAS QUE ESTAVAM PARADAS HÁ MUITO TEMPO -

- NO RS, CONCLUSÃO DA PONTE DO GUAÍBA (APÓS 10 ANOS DO ANÚNCIO DA OBRA)

- BR-163: CONCLUSÃO DO TRECHO QUE LIGA O MATO GROSSO AO PARÁ (QUASE MEIO SÉCULO DE ESPERA POR ESSA OBRA) -

- TRANSPOSIÇÃO DO SÃO FRANCISCO: MAIS DE 13 ANOS PARADA (O SONHO VINHA DESDE O PERÍODO DO IMPÉRIO) - EM MG, PAVIMENTAÇÃO DE UM TRECHO DA BR-154, LIGA O CENTRO-OESTE E SUDESTE (50 ANOS DE ESPERA POR ESSA OBRA)

- CONCLUSÃO DA PONTE DO ABUNÃ (ACRE-RONDONIA) FIM DA INDÚSTRIA DAS BALSAS

- MAIS DE 40 OBRAS CONCLUÍDAS (MAIORIA ESTAVA PARADA EM GESTÕES ANTERIORES)  MAIS DE R$ 179 BILHÕES DE INVESTIMENTOS EM RODOVIAS ATÉ 2023

- PROGRAMA PRO TRILHOS 76 REQUERIMENTOS PARA A CONSTRUÇÃO E OPERAÇÃO DE FERROVIAS MAIS DE R$ 224 BILHÕES EM INVESTIMENTOS

- MAIS 176 PROJETOS DE DESESTATIZAÇÃO NA CARTEIRA DE PROJETOS

AGRONEGÓCIO

 + DE 369 MIL TÍTULOS DE TERRAS ENTREGUES (VERDADEIRA REFORMA AGRÁRIA)

 - A MÉDIA ANUAL DE VALOR PROGRAMADO NO PLANO SAFRA CRESCEU 21% NO PERÍODO DE 2019/20 A 2022/23 EM RELAÇÃO AO DE 2015/16 A 2018/19

- AS EXPORTAÇÕES PASSARAM DE R$ 68 BILHÕES EM 2018 PARA R$ 82 BILHÕES EM 2021 PLANO SAFRA (22/23) É 53% MAIOR QUE O VALOR DE 2018/19

- REALIZAÇÃO DE 148 LEILÕES ATÉ JUNHO/22 (35 PORTOS, 34 AEROPORTOS, 7 RODOVIAS, 6 FERROVIAS, 31 PROJETOS DE ENERGIA, ÓLEO, GÁS E MINERAÇÃO, 9 DE SANEAMENTO BÁSICO E MAIS 26 EM OUTRAS ÁREAS)

REDUÇÃO DE CARGOS, DE GASTOS E SUPERÁVIT DAS CONTAS

- ECONOMIA DE R$ 867 MILHÕES/ANO COM A REDUÇÃO DE CERCA DE 90 MIL CARGOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

+ DE R$ 14 BILHÕES DE SALDO (SUPERÁVIT PRIMÁRIO) EM JUNHO/22

- ECONOMIA DE R$ 644,5 MILHÕES EM GRANDES PATRICÍNIOS (SÓ COM CLUBES DE FUTEBOL A DESPESA ULTRAPASSAVA R$ 220 MILHÕES)

DESBUROCRATIZAÇÃO

- 7° PAÍS EM SERVIÇOS PÚBLICOS DIGITALIZADOS (BANCO MUNDIAL)

- 1° NAS AMÉRICAS (À FRENTE ATÉ DOS EUA E CANADÁ)

- MODERNIZAÇÃO DOS CARTÓRIOS – EMISSÃO DAS CERTIDÕES DIGITALIZADAS 75% DOS SERVIÇOS DO GOVERNO FEDERAL ESTÃO DIGITALIZADOS PARA ABRIR UMA EMPRESA HOJE, É NECESSÁRIO APENAS 1 DIA E MEIO.

Continue lendo
  • Olavo de Carvalho
  • 26 Setembro 2022

Olavo de Carvalho 

Uma devastadora análise sobre o último líder da era soviética, que morreu recentemente aos 91 anos

 Em 15 de dezembro de 1987, em plena Perestroika, Mikhail Gorbachov anunciou um dos pontos fundamentais do seu plano para um novo mundo de paz e liberdade: "Não pode haver trégua na luta contra a religião. Enquanto existir religião, o comunismo não prevalecerá. Devemos intensificar a destruição de todas as religiões onde quer que elas sejam praticadas ou ensinadas."

Gorbachov era e é um marxista puro-sangue, mas, àquela altura, já não pensava em implantar em escala planetária o comunismo ortodoxo, cuja inviabilidade saltava aos olhos. O que ele tinha em mente era a "convergência" dos regimes, um socialismo meia-bomba no qual, preservada alguma liberdade econômica indispensável à sobrevivência do sistema, todas as demais liberdades fossem esmagadas sob uma portentosa engenharia de dispositivos jurídicos, sociais e culturais, já não sob a direção ostensiva do partido único, mas de um pool de organizações esquerdistas concordes no essencial. O livre mercado seria mantido, mas como instrumento para subsidiar a destruição da "democracia burguesa". O empresariado sonso cederia de bom grado em tudo para preservar o seu querido direito de enriquecer, sem se dar conta de que na nova regra do jogo a riqueza seria cada vez menos uma fonte de poder e sim um handicap, calculado para subjugar seu detentor às exigências do Estado. Encapsulada na vitória temporária do capitalismo, a ascensão do socialismo já não se faria por meio da revolução e sim do acúmulo progressivo e indolor de controles burocráticos, exigidos por "movimentos populares" artificialmente criados para esse fim e subsidiados, a seu turno, por uma horda de novos e antigos ricos, movidos pela esperança insensata de aplacar com generosidades obscenas de donzela oferecida a voracidade do Estado-papão. Inspirada em Gramsci e no socialismo fabiano cujo gradualismo anestésico tinha por símbolo uma tartaruga, a estratégia permanecia fiel à máxima leninista de usar o imediatismo da burguesia como instrumento para desprovê-la de seus meios de defesa.

Esse sistema já está em avançado estado de implantação em todo o mundo. A administração central do planeta, sediada em organismos internacionais como a ONU e a União Européia, que o próprio Gorbachov qualificou de "novo Comintern", já não controla somente a atividade econômica e trabalhista das nações, nem somente a estratégia militar e geopolítica — fazendo da "soberania" uma curiosidade museológica –, mas cada detalhe da educação, da prática médica, da vida cultural e até das condutas pessoais, submetidas cada vez mais a regulamentações sufocantes que a sociedade civil, estupidificada pela tagarelice de ONGs histéricas, celebra como conquistas da liberdade e dos direitos humanos.

Nesse quadro, a luta contra a religião só se empreende pelo antigo método da repressão direta nas regiões mais distantes da atenção da mídia: Sudão, Vietnã, Coréia do Norte, boa parte da China. No mundo Ocidental, são usadas para isso a militância "politicamente correta" e a própria mídia, que, com notável sucesso, vêm expelindo a religião da vida pública, do sistema educacional e da cultura superior, sob o pretexto risível dos "direitos das minorias", como se, eliminada com a fé predominante a idéia mesma de religião, fosse sobrar para os cultos minoritários um espaço maior na sociedade e não um lugarzinho apertado no sepulcro geral das devoções extintas.

Resistência séria ao neo-socialismo mundial só há em dois países: EUA e Israel. Daí que uma campanha mundial de desinformação busque apresentá-los com imagem invertida, como se fossem os centros de comando e não os principais alvos do ataque global às soberanias. A quantidade de recursos mobilizada para esse fim é tão gigantesca, tão vasta e complexa a constelação de artifícios usada para ludibriar a opinião pública, que atinar com o curso efetivo dos acontecimentos está acima da capacidade do cidadão médio e mesmo do "intelectual" médio. Dificilmente a presente geração chegará a perceber a realidade da situação histórica que viveu. O mundo de Gorbachov é o mundo da inconsciência planificada.

*   Mikhail Sergeevitch Gorbatchov foi o último líder soviético. Faleceu em 30 de agosto deste ano.

**    Olavo de Carvalho publicou este artigo fundamental em 19 de junho de 2004

Continue lendo