Puggina.org by Percival PugginaConservadores e Liberais

Artigos de outros autores

Voltar para listagem

O “FAZER”, RETÓRICAS MIDIÁTICAS, LEMBRANÇAS E A CORRUPÇÃO

por Alex Pipkin, PhD. Artigo publicado em

 

Não quero entrar profundamente no mérito de se o Partido Comunista Chinês escondeu e/ou demorou para divulgar ao mundo à epidemia causada pelo Coronavírus.

Como já vimos na própria China, com o Sars em 2003, e no caso Chernobyl, na extinta União Soviética, regimes comunistas autoritários e centralizados, sempre foram mestres em mentir, ludibriar e ocultar informações e dados sobre os horrores e os eventuais surtos que depõem contra a falsa competência e a transparência de uma gestão planificada.

Lavagem cerebral, incompetência e medo atuam fortemente na direção da omissão.

Interessante que o próprio Partido Comunista, agora, admitiu a necessidade de melhorar o gerenciamento do sistema de saúde de emergências.

Penso que num primeiro momento, o coronavírus é um problema de saúde pública chinesa que acaba se transformando, pelo eventual surto epidemiológico, num tema de saúde global.

Com o protagonismo da China no tabuleiro econômico global, evidente que os efeitos de uma desaceleração econômica na China, afetam os mercados internacionais, inclusive o Brasil, que tem junto a este país fortes relações comerciais.

Apesar do apreço que tenho por brilhantes jornalistas gaúchos e no país, seguramente parte de uma mídia sensacionalista e irresponsável, adora divulgar em artigos especulativos, boatos e mentiras, pregações de pessimismo e da proximidade do fim do mundo, gerando desinformação, pânico e confusão.

Precaução global sim, alarmismo e pânico global não. Na China, como é próprio em um país extenso e centralizado, a divulgação global pode até ter demorado, mas a China não perdeu o controle sobre o vírus.

O grande problema se concentra na cidade de Wuhan, que embora comentários em contrário por parte de “grandes progressistas”, o PCC acertou em bloquear a cidade e outras próximas.

Como de costume, os brasileiros gostam de apontar os problemas, adoram a retórica, contudo, são avessos ao “fazer acontecer” factualmente.

Lá, não apenas o prefeito de Wuhan foi demitido, como também pelo “fazer”, o governo construiu dois hospitais - um deles em 10 dias! -, além de outras instalações acessórias.

Lá, como os fatos não deixam mentir, as iniciativas liberais acontecem e salvam vidas. Imaginam construir um hospital no Brasil em 10 dias?! Só as exigências bur(R)ocráticas...

O fator da cultura milenar chinesa é avassalador. Surtos como esse ressoam para os chineses como que os deuses e os espíritos estivessem conspirando contra os maus líderes.

Também essa é razão (racional) pela qual o Partido, no intuito de não prejudicar sua “aura popular”, comprometeu-se em isolar e sacrificar as 60 milhões de pessoas da Província de Hubei, da qual Wuhan é a capital.

O que choca e assusta, é o fato de essa mesma mídia, por aqui, seja conivente com a maior corrupção mundial já presenciada pela humanidade, com o roubo descarado aos cofres públicos, que drena recursos e fomenta uma epidemia de mortes por falta de hospitais preparados e de qualidade e pela falta de segurança pública e justiça verdadeira.

Aqui, um STF aparelhado julga quase sempre, punindo “ladroes de galinha” e protegendo políticos ladrões e corruptos, além de empresários incompetentes amigos dos deuses togados e do poder.

A corrupção drenou recursos da saúde, da segurança e da educação. Apesar de que estivéssemos sob o manto da “Pátria Educadora”, o fazer e os dados fidedignos atestam o péssimo padrão de qualidade do ensino nacional.

Cerca de 100 milhões de brasileiros ainda não contam com coleta de esgoto e mais de 35 milhões não têm sequer acesso à água potável!

Por que o silêncio da grande mídia sobre a delação premiada e os respectivos fatos relatados pelo ex-irmão Palocci?

Por que as reviravoltas nos julgamentos no Supremo quanto a prisão em 2a. instância?

Por que agora incluir mais procedimentos e instâncias judiciais por meio do juiz de garantias?

Evidente que imprensa livre é fundamental para a construção de verdadeira democracia. Mas ela precisa informar os fatos como esses são, sem interpretações e manipulações criadas por interesses partidários.

Enfim, por que agora o abissal esquema de corrupção política iniciado em 2003 e que destruiu o país, descoberto pela operação Lava Jato, sumiu do cenário midiático, apesar da sociedade - não os criminosos - continuar pagando por ele?

Oi?! Parte da mídia nacional precisa atentar que a ausência de lembrança e informação fatual representa um risco para além da saúde brasileira.
Isso sim retrata a ameaça vigorosa contra à vida, à felicidade individual do brasileiro, e ao crescimento econômico e social de todos!

A cultura chinesa enaltece o passado e às tradicionais (boas e não tão boas...); já por aqui não lembramos o que comemos ontem...
 

Compartilhar

Artigos de outros autores