ENTRE OS PRINCIPAIS PARTIDOS, O PT FOI, ATÉ AQUI, O GRANDE DERROTADO DE 2014

 

As urnas falaram e o PT não gostou do que ouviu. Aécio Neves foi muito além do que apontavam as pesquisas. As entrelinhas da entrevista concedida por Marina Silva deixam claro que ela não apoiará Dilma e que a Rede certamente irá com Aécio Neves.


Dos 27 senadores eleitos no domingo, apenas dois são petistas. As maiores bancadas no Senado Federal ficam assim: PMDB 19, PT 13, PSDB 10, PSB 7, PDT 7, DEM 5, PP 5.


O PT perdeu 16 cadeiras na Câmara dos Deputados. Elegera 86 deputados em 2010 e agora terá 70. o PMDB, que perdeu 12 cadeiras e vem em segundo lugar com 66 deputados. O PSDB manteve o patrimônio, com 56 deputados e o PP perdeu 4 cadeiras, ficando com 36.
 

  • 06 Outubro 2014

ÀS URNAS, BRASIL
Percival Puggina


 Quanto piores as instituições de um país, e as nossas são péssimas, melhores têm que ser as lideranças recrutadas para o desempenho das funções de Estado. O somatório de más instituições com más lideranças afasta o país dos rumos democráticos buscados pela sociedade. De um lado, as más instituições permitem a usurpação do Estado pelo partido governante, turbinando o poder dos que governam. De outro, o acúmulo de poder exerce uma irresistível atração sobre os mal intencionados e sobre os aproveitadores de todos os feitios.

 A simultaneidade das eleições, conforme ditado pelo nosso ordenamento legal, para governantes e parlamentos acaba minimizando o interesse pelas eleições parlamentares. O foco da mídia recai exclusivamente sobre a eleição presidencial e a eleição dos governadores. No entanto, o coração da democracia está nos parlamentos! É para ali que deveria convergir especial atenção, até mesmo porque a quantidade de candidatos aumenta as possibilidades de escolha. Onde a oferta é grande, torna-se possível escolher melhor.

 Levar os melhores aos parlamentos significa aprimorar a qualidade da nossa democracia, a fiscalização sobre os governos, e conferir maior idoneidade moral às funções públicas e às práticas políticas como um todo. Sempre, é bom lembrar, a despeito da má concepção do nosso modelo institucional.
 

  • 05 Outubro 2014

FANTÁSTICO! O SHOW DA ARROGÂNCIA NO DEBATE DA GLOBO.

 


 Observando o comportamento dos presidenciáveis durante os confrontos proporcionados no debate da Rede Globo, chamou-me a atenção o fato de que eles poderiam ser divididos em dois grupos, o dos democratas e dos totalitários.

 

 Não vou nominá-los aqui. Deixo a tarefa ao discernimento de cada leitor destas linhas. Mas julgo aconselhável que se faça essa distinção e ela se torna possível através do aprendizado a esse respeito que cada um de nós faz no seu próprio ambiente. Todos convivemos com pessoas civilizadamente tolerantes, interessadas nas opiniões alheias, afáveis, e com pessoas que, inversamente, se mostram arrogantes, mal-educadas, que não admitem ser contrariadas e que tentam, por todos os modos impor sua vontade aos demais.

 

 "Nem todo totalitário é visivelmente arrogante", talvez diga o leitor. Com efeito, pode haver pessoas totalitárias que não o pareçam ser porque, estrategicamente, dissimulam essa característica de suas personalidades. Mas todo arrogante é autoritário, totalitário, por mais que se proclame aberto ao diálogo. Também os totalitários negociam entendimentos. Não o fizeram Hitler e Stalin? Mas quando os totalitários negociam, o que está em jogo é o aumento ou a consolidação do próprio poder pessoal.
 

  • 03 Outubro 2014

 

 

QUEM CONTROLA?

Pesquisando sobre o ensino de Medicina em Cuba, para agregar um capítulo a respeito desse tema à futura nova edição do meu livro "A tragédia da utopia", deparei-me com a informação de que, em data imprecisa (a matéria original, do site Defesa.net menciona "algumas semanas atrás"), oficiais brasileiros haviam encontrado e fotografado um agende de Saúde cubano dedicado a fazer propaganda castrista numa loja maçônica no interior da Paraíba. Aquele não era o local nem o município onde deveria estar o médico Jesús Velázquez, designado para o sertão pernambucano. O cubano foi interrogado e o fato notificado à Superintendência da Polícia Federal de João Pessoa.


 O mapa acima, um trabalho da revista Veja, mostra a distribuição no território brasileiro dos 14 mil médicos cubanos que aqui trabalham e dá uma boa ideia da capacidade de mobilização política que também se pode esperar desse exército infiltrado em solo pátrio com entusiasmada recepção pelo governo brasileiro. 
 

  • 30 Setembro 2014

 

O coordenador da campanha da candidata Dilma Rousseff em São Paulo, prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho, foi entrevistado pelo Estadão sobre o mau desempenho dos candidatos petistas naquela unidade da Federação. Com efeito, o candidato petista ao governo estadual, ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha, empacou no terceiro lugar, com apenas 9% da intenções de voto, ao passo que Geraldo Alckmin (PSDB), atual governador, caminha para uma bem provável eleição em primeiro turno com 52% das intenções de voto. Na eleição presidencial, as pesquisas realizadas em São Paulo mostram Dilma com apenas 23% das intenções de voto, bem abaixo de sua posição na média nacional.

 

Indagado sobre o motivo dessa incômoda situação, o coordenador da campanha petista apontou o dano à imagem do partido causado pela "prisão dos companheiros" condenados no processo do Mensalão.

 

Entristeceu-me essa notícia pois resulta inevitável deduzir que a consciência moral expressa nos números de São Paulo é bastante superior à que se deduz dos números relativos a outras unidades da Federação, incluído o Rio Grande do Sul, onde a candidata presidencial do PT, com 44%, tem mais votos do que Aécio Neves e Marina Silva somados...
 

  • 29 Setembro 2014

 

 

SOBRE "POMBAS E GAVIÕES"

 Uma leitura indispensável sobre política, porque os ingênuos estão na cadeia alimentar dos mal-intencionados.

 

 Gostar ou não de política é irrelevante. Ela é uma dessas coisas irremovíveis da vida de quem se recuse a viver no mato. Tem fortíssimo poder de determinação sobre a qualidade da vida social e econômica, os valores morais, os princípios fundamentais da ordem social, a dignidade da pessoa humana, o progresso e a civilização. Desinteressar-se por tema tão dominante e insuprimível da vida dos povos não é uma atitude moralmente responsável.

 

Se a política é inevitável, não relaxe nem goze. Não seja uma pomba no meio dos gaviões. Alerte-se contra os que o querem estraçalhar. Leia este livro.
 

  • 26 Setembro 2014