MENTEM PARA VOCÊ!

Percival Puggina

13/03/2021

 

Veja os dados de vacinação no mundo, ontem (12/03), segundo o Our World in Data (1). O Brasil aparece em sexto lugar, atrás, apenas, dos EUA , União Europeia e Reino Unido (potências do mercado mundial), e de China e Índia (países que fabricam vacinas). Para os demais, é evidente que a dificuldade está na ainda reduzida capacidade de produção perante uma demanda imensa e urgente. Entre estes, o Brasil (com 11,15 milhões de doses aplicadas) aparece à frente de todos.

Acesse o site abaixo se quiser ver e entender melhor os dados. 

No entanto, festival de mistificação, exclamações ensaiadas de horror, exploração política da tragédia e do sofrimento das famílias e de todo o sistema de saúde, só na mídia militante brasileira!

(1)  https://ourworldindata.org/grapher/cumulative-covid-vaccinations.

Leia mais

 

         Leio no excelente Diário do Poder

A decisão da Justiça Federal no Distrito Federal que autoriza a Associação Nacional dos Magistrados Estaduais (Anamages) a importar vacinas contra a Covid-19 para aplicação exclusiva em seus associados e familiares repercutiu mal no Congresso Nacional. A decisão é liminar e não exige aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

       Comento

         Que a Ética é uma ciência complicada, cheia de sutilezas, a gente sabe. A novidade surge quando aqueles de quem se espera o mais refinado apuro ético, a mais bem formada consciência para o adequado desempenho do sacerdócio da toga, convertem-na em fonte de regalias e privilégios para compartilhar no aconchego do lar.

         Confesso a vocês, leitores, que não sei como alguém tem coragem de propor, alguém tem coragem de conceder e alguém tem coragem de aceitar um favor para si e para os seus amados enquanto com a outra mão esbofeteia, sem luva nem modos, seus concidadãos.

         O desembargador Ítalo Fioravante Gabo Mendes, do TRF1, suspendeu duas (já eram duas!) liminares no mesmo sentido. Entendeu algo que o próprio STF se empenha em manter como lâmpada embaixo do alqueire sempre que ultrapassa a linha amarela: as decisões desrespeitam o espaço de discricionariedade da Administração Pública. E o fazem, mais gravemente, quando, em tempo de pandemia, violam a equidade e a universalidade da distribuição de vacinas. Parabéns ao desembargador!

         Essa demência arrepia o sentido de justiça do mais tosco dos cidadãos normais.

Leia mais

LANÇADO O MOVIMENTO “PORTO ALEGRE, BONITA DE NOVO”

 

O jornalista e empresário de comunicação Julio Ribeiro está lançando o movimento PORTO ALEGRE, BONITA DE NOVO, que pretende mobilizar empresas, entidades, órgãos públicos e, especialmente, os apaixonados pela capital gaúcha para, através de iniciativas pontuais, ajudar a resgatar a atmosfera de uma cidade, ao mesmo, cosmopolita e bucólica.

“Eu sou um dos tantos porto-alegrenses de coração, que vieram de outros lugares e se encantaram com esta cidade. Moro aqui, há exatos 40 anos. Infelizmente, por uma série de razões, Porto Alegre foi perdendo seus encantos, sua alegria e seu jeito de cidade bem cuidada, moderna e da qual nos orgulhávamos”, lembra o jornalista.

Para ele mais do que achar culpados, o que importa agora é cuidar da cidade e ajudar, com pequenas e grandes iniciativas, que a capital retome o “jeito de sorrir que tinha”. Para isso, diz o jornalista, todos os setores da sociedade porto-alegrense serão instados a contribuir para que Porto Alegre volte a ser bonita, de novo!

“Dói muito, por exemplo, ver o Centro da capital do jeito que está, sujo, cheio de vendedores ambulantes, descolorido, nada aprazível. Queremos ver Porto Alegre florida, bem cuidada, com equipamentos modernos, obras icônicas, e tantas outras coisas que marcam as cidades e a memória das pessoas”, reassalta Julio.

A ideia do movimento é que ele seja aberto, capaz de integrar as participações de quaisquer pessoas, entidades, organismos e empresas dispostas a somar esforços para resgatar a beleza e a alegria de Porto Alegre.

Julio Ribeiro, que já coordena outros movimentos, como o GENTE, AJUDANDO GENTE!, que já fez várias campanhas humanitárias, e o CLUBE DE OPINIÃO, que reúne alguns dos principais jornalistas do Rio Grande do Sul, espera que essa sua nova iniciativa encontre eco entre as chamadas “forças vivas” da capital e se estabeleça uma grande corrente em favor da cidade.

Nesta sexta-feira, 5 de março, o jornalista e empresário esteve com o prefeito Sebastião Melo, para apresentar a ideia do movimento e se associar aos esforços que a nova administração municipal pretende empreender para, igualmente, tornar Porto Alegre, bonita de novo.

Também participou do encontro o Secretário de Planejamento e Assuntos Estratégicos, Cezar Schimer, que ficou com a responsabilidade de executar os projetos de revitalização do Centro Histórico. Segundo o Melo, a prefeitura vai buscar todas as parcerias possíveis para melhorar a estética da Cidade, começando pelo Centro Histórico, que é o "bairro de todos". O prefeito lembrou que ele mesmo adotou e foi adotado pela cidade, ao chegar da sua Piracanjuba, de Goiás. "Agora, quero devolver em dobro tudo o que recebi de Porto Alegre", destacou, ao elogiar a iniciativa para a realização do projeto Porto Alegre bonita de novo".

 

 

Leia mais

INSACIÁVEL DESEJO DE CAUSAR DANO AO BRASIL

Percival Puggina

06/03/2021

 

Percival Puggina

Leio no Estadão:

“A desmoralização explícita de Paulo Guedes e de sua agenda liberal por parte do presidente deveria bastar para que o ministro afinal se desse conta da ‘venezuelização’ do governo e pedisse as contas”. Editorial deste 6 de março, com o título “Aprendiz de Chávez”...

COMENTO

Procurando por essa matéria me deparei com uma cerrada campanha da mídia militante empenhada em constranger Paulo Guedes a pedir demissão.   Normalmente, mobilizações dessa natureza são decorrentes de interesses contrariados. Mas não é o caso. Não me consta que Paulo Guedes esteja atrapalhando negócios do setor. Então, por que essa mobilização uníssona, orquestrada e com regência? Logo num momento delicado da pandemia?

A resposta é sempre a mesma. O papel desempenhado por Paulo Guedes em meio a uma crise fiscal e às incertezas mundialmente plantadas em relação ao Brasil é importante para o governo. E se é importante para o governo, se é benéfico ao Brasil, se ajuda o país, então é ruim para eles e para seu projeto de afastar o presidente.

A esse ponto chegamos. Os piores fins justificam os piores meios.

Leia mais

130 ANOS DO STF EM LIVRO

Editora Thoth

03/03/2021

Desde que foi instalado no Rio de Janeiro, em 28 de fevereiro de 1891, o STF teve participação em inúmeros momentos do país, ora mais discreta, ora mais ostensivamente.

“500 CURIOSIDADES SOBRE O STF” selecionou acontecimentos, datas, trajetórias profissionais, debates acirrados de plenário, detalhes das sabatinas, quem recusou vagas e muito mais.

Isso se fazia necessário por uma razão elementar: o órgão de cúpula do Poder Judiciário brasileiro não é mais aquele desconhecido a que aludiu Aliomar Baleeiro, um dos seus mais notáveis integrantes. Ao contrário. Hoje, o STF é um protagonista praticamente diário.

A obra traz um universo de informações nem sempre abordadas em torno desta importante instituição cuja atribuição precípua é dar vida e sentido à Constituição Federal.

Dois propósitos essenciais impulsionaram o meu trabalho: desmistificá-lo enquanto instituição judicial e permitir que as pessoas possam conhecê-lo mais e melhor, tanto nos seus acertos quanto nas suas falhas. Afinal, nem sempre o tribunal exerceu com maestria as suas missões. Assim como teve altivez para enfrentar Floriano Peixoto, condenar no Mensalão e revogar a Lei de Imprensa, a Corte emudeceu diante da ascensão do Governo Provisório em 1930, tergiversou nas concessões de habeas corpus nos anos 60/70, instabilizou jurisprudências importantes, vem consolidando o predomínio de decisões individuais às colegiadas e recentemente determinou a prisão de um congressista desprezando a sua imunidade parlamentar.

Concebido em vista dos 130 anos da instalação do STF republicano (embora delineado bem antes), este livro foi escrito numa linguagem coloquial e sem maior rigidez cronológica nas curiosidades justamente para que a sua leitura seja uma atividade leve, informativa e agradável.

 

Antônio Augusto Mayer dos Santos é advogado, professor, autor e colunista da Revista VOTO e de Conservadores e Liberais – Puggina.org

PRÉ-VENDA DO LIVRO: https://editorathoth.com.br/produto/500-curiosidade-sobre-o-supremo-tribunal-federal-acontecimentos-datas-polemicas-debates-acirrados-sabatinas/242:

Leia mais

A RESPONSABILIDADE DOS GOVERNADORES

Percival Puggina

27/02/2021

 

Percival Puggina

Leio em MoneyTimes (1)

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta sexta-feira que o auxílio emergencial deverá ser pago por alguns meses e destacou que o governador que tomar medidas de restrição de atividades é quem deve bancar o benefício, em meio ao aumento número de casos e mortes por Covid-19 no país.

“O auxílio emergencial vem por mais alguns meses e, daqui para frente, o governador que fechar o seu Estado, que destrói o seu Estado, ele que deve bancar o auxílio emergencial”, disse.

“Não pode continuar fazendo política e jogando no colo do presidente da República essa responsabilidade”, emendou ele, em rápido discurso durante solenidade de entrega de unidades habitacionais no Ceará.

  1. - https://www.moneytimes.com.br/bolsonaro-diz-que-governador-que-fechar-estado-deve-bancar-auxilio-emergencial/

COMENTO

É perfeitamente razoável não gostar do modo como o presidente expressa suas posições. Mas não há como discordar da lógica contida na afirmação que fez. O governo federal financiou os déficits de caixa dos estados e municípios (R$ 75 bilhões). Enviou bilionários recursos da União para custear o combate à covid-19, permitindo o reaparelhamento dos sistemas de saúde de todo o país. Suspendeu o pagamento de dívidas para com a União (R$ 35 bilhões). Custeou a atenção às dezenas de milhões de carentes produzidos pela danosa paralisação das atividades produtivas. Respeitando as prudentes e técnicas orientações da Anvisa, disputa no mercado internacional a compra de vacinas aprovadas.

Como consequência de toda a atenção prestada, apenas Rio Grande do Sul e Minas Gerais fecharam no vermelho o ano de 2020. Todos os demais Estados (incluído o Distrito Federal) fecharam no azul, com um superávit total de R$ 82,8 bilhões. E a União? Acumulou um déficit de R$ 745 bilhões, tendo gasto em 2020, R$ 524 bilhões com a covid-19, incluindo auxilio emergencial a pessoas em situação de vulnerabilidade (R$ 293 bilhões).

Ao mesmo tempo, criticado por toda a mídia militante, se vê às voltas, já no início de 2021, com a reiteração das demasias adotadas pelos governadores que geraram a queda do PIB e o desastre econômico e social do ano passado, fazendo com que esta última conta tenda a se agravar.  

Quem achar que deve derrubar a economia do próprio estado, que arque com os ônus decorrentes. A medida deve contar com a simpatia de ninguém. No entanto, a realidade não é simpática. Diante da experiência do ano passado e das notórias dificuldades de caixa da União, cuja receita sofre tanto quanto a dos outros entes federados, parece impossível não ver a razoabilidade da ponderação feita.

Leia mais